Sobekneferu, a primeira rainha do Egito

maio 22, 2019
Sobekneferu foi a primeira rainha do Egito Antigo cujo reinado foi oficialmente confirmado. Sua vida e sua personalidade são dignas de estudo e de elogio.

Sobekneferu, também conhecida como Neferusobek, ou “as belezas de Sobek”, é a primeira rainha do Egito oficialmente classificada pelas pesquisas como governante do antigo império.

O termo aceito por convenção para se referir a uma rainha egípcia é mulher-faraó ou rainha-faraó. Sendo assim, essa é a forma correta de chamar uma rainha do Egito.

Como toda pessoa que lidera e abre caminho e, especialmente, como toda mulher que assume um papel normalmente atribuído unicamente a homens, a história de vida de Sobekneferu está cheia de surpreendentes e poderosos acontecimentos que servem de forte de inspiração.

Além disso, uma forte personalidade, determinação, um robusto intelecto e capacidade técnica foram necessários para que esta mulher pudesse governar um império, ao mesmo tempo próspero e complicado, já que havia classicamente estado nas mãos de faraós.

Estátua de Sobekneferu

Breve história de Sobekneferu, a primeira rainha do Egito

Sobekneferu foi a última governante da décima segunda dinastia, localizada temporalmente no final do Império Médio.

Era a mais jovem das filhas de Amenemhat III. Sua irmã mais velha, Neferuptah, pareceu demonstrar interesse pelo poder antes de Sobekneferu e, embora tenha sido destinada a ocupar o trono, faleceu antes de seu pai, sem chegar a herdar o trono.

Os egiptólogos atribuem um reinado de três anos e dez meses de duração a esta imperatriz. Durante este tempo, a rainha alcançou conquistas relativamente importantes relacionadas à arquitetura de sua nação: expandiu enormemente o complexo funerário de Amenemhat III (conhecido hoje em dia como o Labirinto de Herodoto) e promoveu relevantes construções em Herakleopolis Magna.

Nos registros de seu reinado que sobreviveram, nota-se que ela era uma mulher de disposição firme e atitude inabalável. Sua força de caráter, sua coragem e, principalmente, sua inteligência e cuidado com o reinado permitiram que ela fosse retratada na história como uma das governantes mais importantes do Império Egípcio.

O que essa rainha teve de especial?

Alguns dos traços mais característicos de Sobekneferu foram sua coragem e entrega, sobressaindo-se como uma honrada e respeitada governante em um universo de regentes masculinos. Entretanto, também se destacou pelo seu grande inconformismo com os padrões de gênero do momento.

Neste sentido, e por mais especulação que as representações de Sobekneferu vestida com trajes masculinos tenham gerado, a primeira rainha do Egito nunca deixou de empregar sufixos femininos em seus títulos. Algo com o qual nem todos os governantes egípcios estavam de acordo.

Em um esforço para normalizar o papel da mulher no mais alto poder e equiparar posteriormente os símbolos da feminilidade e da masculinidade, vários são os retratos e estátuas que a representam com roupas e ferramentas de poder (coroas e cetros), altamente incomuns.

Em um momento no qual, como muitos especialistas afirmam, o sexo feminino era, muitas vezes, considerado motivo de vergonha, não existe razão para pensar que Sobekneferu quisesse se fazer passar por homem.

Talvez, sua tendência de feminilizar a simbologia aceita como unicamente masculina tenha sido fruto de suas tentativas de apaziguar os críticos de seu reinado. Dessa forma, evitava abandonar o status de governante feminina.

Ruínas no Egito

Durante o Antigo Egito, a aspiração de qualquer rei era passar pela história como faraó no mais tradicional dos sentidos; algo que, necessariamente – por tradição cultural – implicava o emprego de certos símbolos de masculinidade.

Assim, a combinação de traços femininos e masculinos em suas aparições públicas pode ser explicada como um mecanismo para se impor como um faraó clássico e venerável, mas com a peculiaridade de ter sido mulher.

Embora o túmulo da primeira rainha do Egito ainda não tenha sido descoberto, podemos reconhecer que ela foi um exemplo de força e superação, e de luta pela igualdade de gênero.

Todos nós podemos ser reis, governantes de nossas vidas, dirigentes do nosso destino. Como Sobekneferu, a vontade inquebrável e a capacidade de luta são tudo o que precisamos para construir nosso lugar na história do mundo.