8 sinais que indicam que você é uma pessoa hipocondríaca

A hipocondria pode ser uma condição muito incômoda e incapacitante para o paciente. Você já se perguntou se sofre com isso? A seguir, explicamos alguns comportamentos com os quais você pode se sentir identificado.
8 sinais que indicam que você é uma pessoa hipocondríaca

Última atualização: 20 Setembro, 2021

De forma simplificada, a hipocondria é o medo ou a convicção de sofrer de uma doença grave com base na interpretação pessoal equivocada de sensações ou sintomas corporais. Uma pessoa hipocondríaca acredita que tem uma doença ao interpretar qualquer sintoma.

Todos tememos a possibilidade de adoecer ou pensamos o pior enquanto aguardamos o resultado de um exame médico no hospital. Então, quais seriam os sinais que permitiriam identificar uma pessoa hipocondríaca? Aqui estão 8 sinais que irão confirmar se, de fato, você é hipocondríaco:

1. Você tem um medo exagerado da dor ou da morte

Associa-se à hipocondria o medo exagerado de sentir dor ou morrer e, em alguns casos, também da própria fraqueza e da dependência dos outros.

Comprimidos em um livro

Precisamente, o medo é o que o faz procurar sinais do que teme para encontrar uma solução o mais rápido possível. Assim, diante do menor sinal, a angústia acaba gerando ansiedade e potencializando a dor/sintoma.

2. Um pequeno sintoma faz você pensar o pior

O sintoma que você detectou não passa despercebido. Você não considera a possibilidade de que seja algo neutro ou temporário, você vai direto para o câncer ou outra doença grave. Para uma pessoa hipocondríaca, a dor de cabeça pode ser devido a um tumor cerebral e a dor abdominal nunca é causada por gases, mas sim por cólica ou coisa pior.

3. Você já pensou que sofria de uma doença fatal muitas vezes em sua vida

Esse comportamento não é pontual. Se você é uma pessoa hipocondríaca, certamente tem uma preocupação crônica com as possíveis doenças que se desenvolvem em seu corpo. Descartar algumas delas não levará – infelizmente – a não se alarmar na próxima vez que notar um desconforto. Do ponto de vista médico, existe um prazo estipulado de seis meses a partir do qual esta doença pode ser diagnosticada.

4. Você visita muito o médico

A ideia pode te assustar, mas a única maneira que você encontra de descartar essas doenças potenciais é ir ao médico e, em caso de grande ansiedade, ir ao pronto-socorro. Assim, você acaba visitando o médico mais do que sua própria mãe.

5. O médico está errado e você está certo

Você pode gostar do médico, mas desconfia do seu diploma se, ao sair do consultório, a maldita dor reaparecer. Não importam os exames, nem o interrogatório a que você submete o profissional, após o qual ele garante que você não sofre da doença que tanto temia: você está certo e ele errado.

Mulher hipocondríaca lendo um livro sobre doenças

6. Você tenta se autodiagnosticar

Se a medicina ocidental não for capaz de confirmar a sua condição, você mesmo tentará fazer isso, por meio de explorações cuidadosas ou pesquisando suas doenças na Internet. Você pode medir a pressão, a temperatura, o pulso, consultar milhares de páginas, ler livros… com os quais você só terá mais angústia.

Em alguns casos, você pode desenvolver rituais ou comportamentos obsessivo-compulsivos com o objetivo de protegê-lo de possíveis infecções, como lavar as mãos repetidamente, evitar compartilhar copos ou talheres com outras pessoas ou limpar excessivamente.

7. Sua família e amigos não acreditam mais em você quando você lhes diz que está doente

Você não consegue entender, mas sua família e amigos pararam de acreditar que você realmente tem as doenças que diz ter. Você se sente incompreendido porque não está inventando nada.

Em particular, incomoda-o que digam que você está exagerando, ou que “Você está inventando história” quando realmente sofre das doenças que expõe.

8. Você pode acreditar que tem qualquer doença, menos a hipocondria

A grande contradição do hipocondríaco é que ele pode se convencer de que está desenvolvendo qualquer tipo de doença, mas sempre negará sofrer daquela que realmente sofre: a hipocondria.

Algumas chaves para superar a hipocondria

Se você concordou com a maioria dessas afirmações e sua vida esta sendo afetada emocionalmente, socialmente e/ou profissionalmente por esse tipo de preocupação, é possível que você seja uma pessoa hipocondríaca. Nesse caso, você terá interesse em saber quais são os tratamentos que costumam ser aplicados em pessoas com esse distúrbio psicológico para que parem de entrar em pânico e percam o medo da doença:

  • É proibido ir ao médico e também falar sobre doenças (ou saúde).
  • Técnica de exposição: aceite as sensações físicas e não as combata.
  • Trabalho de dessensibilização para a doença e a morte.
  • Aumente a autoestima e viva o presente.

Além disso, para enfrentar o pânico de ficar doente em uma determinada situação, aconselhamos:

  1. Reconheça que as sensações corporais que você experimenta quando está sobrecarregado são apenas reações comuns ao estresse em sua forma mais severa. Nestes casos, não se deixe levar por pensamentos catastróficos.
  2. Corte pensamentos invasivos sobre o que está acontecendo pela raiz. Quanto mais importância você der, mais pânico sentirá. Lembre-se de que são emoções que você pode controlar.
  3. Observe seu corpo no “aqui e agora” e remova da sua mente quaisquer pensamentos que contenham o que você teme que possa acontecer. Em vez disso, concentre-se e repita “aqui e agora, não há nada de errado comigo”.
  4. Dê tempo ao medo para ir embora. Não lute contra ele nem o force a sair imediatamente. Apenas respire, espere e deixe que desapareça gradualmente. Lembre-se de que a ideia é aprender a enfrentar o medo sem evitá-lo; portanto, cada crise representa uma oportunidade de progresso.
  5. Verifique se, quando você para de pensar em fatos assustadores, o medo se desvanece e desaparece por si mesmo.
  6. Quando você começar a se sentir um pouco melhor, olhe ao seu redor e planeje o que fará a seguir: é válido ligar para alguém para falar sobre isso, dar um passeio, tomar um sorvete, etc.
  7. Quando você voltar ao que estava fazendo, integre-se de maneira relaxada. Tenha consciência do obstáculo que acabou de ultrapassar. Parabenize-se por isso. Depois, com calma, identifique e reflita sobre o que mais o ajudou para que você repita na próxima vez.

Finalmente, lembre-se de que a ansiedade da doença age como uma planta que cresce ao falar sobre ela. Então, seja forte e não a regue! Tudo que você nega o submete, enquanto o que você aceita o transforma…

Pode interessar a você...
Como controlar os pensamentos hipocondríacos?
A mente é maravilhosa
Leia em A mente é maravilhosa
Como controlar os pensamentos hipocondríacos?

É possível controlar os pensamentos hipocondríacos? Como posso reduzir essa obsessão contínua de estar ciente das sensações do meu corpo?