O Fabuloso Destino de Amélie Poulain: um filme para sonhadores

02 Julho, 2020
O sorriso terno mas malicioso de Amélie Poulain permaneceu gravado na memória dos espectadores. Neste artigo, falamos sobre esse filme francês, que foi um convite para ver a fantasia na realidade e sonhar como na infância.
 

Desde a sua estréia em 2001, O Fabuloso Destino de Amélie Poulain é considerado um ícone do cinema francês. É como um mito na capital francesa. Todos os anos, fãs do filme tentam descobrir e conhecer os locais onde ele foi gravado.

Jean-Pierre Jeunet deu ao mundo uma comédia romântica verdadeiramente incomum. É charmosa e tem uma personalidade inconfundível. Quem pode esquecer a trilha sonora de Yann Tiersen? Ou os gnomos de jardim, o canal Saint-Martin, a cafeteria onde Amélie trabalha? Tudo isso ficou na memória do público para sempre.

Amélie é uma personagem cativante, ao mesmo tempo que bizarra, que conquistou a todos no início do novo milênio. Uma personagem que, como os cartazes promocionais do filme apontaram, veio para mudar a vida das pessoas.

A beleza de sua fotografia e sua atenção aos detalhes conseguem nos inserir em uma fábula. Nela, o cotidiano parece mágico e o estranho e o comum se fundem alegremente. Acima de tudo, existe uma história de amor um tanto peculiar, mas cativante. Criativa e original, Amélie continua sendo, para muitos, uma referência.

Uma infância solitária

Como geralmente acontece nas histórias e na construção mais arquetípica do heróiAmélie é apresentada desde o início, ou seja, desde a infância. De fato, o público pode observar um passado bastante sombrio e uma infância solitária, embora com conotações cômicas, como acontece com a maioria dos heróis. Assim, Jeunet apresenta a heroína como a filha única de um casal que não lhe dá muita atenção.

 

Da mesma forma, existe um narrador onisciente. Portanto, uma voz que conhece bem a vida dos personagens e nos convida a descobri-los através de suas curiosidades e peculiaridades.

Esse narrador guia o espectador através da infância solitária de uma garota que é proibida de frequentar a escola e que perde a mãe tragicamente. Diante de tanta tristeza, a pequena Amélie decide se refugiar em um peculiar mundo imaginário.

Essa apresentação ajuda a entender um pouco mais a Amélie adulta. Ela é uma jovem que, apesar de morar em Paris e trabalhar como garçonete, mantém seus traços característicos da infância. Amélie é introvertida e extraordinariamente sonhadora, e sua vida muda no mesmo dia em que um trágico acidente marcou a história contemporânea: a morte de Lady Di.

A notícia desse acontecimento é usada como forma de ironia para mostrar como Amélie, para sua surpresa, encontra um pequeno tesouro em seu apartamento em Montmartre.

A vida solitária de Amélie parece, finalmente, ter um objetivo: ajudar os outros. Em sua busca para encontrar o dono da caixa de metal escondida há 40 anos em seu apartamento, Amélie descobre que a melhor maneira de encontrar a sua felicidade é melhorar a vida das pessoas ao seu redor.

“Acho melhor dedicar minha vida a outras pessoas do que a um gnomo de jardim”.
-Amélie-

A presença do amor

O Fabuloso Destino de Amélie Poulain não trata apenas de altruísmo, mas também de amor. O espectador pode observar esse fato em diferentes direções. Uma das principais perguntas que me vieram à mente antes de ver o filme novamente foi como ele sobreviveu à passagem do tempo. Muitas histórias não são tão atemporais.

 

O Fabuloso Destino de Amélie Poulain, como muitas das comédias românticas do início dos anos 2000, mostra uma ideia absolutamente mítica de amor romântico, uma idealização que continua presente no cinema. De fato, pode-se dizer que o cinema contribuiu enormemente para criar um imaginário que alimenta muitas fantasias.

