Personalidade paranoica: prisões emocionais para os filhos

Personalidade paranoica: prisões emocionais para os filhos

Abril 14, 2018 em Psicologia 281 Compartilhados
Personalidade paranoica: prisões emocionais para os filhos

Os filhos de pais com personalidade paranoica existem, embora sejam invisíveis para a sociedade. Eles sofrem os efeitos de um apego desorganizado, de uma instabilidade emocional que deixa marcas e de um ambiente disfuncional muito debilitante. São crianças com maior risco de sofrer de transtornos mentais. Portanto, precisam, junto com suas famílias, de uma maior assistência social e médica.

Pessoas com transtornos de personalidade, esquizofrenia, transtornos dissociativos, entre outros, também se apaixonam, têm filhos e constroem suas próprias famílias. Isso é evidente. No entanto, muitos deles, não tendo apoio social e familiar adequado, acabam vivendo situações extremas que permanecem nas sombras. Estamos falando de dinâmicas problemáticas das quais nem sempre estamos conscientes.

Profissionais de saúde mental ou serviço social que trabalham com adultos doentes devem ter em mente as crianças e adolescentes que crescem em um ambiente onde um dos membros tem um distúrbio psicológico.
Compartilhar

É muito comum, por exemplo, que pacientes com personalidade paranoica negligenciem seus tratamentos. É comum também que sejam caracterizados por um mau relacionamento com os que estão próximos. Tudo isso molda situações muito complicadas, onde as crianças são, sem dúvida, o elo mais vulnerável. Portanto, é necessário dar um pouco mais de visibilidade a essas realidades que acontecem diariamente muito perto de nós. A doença cria situações que exigem nossa atenção e sensibilidade.

Homem com personalidade paranoica

Convivendo com uma pessoa com personalidade paranoica

Até hoje ainda não sabemos o que ou por que esse tipo de transtorno se desenvolve. Em geral, supõe-se que é o resultado dessa complexa tríade onde fatores biológicos, genéticos e sociais são somados. Deve-se notar que a personalidade paranoica é uma das condições psiquiátricas mais debilitantes por várias razões. Ela afeta todas as áreas da vida da pessoa, dificultando todas as relações pessoais, familiares e de trabalho.

Vamos ver algumas características:

  • São perfis caracterizados por uma desconfiança permanente. Esse distúrbio começa a ser evidente na adolescência, quando mostram comportamentos de suspeita contínua. Estão sempre pensando que os outros têm más intenções.
  • Suspeita contínua de que serão enganados, traídos, abandonados…
  • Preocupação excessiva com quase qualquer aspecto.
  • Eles precisam de demonstrações contínuas de lealdade e fidelidade.
  • Má administração das emoções. São incapazes de perdoar ou esquecer qualquer aspecto que eles considerem uma afronta. Sendo assim, podem guardar obsessivamente rancores eternos.
  • São hipervigilantes. Eles sempre “ligam” o radar diante de qualquer suspeita, perigo ou ameaça contra si.
  • Essa suspeita se transforma, muitas vezes, em uma personalidade fria e hostil. São pessoas que estão sempre na defensiva.

Filha consolando seu pai

Filhos de pais com personalidade paranoica

Vários estudos foram realizados para descobrir qual é o impacto de um pai com personalidade paranoide na educação de seus filhos. Deve-se notar, em primeiro lugar, que o problema nesses casos é duplo. Não podemos esquecer que esse distúrbio tem um fator genético. Ou seja, há um risco evidente de que a prevalência dessa doença seja transmitida de uma geração para outra.

No entanto, a genética nunca determina 100% o risco de desenvolvermos um distúrbio psicológico. O que mais determina nosso ambiente são os padrões parentais recebidos. Esse é o lugar onde o problema real está, sem dúvida. Vamos ver abaixo o que as pesquisas científicas nos dizem sobre como filhos de pais com personalidade paranoica tendem a crescer e amadurecer.

Filhos de pais com personalidade paranoica: efeitos na criança e educação

  • Aos dois anos, as crianças mostram uma aparência mais desleixada e menos receptividade aos estímulos externos.
  • O apego inseguro, desorganizado e marcado pelo estresse faz com que essas crianças apresentem padrões comportamentais negativos. Ou seja, baseados na desconfiança, hiperatividade, medo do abandono, busca constante de conforto…
  • Outro fator comum que caracteriza pais e mães com personalidade paranoica é a incongruência emocional e educacional. Em alguns momentos são muito afetivos, em outros mostram frieza e hostilidade.
  • Eles são incoerentes com as normas e isso gera um alto estresse no desenvolvimento cerebral da criança.
  • Filhos de pais com personalidade paranoica têm baixa autoestima e uma autoimagem negativa.
  • Contenção emocional porque os pais invalidaram suas necessidades emocionais e afetivas desde sempre.
  • Eles geralmente têm um desempenho escolar muito baixo.
  • Quando a criança se torna consciente da doença de seus pais, ela geralmente demonstra sentimentos de culpa.
  • Pais com personalidade paranoica muitas vezes colocam muros na socialização de seus filhos. Com isso, eles tentam impedir as crianças de abandoná-los em algum momento.
  • Durante a adolescência, é comum o comportamento criminoso aparecer. Assim como comportamentos desafiadores, transtornos de ansiedade, depressão, etc.

Intervenções atuais

Os filhos de pais com personalidade paranoica, sem dúvida, precisam de uma intervenção psicossocial personalizada. No entanto, como os efeitos de um ambiente familiar inconsistente e imprevisível são muito amplos, não podemos agir apenas com as crianças. A intervenção deve ser estendida a todo o ambiente, inclusive aos pais.

Mãe lendo com seu filho

  • Quando um casal ou uma mãe com uma personalidade paranoica dá à luz, é necessário seguir uma psicoterapia baseada na melhora do apego. A mãe ou o pai são encorajados a falar sobre suas próprias experiências de infância. Assim, podem vincular esses eventos ao seu relacionamento atual com o filho. Dessa forma, podem entender como o ciclo de apego desorganizado e/ou inseguro é perpetuado.
  • Por outro lado, a intervenção deve também favorecer uma adequada educação psicológica e familiar, onde são fornecidas redes de apoio convenientes. Assim, dinâmicas como o treinamento de habilidades familiares ou a necessidade de ser consistente em termos de afeto, normas, rotinas e hábitos são objetivos essenciais a serem atingidos nesses núcleos familiares.

Além disso, para concluir, se os filhos de pais com personalidade paranoica são mais velhos e esse problema já é detectado no ambiente escolar, a intervenção psicológica será muito concreta. Ela vai focar a criança ou adolescente a fim de ajudá-la a construir uma boa autoestima. Uma relação positiva com o seu ambiente. Sendo assim, é possível ajudá-la a ter interesses saudáveis e novas estratégias para reduzir o estresse causado pela doença mental de um pai.

Como é possível observar, filhos de pais com personalidade paranoica vivem situações muito complexas que exigem um apoio concreto e multidisciplinar.

Recomendados para você