O que caracteriza as pessoas frugais?

24 Outubro, 2020
Alguns os definem como "mesquinhos". No entanto, os homens e as mulheres frugais levam um estilo de vida que vai além de "guardar dinheiro". Eles são definidos pela simplicidade, minimalismo e outras dimensões igualmente interessantes.

Nos últimos tempos, temos ouvido frequentemente o termo “países frugais”. Áustria, Finlândia, Suécia, Holanda… são áreas da Europa que desfrutam de uma economia saudável e que, de repente, parecem liderar boa parte das decisões em matéria econômica. Então, o que queremos dizer quando nos referimos às pessoas frugais?

Há quem não hesite em se referir a elas como pessoas um tanto espartanas, mesquinhas e até egoístas. No entanto, a aplicação dessa abordagem pejorativa obscurece completamente a oportunidade de considerar um perfil de comportamento interessante.

Ser frugal está na moda, mas por mais curioso que seja, é um conjunto de abordagens, dinâmicas, crenças e valores que sempre existiram. É verdade que há países que os praticam porque estão enraizados na sua cultura, nas suas tradições, mas a frugalidade não é algo exclusivo das regiões mais setentrionais da Europa. São dimensões que podem ser muito familiares para nós.

Pesssoas frugais

Características das pessoas frugais: mesquinhas ou administradoras da sua qualidade de vida?

Se procurarmos o termo frugalidade no dicionário, teremos uma pista de como é esse tipo de personalidade. Este termo define várias qualidades: ser prudente, passivo, econômico e habilidoso para otimizar o uso de tempo e dinheiro. Vistos assim, em grandes traços, talvez fiquemos mais uma vez com a imagem de alguém comedido, e até mesquinho, como as “más línguas” costumam se referir a eles.

No entanto, é melhor evitar esses tipos de rótulos que, na realidade, limitam e não estão de acordo com a filosofia por trás das pessoas frugais. Vamos nos aprofundar nas características que as definem.

O seu tempo é importante, use-o bem

Tempo não é dinheiro, tempo é vida. As pessoas frugais sabem disso, e um dos seus principais objetivos é fazer com que cada dia tenha significado e qualidade. O que significa algo assim? Implica, por exemplo, que não vale a pena passar o dia todo trabalhando. A ideia é investir um tempo justo e necessário para obter um salário que lhes permita viver normalmente, sem excessos.

Cada momento deve ser aproveitado ao máximo, seja no lazer, no descanso ou sendo produtivo no trabalho. O planejamento é a chave.

Seja eficiente em tudo que você faz

A eficiência é, nem mais nem menos, a capacidade de executar determinadas funções de forma adequada e correta. Para as pessoas frugais, isso não se aplica exclusivamente ao local de trabalho. Na verdade, integra cada área da vida:

  • Se você precisa gastar e consumir, faça-o com eficiência. Esteja ciente dos seus limites financeiros e ajuste-se a eles o tempo todo.
  • Não compre coisas que não sejam realmente úteis. Roupas, eletrodomésticos, carros ou tecnologia não devem ser renovados apenas por prazer, pela simples necessidade de ter algo novo ou o modelo mais recente de um produto.

Lembre-se das suas prioridades

Em uma vida feliz, as prioridades são claras. Isso implica fazer esforços, trabalhar pelo que se quer e mobilizar toda a energia para essas dimensões específicas. Um aspecto que define as pessoas frugais é a sua mentalidade econômica.

Agora, eles não se limitam a olhar apenas para o momento presente e imediato, o seu olhar está basicamente no longo prazo, e levar isso em consideração também é prioritário. Isso significa que a cada mês eles economizarão o máximo possível.

Pessoas frugais evitam fazer dívidas

Talvez uma das maiores vantagens dos países frugais seja que, em média, eles têm um bom padrão de vida. Os salários são bons e o seu comportamento orientado para a poupança e a eficiência permite, por exemplo, que não acabem endividados. Evitar as dívidas é uma prioridade neste perfil de personalidade.

Eles sempre vão preferir economizar para comprar quando for possível, em vez de recorrer a um empréstimo.

Reciclar, cuidar do meio ambiente e não desperdiçar recursos

Se você pode se locomover de bicicleta, por que usar o carro? Com essa escolha, você não apenas economiza dinheiro, mas também cuida do meio ambiente. Além disso, isso não significa que tenha que ficar sem um veículo. Implica, por exemplo, que pode continuar a usar aquele utilitário que, embora já tenha alguns anos, funciona muito bem.

O mesmo se aplica a qualquer outra área: por que ter, por exemplo, várias contas de telefone e internet? Se existe uma empresa que pode oferecer a todos os membros da família um contrato com o que é justo e o que é necessário, essa será sempre a melhor opção.

Garota andando de bicicleta

Concentre-se nas suas necessidades, não nos seus desejos

As pessoas frugais raramente são movidas pelos seus impulsos. Isso não significa que sejam frias ou calculistas. É exatamente o oposto. A filosofia da frugalidade procura, acima de tudo, aspirar a uma autêntica qualidade de vida, e isso implica ter clareza sobre as próprias necessidades, e não sobre os desejos. Afinal, estes últimos mudam, são inconstantes e podem nos levar a caminhos equivocados em algum momento.

Gastar e se endividar, por exemplo, não nos trará felicidade. Pode satisfazer um desejo momentâneo, mas o ideal é conhecer as suas verdadeiras necessidades e investir tempo e esforço para atendê-las.

As pessoas frugais e a busca pela inspiração

Existe um fator interessante que também define as pessoas frugais: a busca constante pela inspiração, pelo conhecimento, pela conexão com o meio ambiente. O objetivo é claro: continuar aprendendo para melhorar e avançar. É preciso buscar novos mecanismos para continuar sendo mais eficientes, para formar equipes de trabalho mais produtivas e, com isso, continuar investindo na qualidade de vida, bem como no progresso social.

Em suma, esse comportamento não é apenas inspirador, mas também realista e digno de ser imitado. Embora seja verdade que os países frugais são acompanhados por um contexto que facilita essas abordagens, isso não significa que, na melhor das nossas possibilidades, não possamos seguir nenhum dos eixos da sua dinâmica.

Vamos levar isso em consideração.