Não quero virar pedra: antes, quero sumir

Não quero virar pedra: antes, quero sumir

Bia Cantanti 23, maio 2016 em Emoções 0 Compartilhados
Homem que quer sumir

De vez em quando eu quero sumir. E atire a primeira pedra quem nunca quis.

Quero sumir dos compromissos chatos, das conversas hipócritas, das pessoas que não querem o bem de ninguém a não ser o seu próprio. Sumir do farol vermelho, da briga que não acaba, do barulho dos vizinhos, da falta de liberdade, daquele que suga energia, da não-perspectiva.

Quero sumir do arroz-com-feijão de todo dia, da rotina que empobrece, do mundo das coisas que sufocam e obrigam a gente a virar estátua, ou que destilam uma falta de sabor à vida. Certas coisas deveriam ser proibidas: desrespeito, desamor, desânimo, deselegância, desinteligência, desacordo entre pessoas. DESCULPAS para quem não precisa e não quer ouvir, ou sequer se importa.

Quero sumir de representar o que está no script, de fazer tudo quadradinho, de ser permissiva sem perceber, de não entender o outro, nem de me fazer entender, de ter que apressar o passo quando quero ir devagar (e vice-versa), e de somente contemplar algo que desejo como realidade.

Quero sumir do fast-food, da lotação das ruas, da falta de dinheiro, do grito alheio, do olhar de reprovação e da abstinência de consideração.

Quero sumir, mas não posso!

Toda vez que quero sumir, me desfaço um pouco. Me desintegro, me enfraqueço. É um preço alto a pagar… desgaste para a alma, desavença para o coração, energia gasta para nada. Contudo, o sentimento de querer sumir é um excelente sinal: ainda não me tornei pedra, ainda estou aqui. Em mim, em algum lugar.

sumir da hipocrisia

Então… Quando quero sumir, simplesmente faço de tudo para tornar os “massacradores do dia” interessantes!

Quando estou começando a virar pedra, seja por circunstâncias exteriores, seja por interiores, ou por desilusões, fracassos, depressão ou sei lá o que mais, dou um pulo. Sim, dou um pulo em mim mesma: faço algo diferente, algo que seja muito bom, por mim. Egoísmos à parte, todos precisamos disso.

sumir viver melhor

Me desafio internamente a ter melhores pensamentos. A ignorar as situações e fatos sobre os quais não tenho controle. A ressaltar as qualidades dos outros e as minhas também. Converso com alguém inspirador ou leio histórias inspiradoras, invento atividades, desde uma caminhada, até ir a algum evento sozinha, para conhecer pessoas que nunca vi… Faço o exercício de não reclamar, de não exigir demais da vida, de rever meus sonhos e buscar aquele que está tão escondido quanto esquecido pelo peso das obrigações diárias. Faço uma nova oração, marco um encontro com meu anjo protetor (sim, você também deveria!), e reconecto as pontas soltas.

Dou um pulo, dou uma volta, e as coisas voltam a ficar melhores. O coração bate de novo, a paixão pela vida adquire um novo significado.

Não há receita para reverter o efeito “quero sumir”, porém todos temos obrigação de ser um pouco egoístas e sumir, ocasionalmente, daquilo que nos torna pedras: robôs sem sentimentos executores de tarefas, indivíduos “tanto faz”, sem vontade.

Não é fácil, porém você deve buscar a sua rota para sumir. Antes que suma de si mesmo e vire pedra sem nem mesmo perceber!

Bia Cantanti

Graduada em Letras, atua como Secretária. Escritora, possui um blog e uma fanpage (http://muitomaisbiacantanti.blogspot.com.br/ https://www.facebook.com/letraemflor). Autora do eBook "Um Estranho Conhecido", sua primeira obra, uma história romântica e espiritual.

Ver perfil »
Recomendados para você