Existe relação entre a voz e a personalidade?

11 Maio, 2020
Alguns terapeutas, como o psicólogo Alfred Tomatis, dizem que melhorar a voz tem um efeito positivo na personalidade. Ou seja, trabalhar a voz para melhorá-la poderia ser um caminho em direção a mudanças mais profundas no que diz respeito a características pessoais limitantes ou consideradas problemáticas.
 

Nos últimos anos foram desenvolvidos vários estudos que relacionam a voz e a personalidade. Aparentemente, a voz traz diferentes personalidades consigo. O psicanalista Malden Dolar sustenta que, através da voz, expressamos o ‘eu’ que queremos parecer, o ‘eu’ que ocultamos e inclusive um ‘eu’ que não conhecemos.

É necessário reconhecer que a voz tem um certo grau de independência. Nem sempre somos conscientes do que estamos transmitindo através dela. A voz esconde emoções e traços de personalidade. Ela os revela através do tom, da velocidade, da ressonância e de outros fatores que veremos a seguir.

Também há um processo inverno. Se pensarmos no lado do “ouvinte”, a voz é uma ferramenta muito útil na hora de julgar e fazer uma ideia imediata e inconsciente da pessoa que está na nossa frente.

São necessários apenas 390 milissegundos de voz para o ser humano fazer uma ideia da personalidade do seu interlocutor, e isso ocorre sem a pessoa se dar conta. Estes foram os resultados obtidos por Phil McAleer e seus colegas da Universidade de Glasgow. Esse fato parece obedecer fatores evolutivos que o ser humano desenvolveu para saber de imediato se pode ou não pode confiar em alguém.

 
Homem falando

O tom da voz e a sua velocidade

Em geral, o tom de voz é mais baixo diante de uma situação triste ou melancólica. Também falamos mais baixo quando estamos falando mais devagar. Ao contrário, subimos o tom de voz quando estamos felizes, mas também quando estamos nervosos. Nessas situações, há uma tendência a falar mais rápido.

Independentemente das situações, o tom de voz esconde alguns traços de personalidade mais importantes. As vozes graves costumam pertencer a pessoas mais enérgicas, seguras de si mesmas, inclusive autoritárias. Enquanto isso, as vozes agudas nos mostram pessoas mais dependentes, inseguras e com menos energia.

Também se sabe hoje que a fluidez verbal está relacionada com a rapidez mental. Se é muito rápida, pode esconder uma necessidade de ocultar dados, o que gera ansiedade e tensão. Se, pelo contrário, é muito lenta, nos transmite falta de interesse. Quando alguém tenta deliberadamente ocultar sua verdadeira personalidade, a velocidade fica pouco natural e há uma cadência regular até demais.

 

A ressonância e a articulação da voz

Estes são outros dos traços que podem nos dar muita informação sobre a personalidade e o estado emocional da pessoa: a ressonância e a articulação. Uma ressonância laringo-faríngea pode nos mostrar tensões, problemas com as emoções, e inclusive agressividade. No entanto, uma ressonância nasal está presente em pessoas mais afetivas. A ressonância oral é associada a personalidades narcisistas.

A articulação da voz tem relação com o relacionamento que é mantido com os demais. Quando é vaga ou imprecisa, pode projetar uma imagem de falsidade ou dizer respeito a uma má organização mental. Se é muito exagerada, talvez venha de padrões narcisistas de personalidade. Também sabemos que, na ausência de um problema orgânico, quando se tem interesse em ser compreendido e as ideias são claras, a articulação é bem definida.

Extensão vocal e intensidade

A extensão vocal é a quantidade de notas diferentes que uma pessoa é capaz de emitir. Está relacionada principalmente com a personalidade e também pode ser uma demonstração de emoções. Uma extensão vocal restrita denota rigidez de caráter, excesso de controle das emoções e pouco senso de humor. Se a extensão vocal é ampla, transmite alegria e empatia, mas se for ampla e descontrolada, indica uma falta de controle emocional

 

A intensidade da voz é o que mostra a relação da pessoa com os limites, tanto pessoais quanto em relação aos demais. Uma intensidade baixa costuma acompanhar uma falta de assertividade. Do mesmo modo, pode ser um sinal de vergonha ou culpa. Quando a intensidade é alta, pode corresponder a uma falta de controle sobre as emoções com muita energia, como a alegria ou a raiva.

Amigas tomando chá

Voz e personalidade

Vimos como as diferentes características da voz podem nos dar informações sobre a personalidade e a situação emocional de uma pessoa. A voz é um barômetro humano de ar. Cada vez que falamos, acionamos músculos que pertencem aos sistemas nervoso central e ao periférico, que incluem um nível de processamento afetivo-emocional.

Diz-se que os olhos são o espelho da alma, mas, como vimos neste artigo, a voz também pode ser um espelho, e não é menos valioso. Nesse sentido, também é interessante o trabalho de terapeutas como o psicólogo Alfred Tomatis, que sustentam que melhorar a voz tem um efeito positivo na personalidade. Ou seja, trabalhar a voz para melhorá-la poderia ser um caminho em direção a mudanças mais profundas no que diz respeito a características pessoais limitantes ou consideradas problemáticas.