A aparição central do amor é encontrada na conexão de Amélie com Nino, um jovem que ela conhece casualmente. O público gradualmente vai descobrindo mais informações sobre ele, acompanhando a protagonista em sua história de amor. Uma história totalmente mitificada que corresponde a um tipo de conto de fadas.

Há quem possa repreendê-la por essa paixão irracional, e até ver nela, ao analisar em profundidade, uma personagem um tanto perturbadora. No entanto, você vai ignorar esses detalhes e se deixará levar pela magia da fábula.

Afinal, Fabuloso Destino de Amélie Poulain é um filme com muito charme e muitos detalhes. Em suma, mesmo que o amor romântico não seja real, é melhor apreciar o filme, esquecer um pouco do contexto atual e entendê-lo pelo que é: um conto de fadas moderno.

Joseph

Há uma história que você pode questionar. Trata-se do personagem de Joseph, um homem obcecado por uma das colegas de trabalho de Amélie.

O filme o retrata como um perseguidor, e Amélie, a fim de ajudar sua colega, decide se vingar. Mas não é uma vingança propriamente dita, pois ela conspira para unir Joseph e outra de suas colegas. O problema é resolvido de forma bem humorada e, embora os tempos tenham mudado, o filme é tão agradável quanto era quando estreou.

 

Além dessas histórias em que o amor aparece, vale ressaltar que a própria Amélie acaba percebendo que não há amor mais importante do que o amor próprio. Nesse sentido, a protagonista se torna consciente de que seu desejo de ajudar os outros não tem sentido se ela não decidir se ajudar; e esse é provavelmente o maior ato de amor que você pode ver no filme.

“Qualquer outra garota teria ligado imediatamente, teria chamado o garoto em um terraço para devolver o álbum e, assim, saber se valia a pena continuar sonhando ou não. Isso se chama enfrentar a realidade, mas não é isso que Amelie quer”.
-Amélie-

O Fabuloso Destino de Amélie Poulain

O Fabuloso Destino de Amélie Poulain: um mise-en-scène cuidadoso

Tudo parece doce em O Fabuloso Destino de Amélie Poulain, mas a jovem não hesita em mostrar seu caráter quando necessário. Por trás de seu sorriso tímido, há uma mulher que, diante da injustiça, agirá de maneira vingativa e até infantil. Não esqueça que Amélie é uma sonhadora que parece viver em um mundo imaginário. Ela é uma jovem que não abandonou seu lado mais infantil.

Tudo isso se reflete nas cenas do filme, como observado nas primeiras linhas. A trilha sonora é chave para ambientar toda essa fantasia. É como se você visse as cenas pelos olhos do protagonista. Apesar de acontecer no mundo real, em Paris, há a sensação de estar diante de algo mágico, imaginário.

 

O uso de cores, decorações e até os figurinos revelam detalhes de todo esse conjunto. Você conhece a personalidade de cada um deles ao ver suas casas, roupas e gestos. A fotografia é bem executada, proporcionando imagens verdadeiramente bonitas.

Como você pode ver, o filme é uma comédia romântica atípica. Sua protagonista vive sua fantasia e ajuda os outros sem que a vejam. A ambientação é chave para compreender este mundo sonhado por Amélie. Além disso, a voz do narrador aparece em momentos-chave para revelar algumas peculiaridades dos personagens.

Notas finais sobre O Fabuloso Destino de Amélie Poulain

Absolutamente criativo e original, O Fabuloso Destino de Amélie Poulain se tornou um grande sucesso. Trata-se do segundo filme francês de maior bilheteria, superado apenas por Intocáveis (Nakache, 2011). Ganhou quase todos os prêmios na 27e cérémonie des César (27ª Cerimônia do César), conquistou dois BAFTAs e várias indicações ao Oscar.

Sem dúvida, essa é uma das melhores comédias românticas com conotações de fantasia. É um filme francês do qual todos se lembram. Amélie conquistou o público com sua doçura, mas também com sua vingança. De alguma forma, o filme cumpriu o que os cartazes prometiam, pois convidou os espectadores a ver o mundo a partir de outra perspectiva.

“São tempos difíceis para os sonhadores”.
-Amélie-