Seduzir é uma arte

· agosto 26, 2015

O ato de seduzir foi associado a uma coisa enganosa ou, em algumas ocasiões, má. Mas, às vezes, ele é feito de forma inconsciente e involuntária, e, além disso, quase sempre com a finalidade de um benefício sentimental mútuo. De fato, amar alguém é estar seduzido por essa pessoa.

Para melhorar a nossa sedução diante dos outros é preciso saber o que fazemos e por que fazemos; que expressões nos causam incômodo e além disso, não trazem resultados.

o ato de seduzir

Os locais-chave para seduzir

No seu livro “A arte de amar”, o poeta Ovidio já dava algumas pistas sobre como encontrar a mulher amada e como conseguir o seu amor. Ele nos recomenda a prática da sedução em lugares específicos:

– Festas, teatros, foros, festas de comemoração, jantares, viradas do ano, etc.

Ovidio e Kamasutra, os clássicos da sedução, dão algumas recomendações de como conseguir o interesse da outra pessoa:

– Fazer agrados de valor (seja sentimental ou material).

– Não se contradizer nas primeiras reuniões.

– Sentar-se ou dançar próximo da pessoa.

– Se possível, organizar um encontro para que a pessoa saiba de antemão o nosso interesse.

o ato de seduzir

A sedução pode ser utilizada em vários âmbitos

– Seduzir para provocar o interesse dos outros por nós, despertar curiosidade, fazer com que os outros tenham vontade de nos conhecer, fazer com que se sintam bem em nossa companhia, que nos procurem e que nos amem…

Utilizar a sedução não só em bares e baladas; embora estes sejam bons lugares, podemos conhecer alguém interessante em qualquer outro lugar.

A sedução não é utilizada para conseguir um companheiro sexual ou relacionamento estável, mas também para mantê-lo. As pessoas nunca são iguais, elas mudam ao longo do tempo. Portanto, nem sempre desejamos a pessoa com a qual estamos. Além disso, o legal é ir descobrindo em cada dia a novidade que existe na outra pessoa.

Mas… o que é seduzir?

Seduzir significa causar interesse e transformá-lo em desejo. É conseguir que alguém se fixe em nós de forma positiva e com curiosidade. Trata-se de se instalar na sua imaginação de forma permanente, fazendo com que seu desejo de conhecer tal pessoa cresça a cada instante. Alimentar o desejo gerando a expectativa do possível. 

o ato de seduzir

E a aparência… é preciso ser bonito ou bonita?

Não é. De fato, algumas pessoas que têm uma boa aparência não cuidam de outros aspectos da sua personalidade, que se transformam em carências. 

Trata-se de potencializar as nossas virtudes e dissimular os nossos defeitos, mesmo que os aceitemos.

Mas só há uma oportunidade para uma primeira impressão:

– É preciso cuidar da higiene pessoal.

– Ter uma aparência viva e saudável.

– Fazer pequenas mudanças de imagem, se necessário.

O limite está em continuar sendo nós mesmos. Também podem ser adotados truques de outras pessoas, mas com a nossa personalidade. Não se trata de copiar ninguém, mas sim de ser a melhor versão de nós mesmos.

o ato de seduzir

E a linguagem corporal?

A foto de alguém pode nos atrair, mas somente a sua expressão corporal e a dinâmica do seu corpo nos provocarão atração ou desinteresse total. Isso está muito relacionado com o mundo inconsciente, e cada um de nós é atraído por modelos de comportamento concretos.

É preciso ter cuidado com a impulsividade e também com uma atitude muito passiva.

O que acontece se formos rejeitados?

Você pode continuar tentando se perceber que, talvez, a pessoa não estava muito receptiva e nem eram as circunstâncias adequadas.

Talvez as suas habilidades não estejam tão desenvolvidas quanto acredita. Talvez você tenha começado com metas muito agressivas, e não tenha tentado da forma adequada. Você deve considerar seus erros para não repeti-los. Deverá praticar mais.

Anderson (1968), contraditoriamente à visões simplistas do homem e da mulher, expõe que há características fundamentais nas pessoas com sucesso no amor. Ele fala que as pessoas mais apreciadas são sinceras, honestas, compreensivas, leais e dignas de confiança, enquanto as que são menos apreciadas são mentirosas, mesquinhas falsas, cruéis e desonestas.