Ser pai provoca uma mudança hormonal

01 Outubro, 2020
Alguns estudos têm mostrado que ser pai é uma experiência complexa e maravilhosa, causando grandes mudanças no homem, até mesmo hormonais.

Ser pai é uma experiência muito intensa para alguns homens, a ponto de se aproximar muito do que uma mulher vivencia ao ser mãe. Isso foi confirmado por diversos estudos realizados com pais que apresentaram alterações fisiológicas semelhantes às que ocorrem nas mulheres.

Esses estudos mostram que, biologicamente, os homens vêm ao mundo dotados de ferramentas para serem pais e desfrutarem dessa experiência. Podemos pensar que alguns não são dados a se envolver profundamente nesta situação maravilhosa devido à influência de fatores culturais.

Assim como ser mãe tem significados diferentes para uma mulher, os homens também têm muitas maneiras diferentes de lidar com a experiência de ser pai. A verdade é que a natureza preparou o terreno para que, em ambos os casos, a chegada de um filho seja algo gratificante e cheio de significado.

“Eu acho que se tornar pai muda inevitavelmente a sua perspectiva de vida. Eu não durmo o suficiente, e as coisas mais simples da vida são completamente satisfatórias”.
– Hugh Jackman –

Pai segurando filho recém-nascido

Ser pai provoca uma mudança hormonal

Uma pesquisa realizada pela Emory University e publicada na revista Hormones and Behavior investigou a relação entre a experiência de ser pai e as mudanças hormonais. Para isso, foi recrutado um grupo de voluntários com algo em comum: todos tinham filhos saudáveis com idades entre 1 e 2 anos.

Todos os participantes foram monitorados por meio de ressonância magnética funcional do cérebro. A cada um dos voluntários era mostrada uma fotografia de seu filho, juntamente com outra de uma criança e um adulto desconhecidos.

O experimento verificou que havia uma maior atividade neuronal nos sistemas cerebrais associados à recompensa e empatia quando esses pais viam as fotos de seus filhos. Isso se deve a um aumento na produção de oxitocina, o famoso “hormônio do amor”. Estudos anteriores mostraram que o mesmo acontece com as mães.

Esses dados corroboram as conclusões de outra pesquisa realizada em 2014 e publicada no PNAS. Ela ressaltava que os pais que se tornam os principais cuidadores de um bebê apresentam uma atividade cerebral muito semelhante à das mulheres que são mães.

Depressão pós-parto

A depressão pós-parto é um estado de tristeza, vazio e apatia que muitas mulheres experimentam após o nascimento de seus filhos. Estima-se que afete até 30% das mães e, em algumas delas, é tão notável que muitas vezes é confundida com uma psicose.

No entanto, um estudo publicado na revista Pediatrics liderado pelo Dr. Craig Garfield mostra outra situação. A pesquisa descobriu que um número significativo de pais também apresentava sinais de depressão pós-parto. Concluiu-se que esses traços eram mais visíveis nos pais que não moravam com os filhos do que naqueles que viviam próximos aos pequenos.

De acordo com a pesquisa, esses sintomas estão presentes em até 10% dos homens que têm filhos pela primeira vez. Além disso, foi estabelecido que, ao contrário das mães, nos pais, o equivalente à depressão pós-parto surge entre o terceiro e o sexto mês de vida do bebê.

Para a psicóloga canadense Francine de Montigny, que também pesquisou o assunto, um em cada dez pais sofre de depressão pós-parto. Na sua opinião, o que desencadeia esse quadro é o medo do fracasso como pai e a competição pela atenção e carinho da mãe.

Pai com bebê chorando no berço

A paternidade no mundo de hoje

A paternidade tem sido frequentemente desvalorizada, especialmente nas sociedades estritamente patriarcais. Existe a ideia de que ser pai é uma experiência mais associada ao afeto do que à responsabilidade. Nos últimos anos, muitos pais estiveram profundamente envolvidos na criação de seus filhos e provaram que é possível alcançar um equilíbrio nesse aspecto e sair da tradicional divisão de tarefas.

Os estudos citados neste artigo corroboram isso. Na verdade, eles provam que a experiência de ser pai causa mudanças hormonais positivas. O aumento da produção de oxitocina, observado no primeiro experimento citado, supõe a presença de um estado de espírito próximo ao que chamamos de felicidade.

No segundo estudo, que é sobre a depressão pós-parto, os fatores que influenciam não são tanto fisiológicos, mas psicológicos. A verdade é que eles estão aí e são tradicionalmente esquecidos. Ser pai é uma experiência maravilhosa que, se assumida totalmente, aumenta o bem-estar. Porém, percebe-se que os homens também precisam de apoio e compreensão para enfrentar essa bela experiência.

Mazzo, C. M. F., & Almeida, J. M. T. D. (2020). El significado de ser padre en la actualidad: un estudio en el enfoque gestáltico. Revista da Abordagem Gestáltica, 26(1), 26-37.