Sintomas positivos e negativos da esquizofrenia

maio 9, 2019
Descreveremos os sintomas positivos e negativos da esquizofrenia como uma abordagem para uma das doenças mentais mais incapacitantes e devastadoras que existem.

A esquizofrenia é uma das doenças mais devastadoras que existem. Estima-se que aproximadamente 20 milhões de pessoas no mundo sofram com ela. Para diagnosticar alguém com esquizofrenia, o DSM-5 diz que dois ou mais sintomas característicos devem estar presentes; cada um deles deve perdurar pelo menos por um mês.

Esses sintomas são: ideias delirantes, alucinações, linguagem desorganizada, comportamento catatônico ou severamente desorganizado, e sintomas negativos como, por exemplo, embotamento afetivo ou alogia, que explicaremos mais adiante.

Para o diagnóstico, é necessário que o paciente veja a sua situação sóciolaboral afetada em uma ou mais áreas importantes da sua vida. Além disso, a alteração persiste continuamente por pelo menos 6 meses, e esse período pode incluir as fases prodrômicas e residuais.

Por outro lado, a esquizofrenia pode ser caracterizada de acordo com os seus sintomas predominantes. Assim, podemos dividir a doença naqueles casos que apresentam sintomatologia positiva e naqueles que apresentam sintomatologia negativa. No primeiro caso, os pacientes são reconhecidos porque os sintomas são muito marcantes ou chamativos. Podemos incluir aqui as alucinações, delírios ou alterações motoras. Estes são sintomas raros que chamam bastante a atenção.

Por outro lado, os sintomas negativos são aqueles que passam despercebidos por não serem tão extravagantes ou marcantes, mas têm um prognóstico pior.

Aqueles pacientes com sintomas negativos tendem a estar em maior risco de cronicidade, suicídio ou abuso de substâncias. Além disso, a deterioração em todos os níveis é muito mais acentuada do que em pacientes com sintomas positivos. A seguir, explicaremos os sintomas positivos e negativos da esquizofrenia.

Jovem com sintomas da esquizofrenia

Sintomas positivos da esquizofrenia

Os principais sintomas positivos associados à esquizofrenia são os seguintes:

  • Alucinações auditivas. São o tipo mais frequente de alucinação, embora também possa haver alucinações visuais, somáticas ou mesmo gustativas. Geralmente, são vozes que falam com o paciente ou o chamam de maneiras diferentes. As vozes podem ser masculinas, femininas, familiares ou desconhecidas. Menos comum do que as vozes seria ouvir ruídos como músicas ou cliques. Em algumas ocasiões, o paciente diz que ouve vozes falando umas com as outras, comentando sobre ele.
  • Ideias delirantes. Os delírios são histórias que o paciente comenta com grande convicção sem perceber que são o produto de sua própria mente; ao contrário do que aconteceria com ideias obsessivas, por exemplo. A modificação do delírio, portanto, é quase impossível por mais que tentemos convencer a pessoa de que o que ela está dizendo não tem lógica ou coerência.

Alguns tipos de delírios, dependendo do conteúdo, são: de perdas, que é o mais típico; de controle, quando o paciente acredita que uma força externa controla os seus pensamentos ou atos; de referência, quando eles acreditam que o que acontece ao seu redor sempre tem a ver com eles; de grandiosidade, religiosidade, culpa, ciúmes, etc.

Outros sintomas positivos

  • Alterações motoras. O comprometimento motor, além de ser um sintoma da esquizofrenia como doença, também pode estar associado ao uso de medicamentos. Isso produz acatisia ou inquietação motora, discinesia e sintomas extrapiramidais. São características da esquizofrenia do tipo catatônico. Alguns desses sintomas motores são: estupor, o paciente se isola do mundo exterior podendo até chegar ao silêncio absoluto. A inibição ou agitação motora, a catalepsia pela qual o paciente adquire posturas rígidas e estranhas; os maneirismos, que são gestos caricatos com falta de naturalidade ou estereotipias motoras.
  • Alterações da linguagem. São geralmente discursos fluidos, mas pobres em conteúdo. Alguns exemplos são os descarrilamentos ou associações pouco definidas em que o padrão de fala consiste em ideias que saem do curso, mudando para outra ideia sem relação alguma. Podemos também encontrar circunstancialidade, com a qual o paciente responde de forma indireta e cheio de detalhes, retardando assim a parte da mensagem que realmente quer transmitir. Neologismos – palavras inventadas pela pessoa – também são típicos, bem como a ressonância ou falar com palavras escolhidas de acordo com o seu som e não com o seu significado.
  • Comportamento extravagante. Os pacientes esquizofrênicos podem manifestar esse sintoma em relação às roupas; podem vestir um casaco de veludo cotelê no meio do verão. Também em relação ao comportamento social e sexual: se masturbar em público, falar sozinho na rua em voz alta, comportamento agressivo e agitado, ou comportamentos repetitivos.

Sintomas negativos da esquizofrenia

Os sintomas negativos, como dissemos anteriormente, não são tão espetaculares ou chamativos quanto os positivos, mas têm pior prognóstico. Com esses sintomas, os neurolépticos não são eficazes. Estão relacionados com as perdas neuronais no lobo temporal e o ‘giro para-hipocampal’. Eles são mais frequentes em homens e geralmente têm um curso crônico e irreversível. Alguns desses sintomas são:

  • Afeto embotado. Há um empobrecimento característico da expressão de emoções e sentimentos. Esta pobreza afetiva se manifesta em: expressão facial imutável, rosto sem expressão; na diminuição dos movimentos ou escassez de gestos; falta de contato visual, incongruência afetiva e falta de resposta; “sorriso estúpido” ao falar sobre um assunto sério e ausência de inflexões vocais. Falam de forma monótona, sem mudanças de tom ou volume.
  • Alogia. O pensamento é vazio, rígido e lento. Isso é inferido pela qualidade da linguagem ao se expressar. As respostas têm uma duração maior e demoram mais para responder ao que é solicitado. Quando isso acontece, o conteúdo é ruim.
  • Abulia e apatia. A apatia é a falta de interesse ou vontade de fazer alguma coisa. Os pacientes não conseguem começar sozinhos ou terminar tarefas diferentes. Pode se manifestar em aspectos comportamentais, como a higiene, o abandono de projetos ou ausência de iniciativa.
  • Anedonia e retraimento das relações sociais. O paciente esquizofrênico com sintomas negativos em muitos casos é incapaz de sentir prazer, além de evitar as relações sociais que poderiam lhe dar essa gratificação. Neste sentido, não há interesse em questões sexuais, intimidade ou proximidade com os outros ou em atividades recreativas.
Sintomas positivos e negativos da esquizofrenia

Conclusão

A farmacoterapia é atualmente o tratamento de escolha para a esquizofrenia. Além disso, foi provado que o tratamento psicológico adicional melhora a eficácia dos antipsicóticos.

O problema é que as medicações são eficazes quando o paciente apresenta sintomas positivos, pois atuam bloqueando os receptores dopaminérgicos D2 e inibindo a sua atividade, o que atenua alucinações e/ou delírios. Por outro lado, os medicamentos não só não melhoram os sintomas negativos, mas em alguns casos podem piorá-los. Portanto, mais pesquisas são necessárias nesse sentido.

  • Belloch, A., Sandín, B. y Ramos, F (2008). Manual de psicopatología. Volúmenes I y II. McGraw-Hill.Madrid
  • American Psychiatric Association (APA) (2014): Manual de Diagnóstico y Estadísitico de los Trastornos Mentales, DSM5. Editorial Médica Panamericana. Madrid.