O que é a personalidade anancástica?

O que é a personalidade anancástica?

outubro 26, 2015 em Psicologia 56 Compartilhados
O que é a personalidade anancástica

Júlio é um homem de muito sucesso em seu trabalho. Comenta-se que desde muito jovem ele gostava das coisas bem-feitas e que permanecia horas e horas até que seus deveres e trabalhos de classe estivessem impecáveis. Ele se define como organizado, asseado e perfeccionista.

Com suas próprias palavras: “ou algo está perfeitamente feito, ou não está feito, e terá que ser feito novamente.” Gosta dos detalhes e de que as coisas mantenham uma harmonia, uma rotina e uma constância. Ele pensa que a sua maneira de fazer as coisas é o que lhe levou ao sucesso que experimenta atualmente em sua vida profissional, ainda que ele pense que isto não é o suficiente.

Onde está o problema de Júlio?

Visto por estas lentes, podemos enxergar Júlio como um homem de sucesso, avaliado de forma muito positiva em seu trabalho, trabalhador, organizado… sem nenhum problema. Mas a realidade é que a personalidade de Júlio está afundando outras áreas de sua vida. Júlio sofre do que se conhece como personalidade anancástica.

Uma pessoa com este tipo de personalidade é definida por seu perfeccionismo elevado e controle das situações. Ser perfeccionista não significa desejar e se esforçar para que as coisas saiam da melhor maneira possível. Isto seria algo normal e desejável.

Ser perfeccionista significa que a pessoa exige que tudo que ela que faça seja perfeito, e como a perfeição não existe, a pessoa pode ficar horas e inclusive dias para realizar algo que outro faria em muito menos tempo. Analogamente, ela tende a deixar de fazer ou postergar as coisas por medo de não fazê-las perfeitamente.

Sua ânsia pela perfeição faz com que ela nunca fique contente com os resultados, porque sempre pensa que poderia ser melhor e, como consequência, surge uma ansiedade muito elevada que a faz sofrer e não desfrutar de seus ganhos.

O pensamento das pessoas com este tipo de transtorno obsessivo-compulsivo da personalidade é chamado de pensamento polarizado. Isto é, as coisas são brancas ou pretas, boas ou ruins. A pessoa é tão rígida e inflexível que não permite meio termo. Ou são perfeitos ou são um fracasso. Como nunca encontram a perfeição, apesar de seus sucessos, acabam se considerando fracassados.

Por outro lado, são pessoas dedicadas exclusivamente a seu trabalho. Não costumam tirar férias, ainda que seu chefe lhes obrigue a fazer isso. O trabalho é prioridade absoluta, levando sempre serviço para casa, sem desligar-se e sem realizar outras atividades. Evidentemente, devido a este comportamento, suas relações sociais e amorosas são muito deterioradas, já que as atividades de lazer não entram em seus planos. Se eles precisam fazê-las algum motivo, sentem-se incomodados, como se estivessem perdendo tempo, tempo este que poderiam estar utilizando para produzir no trabalho.

As relações com os colegas de trabalho também são difíceis, pois não são capazes de delegar tarefas para os outros e nem de aceitar uma ajuda externa, já que pensam que ninguém é suficientemente capaz de realizar as coisas com uma perspectiva tão perfeccionista como a deles.

Poderíamos dizer que diante de todas estas características, a crença central destas pessoas é a necessidade de fazer as coisas de maneira perfeita e afastar o intenso medo e ansiedade de fracassar ou de cometer erros.

Como poderíamos ajudar alguém com uma personalidade anancástica?

É verdade que os transtornos de personalidade são difíceis de modificar, mas uma boa psicoterapia combinada com medicamentos poderia ser de grande ajuda para estes pacientes.

– Seria necessário trabalhar as crenças errôneas sobre o perfeccionismo e o controle. O objetivo é que estas pessoas aprendam e interiorizem que a perfeição é um conceito irreal, que não existe. Empenhar-se em conseguir algo que não existe só provoca ansiedade e frustração, o que causa sofrimento, agressividade e hostilidade e, muitas vezes, leva ao isolamento social.

– A pessoa deve se obrigar a cometer erros. Errar é humano e, como humanos que somos, devemos errar. Cometer erros nos leva a aprender e a evoluir em qualquer aspecto de nossa vida. Errar não é nada mais do que isso. Ver um erro como um fracasso absoluto também é algo irreal. Devemos ajudar a pessoa a se desfazer dessa ilusão e a ser mais racional.

– Aprender a desfrutar das relações sociais e do tempo de lazer também é essencial. Estas pessoas sentem que desfrutar do lazer e fazer atividades não relacionadas ao trabalho é algo desnecessário, mas a verdade é que todo mundo precisa descansar, desligar-se do trabalho e repor as energias para depois render melhor.

Como humanos que são, também se sentem esgotados física e mentalmente, portanto é necessário trabalhar estas ideias com eles para que eles entendam que há tempo para tudo e que o descanso é necessário para o bem-estar físico e psicológico.

– Acabar com o drama. O que de pior poderia acontecer com você se, no final, você fracassasse nesta tarefa? Pensar sobre isso pode nos ajudar a comprovar que, muitas vezes, nós formamos pensamentos e imagens mentais de catástrofes e dramas que são completamente falsas e irreais.

A mente ansiosa e com personalidade anancástica costuma pensar que vai acontecer algo muito pior do que a realidade, o que deriva em um sofrimento desnecessário que dificulta a resolução do problema.

Fonte da imagem: http://amaltiempobuenapsique.com/2012/10/01/combate-el-perfeccionismo/

Recomendados para você