Pedir desculpas às crianças também é importante

setembro 8, 2019
Dizer "me desculpe" a uma criança é um ato de responsabilidade. Se, como pais, mães ou educadores, falharmos de alguma forma, devemos ser capazes de nos desculpar. Dar o exemplo e ensinar que todos cometemos erros é educar em civismo.

Pedir desculpas às crianças é saber dar o exemplo. No entanto, há muitos pais que evitam fazer isso, entendendo que, como adultos, devem projetar uma imagem de infalibilidade, que demonstrar a seus filhos que cometeram um erro de alguma forma diminui a sua autoridade e credibilidade.

Assumir essa ideia é uma maneira óbvia de educar com irresponsabilidade. Trata-se de um fato muito importante sobre o qual todos deveríamos refletir.

Se há algo que tentamos conseguir como pais, mães ou educadores, é que os pequenos compreendam o quanto antes a importância de pedir perdão. Exigimos isso deles quando fazem algo errado, quando mentem, quando agem por impulso e acabam fazendo algo imprudente ou desrespeitoso.

É preciso saber se desculpar “desde a infância”, e tentamos transmitir isso. Promover esse comportamento desde cedo facilita que levem em consideração as perspectivas dos outros, que assumam a responsabilidade por suas ações e que, pouco a pouco, sejam capazes de regular seu comportamento.

Agora, esse comportamento nem sempre é integrado neles tanto quanto gostaríamos, e a razão muitas vezes é evidente: os adultos exigem algo que nem mesmo nós cumprimos.

Não o fazemos porque nos incomoda, porque sentimos uma certa vergonha ao nos mostrarmos aos nossos filhos como pessoas capazes de cometer erros. Apesar disso, devemos entender algo essencial: isso melhora o relacionamento com eles e contribui para a sua educação.

“Dizer ‘sinto muito’ é dizer ‘eu te amo’ com um coração ferido em uma mão e seu orgulho sufocado na outra”.
-Richelle E. Goodrich-

Mãe pedindo desculpas para a filha

A importância de pedir desculpas às crianças

Para entender a importância de saber como se desculpar com as crianças, vamos pensar por um momento em todas as vezes em que alguém nos machucou, ofendeu ou mentiu e não recebemos nenhum pedido de desculpas por esse comportamento.

A sensação é dolorosa, não há dúvida, e o que é pior, geralmente deixa uma daquelas marcas indeléveis que nem o tempo apaga.

Bom, sabendo que algo assim causa sofrimento, imaginemos a experiência interna de uma criança quando quem lhe falha é um cuidador principal, um pai, uma mãe, um avô… A contradição e o sofrimento podem ser ainda maiores.

Da mesma forma, se uma criança nunca ouviu a palavra ‘desculpe’ da sua família, acabará entendendo o seguinte:

  • Estar em uma posição de autoridade significa nunca ter que se desculpar.
  • As pessoas danificam seus relacionamentos e nada acontece. Não há necessidade de pedir perdão ao ferir alguém.

É realmente lícito ou mesmo compreensível transmitir essas ideias para os nossos filhos? Obviamente não. Se há algo que devemos saber é que devemos trabalhar com eles a importância de se desculpar desde cedo.

Assim, estudos como o do Dr. Craig E. Smith, da Universidade de Psicologia de Cambridge, indicam que, aos 4 anos, a criança já compreende perfeitamente as implicações emocionais de um pedido de desculpas.

O que ensinamos a uma criança quando pedimos desculpas a ela?

Existem comportamentos contagiosos. Os comportamentos pró-sociais têm a capacidade de disseminar um grande número de emoções e sentimentos capazes de gerar mudanças. Isso faz com que o ato de saber como se desculpar com as crianças quando a situação exige contribua para dar ao mundo mais pessoas dadas à cooperação, ao respeito e à coexistência.

Portanto, o que lhes ensinamos com esse gesto é o seguinte:

  • Todos nós cometemos erros, grandes e pequenos. Todos, por sua vez, temos a obrigação de reconhecer o que fizemos de errado para reparar essa situação.
  • Todos nós sentimos uma certa vergonha quando nos desculpamos. No entanto, fazê-lo é um ato de responsabilidade que depois irá nos gerar um grande bem-estar.
  • Quando pedimos desculpas, a outra pessoa se sentirá melhor e isso é sempre bom e necessário. Porque, no final, o bem-estar do outro também vem para nós e todos saímos ganhando.
Pai e filho unidos

Quando os pais devem pedir perdão aos seus filhos?

Por mais impressionante que possa parecer, há muitas situações em que é necessário pedir desculpas às crianças. São as seguintes:

  • Quando fazemos uma promessa que não cumprimos.
  • Quando gritamos com eles. Esta é, sem dúvida, uma situação muito comum; em momentos de estresse, é comum perder os nervos e levantar a voz sem querer. Esse comportamento é algo que devemos evitar e, portanto, é necessário pedir desculpas.
  • Quando nos esquecemos de algo que eles estavam esperando.
  • Quando algum imprevisto surge e não podemos passar tanto tempo com eles quanto gostaríamos.
  • Quando estamos errados em alguma coisa, quando os ofendemos em algum pequeno aspecto.
A importância de pedir desculpas às crianças

Como pedir desculpas às crianças?

Saber pedir desculpas a uma criança de forma correta e eficaz também requer alguma habilidade, sensibilidade e inteligência. Não basta apenas pedir perdão, devemos fazê-lo da maneira correta. Estas são algumas diretrizes.

  • Uma criança pode se sentir mal por algo que parece insignificante para nós. Não devemos subestimar suas emoções. Portanto, devemos reconhecer o que fizemos de errado, dar importância e pedir desculpas sinceramente.
  • Ao pedir perdão a uma criança, devemos explicar as razões específicas pelas quais estamos fazemos isso. Peço desculpas porque prometi que iríamos ao cinema e não fomos. A mamãe mudou de turno e teve que ir trabalhar. Eu queria manter minha promessa, mas não foi possível e peço desculpas por isso.
  • Por outro lado, há um fator importante: o imediatismo. Assim que percebemos que fizemos algo errado com nossos filhos, não devemos esperar para nos desculpar. Sua frustração e desapontamento não devem se prolongar e, portanto, devemos reparar essa situação.
  • Por último, mas não menos importante, lhes daremos nosso compromisso de que isso não acontecerá novamente. Fazê-lo, dizer-lhes que vamos melhorar nosso comportamento e que nos importamos com eles, é uma maneira de modelar, de dar um exemplo e de inspirá-los, para que também façam o mesmo e aprendam conosco.

Para concluir, ser capaz de dar o exemplo e ensinar com cuidado e precisão o valor do perdão nos ajudará a criar uma sociedade mais humana e respeitosa. Vamos, portanto, promover esse comportamento.

  • Craig E. Smith, Diyu Chen, Paul L. Harris (2010) When the happy victimizer says sorry: Children’s
    understanding of apology and emotion. British Journal of Developmental Psychology (2010), 28, 727–746