O mito de Hermes, o mensageiro divino

março 8, 2020
O mito de Hermes fala sobre um dos deuses mais importantes da mitologia grega. Ele era considerado o mensageiro dos deuses não apenas porque se comunicava com os diferentes mundos, mas também porque agia como mediador para solucionar conflitos.

O mito de Hermes fala sobre um dos deuses mais multifacetados da mitologia grega. Era um dos mais ativos e inquietos e, por causa disso, era considerado protetor de várias atividades, como o comércio, a astúcia, as fronteiras e os viajantes que as cruzam, assim os ladrões e os mentirosos, além de ser condutor das almas dos mortos e mensageiro divino.

Hermes é apresentado como um jovem bonito e atlético, que sempre está conversando e adora fazer brincadeiras. Em sua representação, ele usa um capacete que tem asas, assim como suas sandálias e até mesmo seus pés. Isso permite que ele se movimente por todos os lados.

Além disso, o mito de Hermes diz que esse jovem sempre estava com seu caduceu, um bastão mágico com o qual podia fazer deuses e mortais dormirem, bem como conduzir as almas dos mortos ao submundo.

Hermes era filho de Zeus e da plêiade Maia. Ele era considerado pastor dos sonhos, guardião das portas e espião noturno, mas, por fim, consagrou-se como mensageiro dos deuses.

O mito de Hermes são, na verdade, muitos mitos, pois mesmo não sendo o personagem principal, ele aparecia em muitos dos episódios mais relevantes da mitologia grega.

“A palavra não é apenas a identidade da mensagem e do mensageiro, é o seu anjo guardião”.
-Francisco Garzón Céspedes-

Partenon na Grécia

O mito de Hermes e a lira

O mito de Hermes conta que ele nasceu em uma caverna no monte Cilene, na Arcádia. Ele tinha poucos dias de vida quando fugiu do seu berço e desatou a correr pelos campos. De tanto andar, chegou a uma pradaria onde seu irmão Apolo cuidava dos rebanhos de bois e vacas. Tentado pela oportunidade, Hermes decidiu roubar os bois e levá-los para uma caverna.

Tendo escondido seu saque, Hermes voltou para casa. Antes de entrar, viu uma tartaruga e, imediatamente, teve uma ideia. Matou e limpou a tartaruga e, em seguida, esticou sobre o casco uma série de cordas feitas com tripas de boi. Assim, ele inventou a lira. Depois, voltou para o seu berço e adormeceu.

Quando Apolo percebeu o roubo, utilizou seus poderes de adivinhação para descobrir quem era o culpado. Dessa forma, descobriu que tinha sido Hermes e o acusou diante de Zeus. Maia, a mãe de Hermes, tentou defender o filho, afirmando que ele era apenas um bebê indefeso. No entanto, Zeus não se deixou enganar e exigiu que o menino devolvesse o que tinha roubado.

Pressionado pela autoridade do pai, Hermes foi até a caverna onde tinha guardado seu saque e devolveu as vacas e os bois a Apolo. Seu irmão, no entanto, ficou maravilhado com a lira.

Então, combinou com o deus alado uma troca de todo seu gado pelo instrumento. Hermes aceitou e também recebeu um bastão, com o qual, depois, construiu sua arma preferida: o caduceu.

A lira de Hermes

As atividades de Hermes

Foram muitas as aventuras das quais Hermes participou. Uma das mais importantes aconteceu quando seu pai, um deus claramente infiel, foi pego por sua esposa, Hera, traindo-a com Io, uma sacerdotisa da própria Hera.

Quando Hera descobriu os amantes, Zeus quis proteger Io, transformando-a em uma novilha branca. Mas sua esposa, sempre atenta, enviou Argos, um monstro de mil olhos, para vigiá-la, de modo que ninguém se aproximasse.

Zeus, por sua vez, mandou que seu filho Hermes libertasse a sua amante. O mensageiro dos deuses cantou belas canções para o monstro e, depois, o distraiu com suas histórias e reflexões. Assim, conseguiu fazê-lo dormir e pôde cumprir a missão que seu pai lhe havia confiado.

O mito de Hermes conta que esse deus também desempenhou um importante papel quando entregou sandálias aladas a Perseu. Esse instrumento mágico foi decisivo para que o herói pudesse vencer Medusa. Hermes também conduziu a alma de Perseu até a entrada do submundo, como de costume.

Hermes também teve um papel muito importante na Guerra de Troia, do lado dos gregos. Esse deus também se apaixonava muito e deixou vários descendentes. Seu filho mais famoso foi Pã, deus da natureza e dos rebanhos.

A palavra “hermenêutica”, ou a arte de interpretar os significados ocultos, deriva de “Hermes” que, na mitologia romana, foi conhecido como Mercúrio.

Vernant, J. P. (2001). Mito y pensamiento en la Grecia antigua. Ariel.