A resistência ao trabalho autônomo

A resistência ao trabalho autônomo geralmente se deve à falta de autonomia e à intolerância à incerteza. Cruzar essas barreiras pode ser o início de uma vida profissional mais próspera e gratificante.
A resistência ao trabalho autônomo

Última atualização: 13 Março, 2021

Ter um trabalho autônomo é uma opção à disposição de qualquer pessoa que saiba realizar alguma atividade profissional. Porém, muitos são os que resistem a este tipo de opção, mesmo que estejam desempregados há muito tempo ou não tenham um rendimento que lhes permita viver com alguma tranquilidade.

Parece que o fato de pertencer a uma empresa já estabelecida e ter um chefe lhes dá mais tranquilidade, segurança ou bem-estar psicológico, apesar do seu trabalho não lhes oferecer realmente uma opção de se projetarem e alcançarem um maior equilíbrio econômico. Embora seja verdade que o trabalho autônomo envolve riscos, também é verdade que esses riscos são controláveis ​​e administráveis.

O aspecto positivo de ser autônomo é a possibilidade de decidir por si mesmo.
-Juan Ignacio Jiménez-

Parece que a relutância em ser autônomo tem mais a ver com certas percepções sobre o trabalho autônomo do que com possibilidades ou limitações reais. Isso é influenciado, sobretudo, por aspectos de ordem psicológica e cultural. Vamos examinar com mais detalhes.

Mulher preocupada com o trabalho

O dilema do trabalho autônomo

A decisão de trabalhar por conta própria implica a resolução de um dilema: autonomia vs. incerteza. Em geral, a maioria das pessoas aprecia a autonomia no trabalho. Geralmente, pensam que poderiam tirar mais proveito do trabalho, do seu tempo ou da própria vida se elas pudessem comandar a sua atividade. Gerenciar seus horários, decidir suas prioridades, etc.

Ao trabalhar por conta própria, você tem essa autonomia. Porém, por outro lado, o trabalhador também está exposto a grandes incertezas. Nenhum empreendimento é garantia de sucesso a longo prazo. Da mesma forma, à medida que se atinge uma maior independência, aumenta o nível de responsabilidade e o compromisso de decisão.

Este último aspecto talvez seja o que mais influencia a resistência à independência no ambiente de trabalho. É sempre mais fácil que outra pessoa decida e arque com as consequências das decisões. Também é mais fácil para outra pessoa carregar o fardo da incerteza. É preciso dizer que qualquer empresa, por mais sólida que seja, pode acabar mal. Isso inclui grandes indústrias, grandes bancos, etc.

A “segurança” do trabalho assalariado

O sonho de muitos é conseguir um bom emprego assalariado, em uma empresa forte que está prosperando e garante um futuro próspero de longo prazo. Esse esquema paternalista é uma opção a que apenas uma minoria da população tem acesso. Eles não são necessariamente “os melhores”, pois isso é influenciado por vários fatores aleatórios.

Quem vem de famílias ricas ou circula em círculos com muito dinheiro tem mais chances de conseguir um excelente trabalho assalariado devido aos seus contatos, e não necessariamente à sua formação ou talento.

Além disso, às vezes os mecanismos de seleção não são necessariamente operacionais. Por exemplo, uma empresa pode preferir pessoas mais jovens (ou mais velhas ou qualquer outra coisa) porque isso está de acordo com as suas políticas. Na verdade, alguém com um grande talento pode não se encaixar nesses critérios.

Portanto, procurar esse ótimo emprego pode ser uma opção muito limitada. Da mesma forma, mesmo que isso seja alcançado, a economia mundial é instável. A demissão de trabalhadores é uma das medidas mais comuns quando há uma crise. Na maioria dos empregos assalariados, também não há certezas definitivas.

O independente e o empresário

O independente e o empreendedor

É claro que, para ser empreendedor, você precisa de um talento específico. Nem todo mundo precisa ser um grande empreendedor para trabalhar por conta própria.

O empreendedor busca crescer, expandir, capitalizar. O autônomo não quer isso necessariamente. Em vez disso, ele está procurando gerar renda de forma independente. Esta é uma modalidade de negócio, mas não implica a constituição de uma nova empresa.

Idealmente, uma pessoa decide trabalhar de forma independente por prazer e convicção, não por necessidade. Infelizmente, muitos se deparam com essa opção somente depois de muito pesquisar e não encontrar o emprego dos seus sonhos. Esse é outro fator importante que implica resistência. Supõe-se que seja uma alternativa disponível apenas para um momento de precariedade, quando não é bem assim.

Às vezes, só aprendemos a nadar quando caímos no rio. Descobrimos então que este é um aprendizado definitivo e acabamos até gostando. O mesmo se aplica ao trabalho autônomo. É uma opção real, que pode abrir muitos caminhos.

Quando não temos emprego, mas ainda resistimos a começar um trabalho autônomo, seria bom nos perguntarmos se o que nos impede é o medo, o preconceito, ou a falta de confiança em nós mesmos.

Pode interessar a você...
Depressão por desemprego
A mente é maravilhosaLeia em A mente é maravilhosa
Depressão por desemprego

Quando uma pessoa começa a apresentar sintomas de depressão por desemprego, ela nem sempre toma a iniciativa de buscar ajuda especializada.



  • Morales, M. G. (2008). Análisis de las características que distinguen al trabajo por cuenta propia del empleo asalariado. Investig. Econ. la Educ., 3, 329-336.