A psicologia da música – A mente é maravilhosa

A psicologia da música

16, março 2015 em Emoções 21 Compartilhados

A música tem efeitos muito positivos para a mente. Podemos aplicar a psicologia da música para melhorar o nosso estado emocional.

A mente muda depois de escutarmos uma música, por isso ela pode chegar a ser uma ótima ferramenta para melhorar o estado emocional, é claro que, sempre que seja ouvido o som apropriado para cada estado de ânimo.

O que ouvir quando estamos tristes?

Todos sabemos que quando estamos tristes e decaídos, a melhor coisa seria ouvir música alegre ou canções com uma letra positiva, que nos anime, mas apesar de ser algo óbvio, muitas pessoas caem nessa de ouvir músicas dramáticas, tristes e negativas.

Eu me atreveria a dizer que todo mundo alguma vez, em algum dia triste, em vez de colocar um CD com músicas positivas, preferiu escutar canções mais pessimistas, tristes e dramáticas disponíveis na indústria da música.

Por que será que isso acontece? Porque nos deixamos levar pelo subconsciente. Quando estamos tristes, a mente quer uma maior dose de pessimismo, solicita música que esteja em sintonia com seu estado de ânimoNão ativamos a razão e somos influenciados pelos desejos do corpo.

Se ao contrário, você colocar uma música que considera que poderia ajudá-lo, conseguirá desfazer esses padrões pouco saudáveis. Se você estiver deprimido e triste, não se abata ainda mais. Não sejamos masoquistas e escolhamos em cada momento o que pode nos ajudar a melhorar as nossas emoções.

O que ouvir quando estamos contentes?

Quando estamos contentes, naturalmente vamos querer ouvir músicas alegres, animadas e positivas. Aqui o subconsciente nos leva a fazer isso sem a necessidade de ativar a razão.

Este tipo de música nos induzirá a manter e inclusive a aumentar a alegria e motivação que temos. Também pode acontecer que como nos sentimos bem, a nossa razão nos convença de que nada ruim acontecerá se ouvirmos canções tristes porque estamos contentes.

Se as coisas vão bem e estamos felizes, não acontecerá nada se ouvirmos canções tristes, mas sempre que seja com moderação e acabemos, como toque final, ouvindo algo mais energizante e esperançoso. Uma canção triste e negativa sempre diminuirá a nossa alegria e motivação.

Quando estivermos com um bom estado emocional e muito alegres, quase não vamos perceber que a alegria diminui ao ouvir músicas dramáticas, pois a balança vai pender para o lado das coisas boas da vida, mas se as coisas não vão bem e o seu positivismo está desmoronando, o que você vai conseguir ouvindo músicas tristes será ainda mais depressão.

O cérebro responde de forma automática

Quando as ondas da música penetram nos nossos ouvidos, automaticamente o cérebro responde seguindo o ritmo do som. Se for alegre, sentiremos a necessidade de mexer o corpo; nos ativaremos e o astral se elevará.

O mesmo acontece com a música relaxante e clássica, que é captada pelo ouvido e transformada pelo cérebro em sensações de paz, sedação, desativação, sempre que formos capazes de nos centrar exclusivamente no que estivermos escutando.

Diferentes estudos realizados no Massachusetts General Hospital (Hospital Geral de Massachusetts) e em diversos hospitais de Hong Kong, nos dizem que as pessoas que ouviam música diariamente durante uns 20 ou 30 minutos, tinham a pressão mais baixa, comparadas com aquelas pessoas que não a ouviam.

As batidas do coração sincronizam-se ao ritmo da música. Foi demonstrado que, com ondas rápidas, o coração se acelera e ante um ritmo lento, os batimentos cardíacos diminuem.

Ao ouvir uma música triste com mensagens dramáticas, o cérebro a transforma em tristeza, frustração, desânimo, apatia, melancolia, etc. Tudo depende das experiências atuais ou das que tenhamos atravessado, que serão vinculadas com o que estivermos ouvindo, e a partir daí se produzirá uma resposta ou outra.

Nem sempre é negativo escutar canções tristes, às vezes servem como aprendizado ou despedida; bem usadas, servem para encerrar etapas e conscientizar-nos dos erros cometidos.

Se as experiências negativas que tivemos foram superadas, não nos prejudicarão, e poderemos ouvir este tipo de canções como uma lição aprendida, como um canto ao que aconteceu. Se for realizado com moderação e aceitação, nem sempre será negativo.

E não somente ouvir a música produz efeitos muito positivos nas pessoas; se também cantarmos, estaremos duplicando os efeitos benéficos.

Se tiverem vontade, convidamos vocês a compartilhar as canções que os ajudarão a enfrentar os momentos mais difíceis, as que farão seus corpos vibrarem e as que levantarão o seu astral. Vocês se animam a experimentar os efeitos positivos da música?