Quais sentidos o ser humano desenvolve primeiro?

O desenvolvimento dos sentidos no ser humano não tem como ponto de partida o nascimento. Antes do parto, ocorre um processo incrível dentro do útero.
Quais sentidos o ser humano desenvolve primeiro?

Última atualização: 06 Dezembro, 2020

Durante as 40 semanas que um bebê passa crescendo no útero, seus sentidos começam a se desenvolver. Os bebês não estão apenas desenvolvendo adaptações físicas para depois do nascimento; eles também sentem o mundo ao seu redor desde o começo da gestação.

Esse incrível desenvolvimento dos sentidos forma a base da proximidade inicial do bebê com a mãe; o útero é, indiscutivelmente, o melhor ambiente para o desenvolvimento do feto.

O desenvolvimento dos sentidos durante a gravidez afeta, e muito, o desenvolvimento do cérebro. Neste artigo, veremos quais sentidos se desenvolvem mais cedo no feto, incluindo alguns dados que vão surpreendê-lo.

Bebê pegando dedo da mãe

Tato

O tato é o primeiro sentido a ser formado; seu desenvolvimento começa por volta de 8 semanas de gestação. O sentido do tato começa com o desenvolvimento dos receptores sensoriais na face, principalmente nos lábios e no nariz.

Durante os meses seguintes, os receptores táteis começam a se desenvolver em outras partes do corpo, como as palmas das mãos e as solas dos pés, com 12 semanas, e o abdômen com 17 semanas.

Por volta da vigésima semana, o feto pode experimentar sensações táteis por todo o corpo. A exceção é o topo da cabeça, que permanece sem sensibilidade até o nascimento.

No entanto, as avaliações cerebrais sugerem que os fetos não sentem dor antes de 30 semanas. É nesse período que as vias neuronais somatossensoriais terminam de se desenvolver. No entanto, em meados do terceiro trimestre, o bebê pode apreciar uma ampla gama de sensações, incluindo calor, frio e pressão.

Os sentidos do paladar e do olfato

Paladar e olfato são sentidos intimamente relacionados; o sentido do paladar é, na verdade, 90% olfato. Foi demonstrado que alguns sabores, como baunilha, cenoura, alho, erva-doce e hortelã, são transferidos para o líquido amniótico.

Paladar

As papilas gustativas de um feto começam a surgir na 8ª semana. No estágio de 13 a 15 semanas, os bebês já apresentam papilas gustativas semelhantes às dos adultos. Qualquer coisa que a mãe comer enquanto o bebê estiver no útero vai permear o líquido amniótico que o bebê consome.

Olfato

O olfato anda de mãos dadas com o paladar. Desde o dia em que o bebê nasce, consegue identificar sua mãe apenas pelo cheiro, principalmente pelo cheiro do leite materno.

Na verdade, se logo após o nascimento colocarmos o bebê em cima da mãe, ele vai se movimentar pelo seu tronco, guiado pelo cheiro do colostro, até chegar ao mamilo.

Audição

O sistema auditivo está totalmente desenvolvido na 20ª semana de gestação. Com 23 semanas, um bebê ainda no ventre pode responder a ruídos altos.

O bebê também pode identificar as vozes de membros da família que ouviu enquanto estava no útero. Bebês com audição normal também se assustam em resposta a sons altos. Bebês recém-nascidos também parecem preferir uma voz mais aguda, como a da mãe, do que uma voz mais grave, como a do pai.

Um estudo de 2014 com recém-nascidos prematuros mostrou que reproduzir uma gravação da voz materna quando o bebê chupava chupeta era suficiente para melhorar o desenvolvimento das habilidades de alimentação oral e diminuir o tempo de internação no hospital.

A voz da mãe acalma o bebê em situação de estresse, reduzindo os níveis de cortisol e aumentando os níveis de oxitocina, o hormônio do vínculo afetivo.

Visão

Embora a escuridão reine dentro do útero, a pele humana permite que alguma luz passe. Os pesquisadores descobriram que os fetos tinham uma probabilidade cerca de duas vezes maior de rastrear o movimento de padrões de pontos que se assemelhavam a rostos humanos. Este mesmo padrão de preferência foi demonstrado em bebês após o nascimento.

Isso sugere que a preferência por rostos humanos pode ser inata, e não simplesmente o resultado de experiências que ocorrem após o nascimento. Além disso, deixa claro que o feto responde ativamente ao mundo externo muito antes de entrar nele.

A visão no recém-nascido

Um bebê recém-nascido é muito míope; ele só consegue ver cerca de 20 a 30 centímetros à frente de seu rosto.

Os recém-nascidos não veem nem conhecem as cores como os adultos as veem. No caso das formas, eles não as distinguem até os seis meses de idade. Os olhos dos recém-nascidos são suscetíveis a luzes fortes, por isso eles fecham os olhos em vez de olhar para a luz. Com um mês de idade, um recém-nascido pode ver cores, mas muitas vezes prefere brinquedos e objetos em preto e branco.

Por volta dos sete meses, a visão de um bebê já amadureceu, ele desenvolveu sua coordenação olho-mão e percepção de profundidade para ser capaz de alcançar brinquedos fora da sua área imediata. Seu foco vai melhorar nos próximos dois a três anos, conforme seus olhos amadurecerem e puderem ver mais claramente.

Bebê mordendo brinquedos

Desenvolvimento dos sentidos após o nascimento

A evidência de um desenvolvimento sensorial precoce no útero abre a possibilidade de estimular o feto durante a gravidez. Faríamos isso modificando fatores como a ingestão alimentar materna ou a seleção de música ambiente.

No entanto, boa parte do desenvolvimento dos sentidos do bebê é concluída após o nascimento. Nesse sentido, a estimulação sensorial com maiores efeitos ocorrerá após o nascimento, quando o desenvolvimento cognitivo a acompanhar.

Pode interessar a você...
Como é a mente de um bebê?
A mente é maravilhosaLeia em A mente é maravilhosa
Como é a mente de um bebê?

Você já se perguntou como é a mente de um bebê? Trata-se de um assunto fascinante que vem sendo estudado rigorosamente há pouco tempo.