Psicobióticos: o que são e para que servem? - A Mente é Maravilhosa

O que são e para que servem os psicobióticos?

junho 6, 2018 em Psicologia 0 Compartilhados
Psicobióticos: o que são e para que servem?

Você já ouviu falar dos psicobióticos? É parte do conhecimento popular a ideia de que as bactérias podem provocar todo tipo de efeito benéfico em nossa saúde. Isso não é em vão. Calcula-se que dentro de nosso corpo vivam mais de 48 bilhões desses micro-organismos, tendo portanto um papel fundamental em todo tipo de processo físico, como a digestão.

Essa grande quantidade de bactérias também pode provocar mudanças importantes no nosso estado de humor. Sim, é verdade. As últimas pesquisas parecem indicar que a flora intestinal influencia o funcionamento do nosso cérebro. Por isso, recentemente o campo médico começou a falar sobre os psicobióticos, substâncias que promovem o crescimento das bactérias benéficas no intestino, e por isso fornecem também benefícios para a nossa mente. Nesse artigo vamos conhecer o que são e para que servem os psicobióticos.

O descobrimento dos psicobióticos

As evidências empíricas da ideia de que algumas bactérias do nosso organismo podem influenciar o nosso cérebro de forma positiva são recentes. No ano de 2013, Ted Dinan, um professor de Psiquiatria que trabalha na Universidade de Cork, situada na Irlanda, utilizou pela primeira vez o termo psicobiótico. Tudo começou com vários experimentos realizados por esse pesquisador e sua equipe, que mostraram que os laticínios fermentados podiam alterar o comportamento dos animais.

Os resultados sugeriam que o consumo de iogurte era capaz de mudar o funcionamento de certas partes do cérebro relacionadas com o controle emocional. Essas pesquisas abriram o caminho para novos estudos sobre a relação entre o intestino e a mente.

Bactérias do intestino

Por exemplo, descobriu-se que alguns tipos de bactérias intestinais (como os Lactobacillus, presentes em produtos lácteos) são capazes de modular a produção de alguns neurotransmissores. Alguns deles, como a serotonina ou o GABA, estão diretamente relacionados com nosso humor. Além disso, eles também intervêm na aparição dos transtornos mentais, como a depressão e a ansiedade.

A partir de todos esses dados, aumentou o interesse em investigar que tipos de bactérias têm um impacto mais positivo sobre o nosso cérebro. Além disso, os cientistas também têm tentando descobrir quais são os probióticos que podemos consumir para regular de modo mais efetivo nosso desenvolvimento.

Quais são os psicobióticos mais eficazes?

Ainda que existam centenas de substâncias que podemos tomar para melhorar a composição da nossa flora intestinal, as pesquisas a respeito disso mostraram que nem todas são igualmente efetivas como os psicobióticos. Pelo contrário, dependendo da substância, a eficácia para melhorar o funcionamento do nosso cérebro é muito diferente, e portanto também a influência o nosso humor.

Alguns dos psicobióticos que mais têm influência em nossa mente são os seguintes:

  • Kéfir.
  • Bananas e maças.
  • Alimentos fermentados.

Vamos descobrir um pouco sobre cada um deles:

1- Kéfir

Apesar de ser um alimento relativamente desconhecido, este psicobiótico ganhou bastante popularidade nos últimos anos. Trata-se de uma espécie de iogurte de origem búlgara. Ele é produzido por meio da ação de um conjunto de leveduras e bactérias muito benéficas para nossa saúde.

A principal diferença desse tipo de lácteo em relação ao iogurte convencional é que entre seus componentes há uma bactéria conhecida como Lactobacillus kefiranofaciens. Entre seus efeitos mais positivos está o aumento dos níveis de serotonina e triptofano, dois dos neurotransmissores que mais influenciam o nosso bem-estar emocional.

2- Bananas e maçãs

Todos conhecemos os efeitos benéficos das frutas e das verduras na nossa saúde física. Mas uma equipe de microbiólogos da Universidade de Yale nos Estados Unidos descobriu recentemente outra consequência positiva produzida pelo consumo desses alimentos. É a seguinte: certo tipos de vegetais podem melhorar a saúde de algumas bactérias fundamentais para o nosso bem-estar emocional.

Duas das frutas mais benéficas nesse sentido são as bananas e as maçãs. Descobriu-se que seu consumo pode melhorar os níveis de bactérias ácido lácticas (BAL) no intestino, que até então acreditava-se que só estavam presentes no leite e produtos derivados. Mais uma vez, esses micro-organismos exercem um papel fundamental na emissão de certos neurotransmissores que combatem a ansiedade e a depressão.

Maçãs e banana

3- Alimentos fermentados

Por último, um dos remédios clássicos para os problemas digestivos é o consumo de alimentos fermentados. Apesar de não serem muito populares no nosso país, em outros há diversos produtos fermentados que fazem parte da dieta, como o chucrute, o kombucha ou o vinagre. Muitas culturas têm o hábito de ingerir alimentos fermentados, e isso melhora a saúde da nossa flora intestinal.

Além disso, recentemente foi descoberto que esses alimentos também têm um papel importante no nosso humor, justamente por essa relação entre intestino e cérebro. Várias funções, como a regulação da absorção de nutrientes e a liberação de serotonina, são melhoradas com esses probióticos de forma que os mesmos podem ser grandes aliados na luta para melhorar o bem-estar.

Apesar de ser comum ver a mente e o corpo como dois elementos separados, a realidade é que ambos têm uma relação muito próxima. Comer ou tomar alimentos com propriedades probióticas pode ser uma das melhores maneiras de ter um humor mais positivo e agilizar o funcionamento de nosso cérebro.

Recomendados para você