Otherkins: indivíduos que se identificam como ‘não humanos’

julho 1, 2019
Há pessoas que não se identificam total ou parcialmente com a espécie humana, mas acreditam que a sua identidade tem mais a ver com animais, seres mitológicos ou personagens fantásticos.

Os otherkins formam uma comunidade de indivíduos que não se consideram humanos. Eles acreditam que a sua identidade é parcial ou totalmente não-humana.

Basicamente, eles sentem que sua mente e/ou corpo são seres mitológicos, entidades desencarnadas ou outros animais. Alguns exemplos são anjos, vampiros, dragões, leões, raposas, elfos, extraterrestres, entre outras identidades.

Os membros da comunidade otherkin se relacionam entre si e com o resto do mundo de uma maneira diferente, de acordo com a sua identidade percebida. Eles também têm ritos de iniciação específicos.

Como eles são diferentes, sofrem abusos e discriminação que podem levar a determinados distúrbios psicológicos. Falaremos sobre isso neste artigo.

O que significa ser um otherkin?

O termo otherkin vem do inglês e é formado pela fusão das palavras other (outro) e kind (tipo, espécie). Portanto, a sua tradução literal é ‘outro tipo’.

O Middle English Dictionary (1981) define otherkin como uma forma diferente ou adicional, de outro tipo. Portanto, qualquer um que se identifique como otherkin sente que é diferente de um humano ou que há algo diferente nele.

Por essa razão, há alguns otherkins, dependendo da sua identificação particular, que sentem que as suas diferenças são espirituais, enquanto outros acreditam que as diferenças são genéticas. Alguns acreditam que nasceram de outra espécie e outros acreditam que evoluíram para um novo estado.

Por outro lado, muitos otherkins acreditam na existência de dimensões paralelas ou múltiplas realidades. Isso poderia explicar a possibilidade da existência de seres fantásticos, mitológicos e mesmo fictícios, explicando assim a sua existência no mundo humano.

Máscara de lobisomem

A atitude dos otherkins depende em grande parte da identidade que eles adotam. Aqueles que se consideram elfos são alérgicos ao ferro, aqueles que acreditam que são vampiros ficam irritados com a luz do sol.

Alguns que se consideram animais afirmam ser mais empáticos e conectados com a natureza, precisamente por causa de seus instintos animais. Outros afirmam que têm a capacidade de se separar de seu corpo para fazer viagens astrais ou extracorpóreas.

Alguns levam ao extremo o seu desejo de se assemelhar ao ser mitológico ou animal com o qual se identificam. Portanto, passam por cirurgias plásticas para modificar seus corpos. Tudo isso com o objetivo de se aproximar da aparência ideal da identidade que adotaram.

Dessa forma, alguns deles limam os dentes para que pareçam presas, e outros afinam as pontas das orelhas para parecerem elfos.

Como os otherkins se relacionam?

Os otherkins se relacionam especialmente através da Internet. Existem muitas comunidades e fóruns sobre o tema no Reddit, Tumblr, Facebook, etc. A comunidade Otherkin é muito grande, mais do que parece, e tem muita presença online.

Nessas comunidades virtuais, os otherkins se dedicam a fornecer informações sobre a sua condição e aconselhar novos iniciados. Existem muitos grupos isolados formados por otherkins com identidades específicas, como um grupo de seres sombrios, como vampiros, demônios ou dragões.

Também existem páginas ou blogs dedicados a contar como é o seu dia a dia. Há muitas páginas da web com artigos informativos para aumentar a conscientização sobre a comunidade otherkin. Existem até lojas que vendem produtos sobre e para a comunidade otherkin.

A comunidade otherkin que se expressa na rede não possui nenhum tipo de organização hierárquica. Pelo contrário, é uma interação entre indivíduos ou comunidades fechadas, expressando como, por que e para que são otherkin.

Por outro lado, ocasionalmente essas comunidades organizam reuniões fora da Internet, embora as suas interações ocorram principalmente online.

Mulher vampira

Como o otherkin se reconhece?

Os otherkins nem sempre sabem da existência de sua outra identidade. Eles não estão conscientes de sua condição até que se iniciam como otherkin. Esse processo é conhecido como “despertar”.

Por isso, qualquer pessoa potencialmente diferente pode se reconhecer como otherkin de um dia para o outro, ou durante um processo de meses ou mesmo anos.

Muitos deles, antes de despertar, estão em uma situação difícil ou em um crepúsculo existencial, sem saber quais são as causas de suas aflições. Portanto, reconhecer a sua identidade como otherkin pode ser uma libertação pessoal.

É por isso que eles se sentem muito à vontade, adotando a aparência e as atitudes da criatura com a qual se identificam. Não há dois despertares iguais, cada um vive o seu despertar de uma maneira diferente.

Geralmente isso ocorre na adolescência, mas pode acontecer em qualquer momento da vida. O despertar pode ser desencadeado por um sonho ou por alguma experiência traumática. Pode ser uma luta longa e difícil, ou pode ser uma transição fácil e direta.

Por esse motivo, a internet está repleta de fóruns e páginas que buscam assessorar e orientar o processo de despertar do novo otherkin. Muitos dos beneficiários são adolescentes que querem saber o que está acontecendo com eles e encontrar apoio com outras pessoas que possam entendê-los.

Os otherkins sofrem de transtornos mentais?

Muitos psicólogos e psiquiatras acreditam que a maioria dos membros da comunidade otherkin pode sofrer de transtornos mentais. Dessa forma, poderíamos falar sobre licantropia clínica, bipolaridade, esquizofrenia e disforia de espécies.

No entanto, alguns deles negam sofrer desses transtornos. Eles argumentam que a identificação com outros seres é uma maneira de conhecer e aceitar a si mesmo, e não de fugir da realidade.

Outro transtorno mental que pode estar associado a essa comunidade é a síndrome do membro fantasma. Consiste em sentir a existência de uma parte do corpo, mesmo que ela não esteja mais lá. Isso acontece principalmente com as pessoas amputadas.

Alguns otherkins acham que têm cauda, ​​tentáculos ou um par de asas, embora nada disso exista fisicamente.

Alguns deles podem sofrer de diversos distúrbios não diretamente associados à sua identificação com outras criaturas. Seria o caso de transtornos de ansiedade, fobias sociais ou transtornos obsessivo-compulsivos, entre outros, como qualquer outra pessoa pode sofrer.

Finalmente, podemos enfatizar que a adoção de outra identidade fora do humano poderia ser uma forma de se defender das pressões sociais. Portanto, ser otherkin pode ser a maneira como essas pessoas gerenciam a sua ansiedade.