Por que tropeçamos?

Para um funcionamento mental adequado é necessário descanso, tranquilidade e atenção. Se tropeçamos é porque estamos negligenciando alguma dessas áreas. A seguir falaremos mais sobre isso.
Por que tropeçamos?

Última atualização: 29 julho, 2022

Pense na última vez em que você tropeçou fisicamente, quando perdeu a coordenação e o equilíbrio, seus pés se enroscaram e você estava prestes a cair. O que você estava fazendo naquele exato momento? Talvez você estivesse subindo ou descendo uma escada, ou caminhando na rua. O fato é que a sua mente não estava focada no momento presente. E se nos perguntarmos “por que tropeçamos?”, a resposta é óbvia: porque não estamos prestando atenção.

Podemos estabelecer facilmente um paralelo entre esse tropeço físico e outro psicológico. Por exemplo, podemos considerar que tropeçamos quando escrevemos um relatório e erramos ao digitar uma letra, quando queimamos a comida que estamos cozinhando ou quando ficamos travados ao tentar falar e pronunciamos uma palavra que não era a que tínhamos em mente. Mas por que isso acontece? E, acima de tudo, o que fazer a respeito?

Por que tropeçamos?

Se ultimamente você sente que está cometendo mais erros do que o normal, que leva mais tempo para terminar as suas tarefas e o resultado obtido não é tão bom quanto você gostaria, então te interessará saber por que tropeçamos. A seguir comentaremos algumas das causas mais comuns para isso.

Temos muita pressa

Como diz o ditado popular, “a pressa é inimiga da perfeição”. Da mesma forma que se você anda muito rápido é mais provável que tropece, se tentar terminar o que está fazendo o mais rápido possível, isso provavelmente reduzirá o seu capricho e piorará os resultados.

Isso nem sempre decorre do fato de que o tempo disponível é realmente limitado. Algumas pessoas, por causa da própria atitude e temperamento, tendem a se sentir inquietas, impacientes e aceleradas. Isso é o que Friedman e Rosenman chamaram de personalidade tipo A.

Esses indivíduos precisam estar em constantemente ativos, se desesperam em esperar e procuram realizar o máximo de atividades no menor tempo possível. Como resultado eles podem cometer mais erros.

A nossa atenção está em outro lugar

Embora possa não parecer, na maioria das vezes as pessoas estão em uma espécie de estado de hipnose. Agimos de forma automática, sem estarmos realmente conscientes do que estamos fazendo. Talvez enquanto faz exercícios na academia você esteja se lembrando do encontro que teve ontem, ou enquanto lava a louça você está pensando no que fazer para o jantar.

Raramente a nossa atenção acompanha a atividade que estamos realizando, pois nós temos a tendência de divagar entre o passado e o futuro, mantendo um estado de espírito caótico que salta de uma ideia para outra. Isso, é claro, diminui a nossa precisão e eficácia.

Tentamos realizar várias tarefas ao mesmo tempo

Esta é outra das principais respostas à questão de por que tropeçamos: frequentemente realizamos várias tarefas ao mesmo tempo e nem sempre porque temos pressa, mas sim porque às vezes a nossa necessidade de estímulos é muito grande. Por exemplo, precisamos ligar a televisão ou colocar uma música enquanto fazemos outras tarefas para evitar o silêncio, ou checamos as redes sociais enquanto conversamos com um amigo.

Isso nos leva a não desfrutar ou nos envolvermos realmente em nenhuma das atividades que realizamos, além de negligenciar aquelas que realmente exigem a nossa atenção.

Como evitar esses tropeços?

Você se identificou com as tendências de comportamento que mencionamos anteriormente? Neste caso mostraremos algumas etapas que você pode seguir para modificar essa situação.

Reduza o estresse

O estresse tem um grande impacto no funcionamento cognitivo das pessoas. Quando enfrentamos um estresse contínuo a nossa memória, capacidade de atenção e concentração, resolução de problemas e, em geral, todas as nossas funções executivas são afetadas. Dessa forma, é importante fazermos ajustes na nossa rotina diária ou na nossa atitude em relação a ela, para diminuir os níveis de ansiedade e estresse que experimentamos.

Melhore o seu descanso

Um sono suficiente e de qualidade é essencial para que a nossa mente, emoções e nosso corpo funcionem de forma adequada. A insônia e outros distúrbios do sono aumentaram em incidência nos últimos anos e podem fazer com que as pessoas fiquem irritadas e distraídas, e não tenham um desempenho adequado em seus projetos de trabalho ou vida pessoal. Cuide do seu descanso e você estará reduzindo a ocorrência desses tropeços.

Pratique a atenção plena

A atenção plena é uma atitude vital de entrega absoluta ao momento presente. Não é necessário meditar em um colchonete ou se isolar do mundo, mas simplesmente se envolver em cada atividade utilizando os cinco sentidos e uma atenção total. Enquanto estiver cozinhando não pense no passado ou no futuro, mas sim nos cheiros, cores e sensações que está percebendo nesse exato momento. Quando estiver brincando com o seu filho dê a ele toda a sua atenção, esquecendo o celular ou outras distrações. Isso evitará que você cometa erros e, acima de tudo, permitirá que você alcance estados de maior paz e realização.

Resumindo, se pequenos erros são muito frequentes no seu dia a dia, isso pode ser um sinal de que você precisa ir mais devagar. Não é necessário fazer as coisas mais rápido ou em maior quantidade, mas sim se envolver de fato no que você está fazendo a cada momento. Não deixe que o ritmo frenético da sociedade te desconecte de você mesmo.

Pode interessar a você...
Como os traços da personalidade afetam o dia a dia?
A mente é maravilhosa
Leia em A mente é maravilhosa
Como os traços da personalidade afetam o dia a dia?

Todos nós sabemos, ou pelo menos sentimos, que os traços da personalidade influenciam a forma como enfrentamos os obstáculos do dia a dia.



  • Rosenman, R. H., & Friedman, M. (1977). Modifying type A behavior pattern. Journal of Psychosomatic Research21(4), 323-331.
  • Sandi, C. (2012). Influencia del estrés sobre las capacidades cognitivas. Ministerio de Educación.