Dicas para uma comunicação eficaz - A Mente é Maravilhosa

Oito dicas para uma comunicação eficaz

dezembro 7, 2017 em Psicologia 134 Compartilhados
Dicas para uma comunicação eficaz

Conhecer algumas dicas para uma comunicação eficaz pode ser muito benéfico em nosso dia a dia. Somos seres sociais. Relacionar-nos com os outros traz benefícios emocionais, como compreensão, suporte e melhoria da autoestima. Apesar disso, muitas pessoas não conseguem se conectar com aqueles que as rodeiam. Isso pode ser devido a várias causas, incluindo uma falha ao tentar manter uma comunicação mais efetiva.

As pessoas que, ao contrário, não têm problemas para estabelecer uma comunicação eficaz, são aquelas que sabem como desenvolver sua Inteligência Social. Alguns autores, como o psicólogo americano Daniel Goleman, abordam em suas pesquisas a importância desse tipo de capacidade. Ela é baseada na capacidade de manter relacionamentos de harmonia e paz com os outros, sem renunciar à sua assertividade.

Habilidades como empatia e compreensão são fundamentais ao criar uma conexão social. No entanto, conseguir que a outra pessoa se sinta confiante, segura e compreendida por nós geralmente não é uma tarefa fácil.

Portanto, há uma série de ferramentas que ajudam a melhorar esse tipo de inteligência emocional. São algumas dicas para uma comunicação eficaz que podem ser aprendidas e implementadas sem muito esforço. Assim, com sua leitura e aplicação, podemos entender um pouco melhor o mundo das relações sociais.

Dicas para uma comunicação eficaz

Em qualquer tipo de interação, a comunicação não verbal deve ser levada em consideração. Na maioria das vezes dificilmente há ênfase nela, apesar de que em muitos casos ela seja mais importante do que o conteúdo da própria mensagem. Os gestos, os olhares e a posição do nosso corpo serão em grande parte responsáveis ​​pela criação da imagem que o interlocutor terá de nós.

Duas figuras conversando

No processo de comunicação, a sincronia desempenha um papel importante. Daniel Goleman afirma que essa habilidade permite que você leia todas e cada uma das pistas não verbais, desde de um sorriso até assentir no momento correto. As pessoas que não podem entrar em sincronia são aquelas cujo comportamento cria uma sensação de desconforto e estranheza nos outros. Eles são os chamados dissêmicos e são caracterizados por não entender os sinais que terminam ou mudam o turno de uma conversa.

Esses déficits sociais não respondem a nenhum tipo de causa neurológica, mas a uma falha na aprendizagem. Atualmente há uma série de programas que são responsáveis ​​pela sincronia de ensino tanto para crianças quanto para adultos. Para as pessoas que têm esse tipo de problema, conseguir uma comunicação efetiva é muito mais fácil. Seguindo um conjunto de diretrizesm podemos melhorar nossas habilidades sociais e transmitir a mensagem que realmente nos interessa.

1. Parafrasear e perguntar

Perguntar e parafrasear são elementos realmente importantes na comunicação efetiva. Ao contrário do que parece, fazer isso não mostra relutância, mas interesse. O interlocutor se sente ouvido, o que cria um clima de empatia e uma compreensão muito benéfica.

Parafrasear, por sua vez, nos permite organizar as partes da conversa que não entendemos bem enquanto mostramos que estamos atendendo ao que nos está sendo dito. Claro, estamos falando de um recurso com o qual teremos que calibrar muito bem o grau em que o usamos; se passarmos, pode ficar contra a comunicação, pois o outro poderá pensar que estamos rindo dele.

2. Faça elogios

O elogio reforça o discurso da outra pessoa. É muito útil usar frases de aprovação como “Eu acho ótimo o que você diz”, “Eu concordo com você” ou “Eu adoro estar com você”. Você também pode usar frases menos diretas, como “Fantástico!” ou “Que bom”.

3. Mostrar empatia

A empatia é uma qualidade que nem todos têm. Ser capaz de se colocar no lugar do outro melhora a fluidez da comunicação de forma notável. Estabelece um rapport (conceito originário da psicologia que remete à técnica de criar uma ligação de empatia com outra pessoa) positivo, uma simpatia emocional que cria um clima de compreensão e confiança.

Além disso, gera uma imagem nossa de uma pessoa próxima e atenta. Ele cria uma coordenação entre os interlocutores que permite uma comunicação efetiva entre eles.

Duas mulheres conversando4. Adapte-se ao contexto

Um bom estilo comunicativo pode ser estragado se não levarmos em consideração o contexto. O ambiente, o número de pessoas ao redor ou o tema que vamos discutir são muito significativos. Discutir ou repreender nosso interlocutor na frente dos outros deve ser evitado, neste momento em que falamos para louvar suas realizações.

O ruído, o local e o momento devem ser os mais apropriados. Se vemos que nossa conversa pode ser desprovida de facilidade ou distorcida, é melhor adiar para um momento mais adequado.

5. Respeite a opinião do outro

Respeitar a opinião dos outros é fundamental. Insultar, desacreditar e subestimar as crenças de outro indivíduo denota uma grande falta de maturidade. Ao longo de nossas vidas, encontraremos muitas pessoas que pensam muito diferente de nós; Podemos discutir com eles, mas muitas vezes devemos também aceitamos que, em uma questão, pode haver vários pontos de vista.

Depois de ouvir suas ideias e argumentos, podemos continuar pensando o mesmo, mas também é provável que alguns de nossos conceitos possam ser questionados.  Ter uma mente aberta para a mudança não só beneficia a comunicação interpessoal, mas também o nosso próprio conhecimento.

6. Olhe nos olhos do interlocutor

É aconselhável estabelecer contato visual com a outra pessoa. Deve ser feito naturalmente, pois o olhar é um elemento altamente expressivo. Isso fará com que nosso interlocutor se sinta ouvido, o que melhorará a conexão entre os dois. A situação oposta ocorre quando não é possível manter o olhar, pois contribui para um aumento da insegurança. Olhar para o outro lado, enquanto falamos com alguém, expressa falta de interesse; fazê-lo sugere que possamos estar mentindo.

7. Não invada seu espaço pessoal

Na tentativa de fortalecer os laços com o nosso interlocutor ou reforçar a nossa posição, podemos invadir involuntariamente o espaço pessoal da outra pessoa. Chegar muito perto, ao contrário do que às vezes pensamos, raramente traz proximidade, mas muitas pessoas se sentem desconfortáveis ​​e querem fugir. É bom que a distância que mantemos com o nosso interlocutor se adapte a duas circunstâncias: o grau de confiança que temos com ela e o caráter do assunto. Não deve ser muito longe, nem muito próximo, já que não pretendemos mostrar desconfiança, certo?

Casal conversando

8. Respeite os turnos das palavras

Não respeitar a vez de falar de cada um, além de ser muito descortês, interrompe a efetiva comunicação entre os interlocutores. É necessário aguardar até que o outro termine de falar para aí contribuir. Na comunicação oral, todos os envolvidos devem respeitar o discurso do outro.

Estas dicas para uma comunicação eficaz são, em geral, bastante simples. No começo elas podem ser um pouco forçados, mas, praticando-as, começaremos a notar seus efeitos. Comunicar é um processo inato e melhorar as habilidades associadas nos ajudará a enfrentar o mundo com coragem.

Referências bibliográficas

Genie, Daniel. (2010). Inteligência social A nova ciência das relações humanas. Kairós.

Imagem principal: Norman Rockwell.

Recomendados para você