Atitude e inspiração: o professor de Gana que ensina informática com lousa e giz

· abril 20, 2018

Sem recursos, mas com motivação. Sem um computador, mas com vontade suficiente para ensinar computação aos alunos com giz, quadro negro e muita energia. A imagem deste professor de Gana, que desenha a interface do Word em sua sala de aula, se tornou viral, nos convidando a refletir e entender que para mudar o mundo (ou melhorá-lo), você só precisa de atitude e vontade.

O protagonista desta história é Owura Kwadwo, professor de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) que trabalha em uma pequena escola em Kumasi, Gana. É um ambiente rural, com poucos recursos educacionais e sem conexão com a Internet. No entanto, e embora seja paradoxal, dentro do currículo escolar se estipula que as crianças adquiram algumas habilidades básicas em computação.

A paixão por aquilo que fazemos nos faz entender que, na vida, os únicos limites que existem são os que estão na nossa mente.

Missão Impossível? Claro que não. Porque, embora as condições não sejam ótimas, o ser humano pode superar qualquer obstáculo com sua atitude, e o que é melhor, também pode inspirar aos demais para que não vejam obstáculos, e só sejam cientes das possibilidades.

É isso que o professor Kwadwo consegue diariamente com seus alunos. Não há menino ou menina que não se sinta motivado nesta aula, porque sabe que as novas tecnologias servirão de progresso para o seu país e que, quando chegar a hora, quando tiver finalmente um computador nas mãos, certamente saberá lidar com ele graças à vontade deste professor de Gana.

Professor de Gana com seus alunos

O professor de Gana que dá aulas de informática sem computador

A facilidade com que as imagens dão a volta ao mundo em poucos minutos é incrível. Há alguns meses ficamos entusiasmados com a história de Wang Fuman, um menino de 8 anos de uma cidadezinha chinesa que anda cerca de 4,5 quilômetros todos os dias para ir de casa à escola. A temperatura no mês de janeiro é cerca de 10 graus abaixo de zero, e Wang chegou à aula uma manhã com o cabelo e as sobrancelhas congeladas e as bochechas inchadas.

Seus colegas o receberam rindo, enquanto sua professora decidiu tirar uma foto para compartilhar uma realidade que para maioria de nós é distante e desconhecida. O mesmo acontece nesta pequena sala de aula numa aldeia em Gana. Aqui o protagonista não é o frio, é a ironia, é a história de um professor de informática sem um computador. Eles são estudantes que devem ter conhecimentos de informática, porque todos os anos são obrigados a passar por uma prova para demonstrar sua capacidade nesta área.

Poderíamos agora falar sobre as diferenças já conhecidas entre o primeiro mundo e o terceiro mundo; no entanto, antes de nos determos nessas reflexões, com as quais sem dúvida estamos todos de acordo, prestemos atenção nos seus protagonistas. Nas pequenas histórias que têm seus próprios nomes. Owura Kwadwo ensina o funcionamento de um programa ao qual ele não tem acesso, no entanto, isso não é obstáculo para seus alunos se familiarizarem com a imagem de um recurso básico de informática.

Professor de Gana ensinando computação

Todos os dias, com a ajuda de giz colorido e um quadro negro, ele desenha o Word em detalhes e com precisão. Ele conta que adora seus alunos e faz o que é necessário para que aprendam cada lição. Todos os professores dessa escola fazem o melhor que podem, e esse professor tenta fazer todos esses desenhos o mais rápido possível, para que cada processo, função e comando seja claro. Ele sabe que, entre todos os assuntos que as crianças podem aprender, a ciência da computação as tornará pessoas mais competitivas e atraentes para as empresas que investem em seu país.

Atitude e inspiração

Esses alunos realmente aprenderão a usar o Microsoft Word através de um quadro negro e as explicações de um professor que também não está acostumado a operar um computador? Muitos podem pensar que não. No entanto, essas crianças são alimentadas todos os dias de curiosidade, de motivação, de um estímulo visual e imaginativo que coloca suas mentes à frente de qualquer outra criança do primeiro mundo. Eles se alimentam do sonho de ter um computador real na frente deles e saber o que fazer com ele.

Devemos lembrar que figuras tão notáveis ​​nessa tecnologia, como Bill Gates, foram educadas sem um computador. Todo o seu estágio acadêmico foi sem esse recurso tecnológico e, mesmo assim, conseguiram se destacar dos demais nesse campo. Esse professor de Gana faz as crianças observarem. Se há algo que sabemos sobre questões educacionais, é que um dos componentes mais básicos para estimular os alunos é a motivação, é a atitude.

As engrenagens do cérebro

Owura Kwadwo educa a partir do coração e da necessidade. Ele sabe que dar aulas de informática sem um computador é como ensinar direção sem carro. É difícil, mas não impossível, não se você coloca vontade e consegue captar o interesse dos alunos através de imagens, giz colorido e comandos onde se pode visualizar cada passo, delinear cada função.

Assim, apenas alguns dias após a imagem do professor ganês se tornar viral, a Microsoft acabou se conectando com essa escola para fornecer a eles um computador. Além disso, a solidariedade que foi gerada com esta história também foi muito inspiradora, e espera-se que nas próximas semanas mais equipes cheguem a esta vila e outras escolas em Gana. Às vezes, as pequenas histórias e a atitude das pessoas mais humildes são aquelas que conseguem mudar o mundo e abrir nossos olhos.