O vínculo entre os refrigerantes e a agressividade nas crianças

· março 26, 2019

Para muitos pais pode parecer exagerado que o consumo de refrigerantes possa promover um comportamento agressivo em seus filhos. No entanto, exagerada ou não, a ciência apoia essa ideia. O vínculo entre os refrigerantes e a agressividade nas crianças é respaldado por uma boa quantidade de estudos.

A literatura indica que há um vínculo claro entre o comportamento agressivo e o consumo de refrigerantes pelas crianças. Mas será que isso ocorre com todos ou só com alguns tipos? Tem a ver com o açúcar, a cafeína, a gaseificação, os aditivos ou uma combinação de vários fatores?

Refrigerantes, crianças e saúde

Pouco a pouco, vamos tomando consciência do benefício que podemos obter ao eliminar as bebidas açucaradas da dieta das crianças. Médicos e nutricionistas deixaram claro que os refrigerantes fornecem calorias vazias às crianças e contribuem para o aumento da taxa de obesidade infantil. Os dentistas aconselham que as crianças não tomem bebidas açucaras, pois são uma das principais causas das cáries.

Além disso, muitos refrigerantes também contêm cafeína. A cafeína não se restringe somente a alterar o comportamento das crianças e modificar o horário em que conseguem pegar no sono. Essa substância pode causar dores de cabeça, mal-estar estomacal, nervosismo e problemas para dormir. Além disso, a cafeína também foi associada a alguns problemas de comportamento e transtornos do sistema nervoso. Mesmo em poucas quantidades, a cafeína pode produzir esses efeitos nas crianças.

Agressividade nas crianças

Os refrigerantes e a agressividade nas crianças

Os problemas de comportamento associados aos refrigerantes não são um tema que pode ser encarado de maneira superficial. Se os problemas de saúde não forem suficientes para fazer com que os pais tomem determinadas medidas, os problemas de comportamento associados com o consumo desse tipo de bebida aumentam a lista de motivos.

Um estudo de 2013, publicado na revista The Journal of Pediatrics, descobriu que a agressividade, o comportamento de abstinência e os problemas de atenção estão relacionados com o consumo de refrigerantes por crianças pequenas (Suglia, 2013).

Os pesquisadores avaliaram 3.000 crianças de 5 anos de 20 cidades diferentes dos Estados Unidos. Eles descobriram que o consumo desse tipo de bebida estava relacionado com o comportamento agressivo.

Para isso, foi preciso isolar sua influência, eliminando fatores importantes como depressão materna, detenção paterna e violência doméstica. Além disso, as crianças que bebiam quatro ou mais refrigerantes por dia apresentavam o dobro de probabilidade de acabar destruindo os pertences de outras pessoas.

O vínculo não está claro

O vínculo entre os refrigerantes e o comportamento agressivo das crianças não está claro. Como os refrigerantes são altamente processados, os pesquisadores suspeitam que determinados ingredientes, como o ácido aspártico ou o ácido fosfórico, possam estar relacionados com problemas de comportamento.

A cafeína também foi relacionada com alguns problemas de comportamento nas crianças, por isso os pesquisadores suspeitam que o teor de cafeína também possa ser parte do problema.

Além disso, o consumo elevado desse tipo de bebida açucarada também pode afetar os níveis de glicose no sangue. Um nível baixo de glicose pode fazer com que as crianças desejem o refrigerante, ao mesmo tempo em que se tornam retraídas ou agressivas.

Os perigos do consumo de refrigerantes por adolescentes

Os estudos também vincularam os problemas emocionais e de comportamento nos adolescentes com o consumo de refrigerantes. Um estudo, publicado no International Journal of Injury Control and Safety Promotion, relacionou o consumo de refrigerantes com a agressividade, a depressão e o comportamento suicida em adolescentes (Solnick e Hemenway, 2013).

Segundo os pesquisadores, quanto mais refrigerantes os adolescentes bebem, mais aumenta a probabilidade de que se envolvam em brigas. Além disso, descobriram que era mais provável que os adolescentes se sentissem tristes ou desesperados e que tivessem pensamentos ou comportamentos suicidas.

Jovem tomando refrigerante

Pode haver uma relação entre os refrigerantes e a agressividade

Para resumir: entre os muitos fatores que podem fazer com que uma criança se torne agressiva de maneira sistemática, encontramos o consumo de refrigerantes. De fato, eliminar esse tipo de bebida da dieta da criança pode melhorar seu comportamento consideravelmente.

Esse tipo de bebida inclui bebidas gaseificadas, bebidas açucaradas, sucos processados, bebidas com cafeína e bebidas energéticas.  É especialmente importante não permitir que as crianças tomem bebidas energéticas – incluindo bebidas consideradas esportivas. Muitas dessas bebidas contêm estimulantes como guaraná e taurina, assim como um alto teor de cafeína.

  • Cartwright, M.M. (2013): Do Soft Drinks Really Make Kids More Aggressive. Phycology Today. Recuperado de https://www.psychologytoday.com/us/blog/food-thought/201308/do-soft-drinks-really-make-kids-more-aggressive
  • Solnick S.J y Hemenway D. (2013): Soft Drinks Aggression y Suicidal Behaviour in US High School Students. International Journal of Injury Control and Safety Promotion, 21(3), 266-273. doi: 10.1080/17457300.2013.815631
  • Suglia S.F, Solnick S. y Hemenway D. (2013). Soft Drinks Consumption Is Associated With Behavior Problems in 5-Year-Olds. The Journal of Pediatrics, 163(5), 1323-1328.