Ser amável é maravilhoso

Ser amável é ser tolerante, atencioso e empático consigo mesmo e com os outros. Descubra todos os benefícios dessa atitude.
Ser amável é maravilhoso

Última atualização: 08 Novembro, 2021

A bondade é uma qualidade que todos nós valorizamos e apreciamos nos outros. Amamos estar perto de pessoas positivas, compreensivas e amáveis que nos tratam com respeito e consideração. No entanto, esse também é um recurso raro e difícil de encontrar. Por que é tão difícil ser amável? Talvez porque não paramos para refletir sobre a importância disso.

Na verdade, raramente ouvimos um pai dizer que um dos seus objetivos é que o filho seja amável. Nem nós, adultos, fazemos um esforço para trabalhar essa característica. Estamos mais focados no sucesso, riqueza ou status quando, na realidade, são esses fios que tecem as relações humanas que têm o maior impacto positivo em nossas vidas. Portanto, hoje queremos lembrá-lo de como é maravilhoso ser amável.

O que é a bondade?

A bondade é um dos cinco grandes traços de personalidade definidos após uma extensa pesquisa psicológica. Vários autores constataram que os diferentes tipos de personalidade podem ser classificados basicamente em cinco dimensões (abertura à experiência, extroversão, responsabilidade, gentileza e neuroticismo) e de acordo com o grau em que cada indivíduo as apresenta.

Assim, a bondade é definida como a tendência da pessoa a ser altruísta, amigável, atenciosa e confiante. Pessoas gentis são tranquilas e calmas, humildes e simples; elas sentem uma grande empatia pelos sentimentos dos outros e estão dispostas a ajudar e fazer com que as pessoas ao seu redor se sintam confortáveis.

Como qualquer elemento da personalidade, isso se apresenta em um grau diferente em cada um de nós. Seja por herança genética, por fatores ambientais e educacionais ou por uma mistura de ambos, a verdade é que nem todos somos igualmente amáveis. No entanto, podemos trabalhar para nos desenvolver neste aspecto e, assim, alcançar os benefícios que isso nos proporciona.

A amabilidade é um bálsamo para o coração

Em primeiro lugar, quando somos gentis, adoçamos e facilitamos a vida das pessoas ao nosso redor. Um olhar compreensivo, uma palavra de conforto ou um sorriso conhecedor são capazes de iluminar o dia cinzento de outra pessoa. Todos nós já passamos por isso: a tristeza, a raiva e a decepção são aliviadas pelo calor humano recebido de parentes, amigos ou estranhos. Portanto, como você não conhece as lutas que o outro está travando, seja sempre gentil: sua atitude pode fazer a diferença no dia dele.

“Cada pessoa que você conhece está lutando com seus próprios problemas. Seja amável com elas. Você não será capaz de resolvê-los por elas, mas sua bondade pode ser o milagre que estavam esperando.”
-Anônimo-

Mãe e filha conversando sobre a amabilidade

Ser amável irá levá-lo para o lado mais brilhante da vida

Um dos aspectos mais positivos do exercício dessa qualidade é que ela beneficia todos os envolvidos. Sendo amáveis, não apenas tornamos a experiência da outra pessoa mais agradável, mas geralmente recebemos o mesmo em troca. Somos todos mais receptivos àqueles que nos abordam com cordialidade e respeito, e estamos mais dispostos a ajudar, sorrir de volta e ter uma interação positiva. Portanto, dê o primeiro passo.

Além disso, ser amável também contribui para o bem-estar psicológico. Ajuda-nos a focar nos aspectos mais agradáveis e afetuosos da vida. Esperamos o melhor dos outros e, por isso, somos mais capazes de perceber suas virtudes. Confiamos, compreendemos e olhamos com bons olhos e, ao fazê-lo, vivemos uma experiência muito mais positiva. Quem se distancia da amabilidade vive na hostilidade e na suspeita, e isso o magoa mais do que a qualquer outra pessoa.

“Quando você puder escolher entre estar certo ou ser amável, escolha ser amável”.
-RJ Palacio-

Comece com você

Se a amabilidade tem o poder de transformar o humor de uma pessoa, nosso dever é começar a aplicá-la com nós mesmos. Ser amável com os nossos erros, nossos medos e nossas deficiências é uma parte fundamental do amor-próprio. Aprenda a olhar para si mesmo com compaixão, a se acolher com gentileza e a se apoiar incondicionalmente; pare de ser seu crítico mais feroz e torne-se seu grande apoio, seu melhor amigo.

Chefe brigando com subordinado

Ser amável com quem menos merece é um ato de nobreza

Por fim, está claro que praticar a amabilidade nem sempre é fácil. Algumas pessoas respondem aos nossos bons gestos com dureza e ingratidão, e isso pode nos levar a querer pagar na mesma moeda. No entanto, você deve saber que quem menos merece a sua amabilidade geralmente é quem mais precisa dela. Portanto, quando alguém for hostil, grosseiro ou rude, tenha a coragem de responder de maneira educada. Não deixe que os outros decidam como você vai se comportar; a escolha é sua.

“Ser amável com alguém de quem você não gosta não significa que você seja hipócrita, mas que você é maduro o suficiente para tolerar isso”.
-Anônimo-

Para ser amável, é preciso trabalhar nisso

Em última análise, ser amável pode ser um desafio, especialmente em certas circunstâncias. Apesar disso, os benefícios derivados dessa atitude são tão grandes que vale a pena fazer um esforço para implementá-la no dia a dia. Apele à sua tolerância e compaixão e, em vez de levar algo para o lado pessoal, lembre-se de que somos todos humanos e podemos ter um dia ruim.

Pode interessar a você...
Uma criança amável é uma criança sadia
A mente é maravilhosa
Leia em A mente é maravilhosa
Uma criança amável é uma criança sadia

A criança amável tem muitas mais possibilidades de ser feliz e de entender que uma existência plena é muito melhor do que viver com medo, rancor ou...



  • ter Laak, J. (1996). Las cinco grandes dimensiones de la personalidad. Revista de psicología14(2), 129-181.
  • García-Álvarez, D., Hernández-Lalinde, J., Espinosa-Castro, J. F., Cobo-Rendón, R., & Soler, M. J. (2020). Virtudes y fortalezas del carácter en la adolescencia: medición, comparación y relación con bienestar psicológico. Archivos Venezolanos de Farmacología y Terapéutica39(4), 476-484.