Sou viciado em trabalho, o que posso fazer?

setembro 12, 2019
Você acha que é viciado em trabalho? Você sacrifica a sua vida pessoal e familiar em favor do seu trabalho? Este artigo irá ajudá-lo a sair dessa situação e encontrar o equilíbrio em sua vida.

Ser viciado em trabalho, um termo que também é conhecido como “workaholic”, é uma expressão que define algumas pessoas. Embora a priori isso possa ser visto como uma vantagem, uma vez que elas trabalham e produzem mais, pode trazer muitos problemas para suas vidas pessoais.

O viciado em trabalho se torna uma pessoa muito intensa que procura cumprir as suas responsabilidades profissionais de maneira compulsiva. Portanto, ele é incapaz de manter um equilíbrio entre a sua vida pessoal e o seu trabalho.

O estresse no trabalho

O alimento do viciado em trabalho

Ser apontado como viciado em trabalho não é algo desaprovado pela sociedade. O sacrifício pessoal relacionado a passar um tempo de qualidade com a família, os filhos e o companheiro é aprovado com a desculpa de estar buscando o melhor para eles.

Isso é um problema, pois geralmente é uma das desculpas que um viciado em trabalho dá. “Faço isso por vocês” é uma das frases que ele mais repete.

Não importa se ele está doente, se está de férias ou se o horário de trabalho é limitado a 8 horas. O viciado faz horas extras, vai trabalhar mesmo quando está muito mal e, se puder, se recusa a sair de férias.

Por tudo isso, muitas pessoas viciadas em trabalho tendem a ser ‘freelancers’. Assim, eles podem trabalhar a quantidade de horas que desejarem e não tiram férias. Esquecem completamente a sua vida social e familiar. Os relacionamentos ‘esfriam’ porque o trabalho é tudo para eles.

“Tornei-me viciado em trabalho a ponto de colocar a minha saúde em perigo”.
– Tab Hunter –

Dicas para o viciado em trabalho vencer seu vício

Ser viciado em trabalho traz consequências negativas para a saúde. Portanto, é conveniente que as empresas implementem uma série de medidas quando detectam que um trabalhador passa muito tempo na empresa fazendo horas extras que não lhe correspondem.

Aconselhamento e psicoterapia

A primeira dica para um viciado em trabalho é a busca de aconselhamento e o início de um tratamento psicoterapêutico. Será benéfico apostar em uma abordagem cognitivo-comportamental que incentive mudanças na vida diária da pessoa.

Também é recomendável que o viciado execute as seguintes ações:

  • Participar de workshops onde possa trabalhar as suas habilidades emocionais.
  • Aprender técnicas para gerenciar o estresse que sente quando não está trabalhando.
  • Participar de grupos de apoio com colegas que estão na mesma situação.
  • Entender as razões pelas quais busca refúgio no trabalho.

Terapias familiares

É necessário que a família se envolva e participe de terapias juntamente com o trabalhador, para que ele possa evoluir e melhorar. A razão é que esse vício causa uma dinâmica doentia no núcleo familiar, onde as discussões são frequentes.

A incompreensão do seu ambiente pode fazer com que o viciado busque ainda mais refúgio no trabalho para escapar dos problemas que surgem em sua casa. Por esse motivo, as terapias familiares são indispensáveis.

O viciado em trabalho precisa aprender uma das lições mais valiosas: saber dizer “não”.

Mulher viciada em trabalho

O papel das empresas

Embora o indivíduo deva realizar um trabalho pessoal no qual a psicoterapia e as terapias familiares sejam importantes, as empresas também possuem um protocolo de ação no momento em que detectam que um trabalhador faz mais horas do que as estipuladas em seu contrato.

Algumas das estratégias para limitar o excesso de trabalho ao qual o viciado tende são redesenhar posições, flexibilizar horários, fazer pausas e promover o trabalho cooperativo. Da mesma forma, não recompensar aqueles que trabalham mais.

Você acha que é viciado em trabalho? Você não tem tempo para a sua família e os seus amigos? Se a resposta para essas duas perguntas for “sim”, recomendamos que você procure orientação.

No caso de você ser um viciado em trabalho, existem diferentes maneiras de recuperar o equilíbrio em sua vida.

Talvez o seu trabalho tenha se tornado o seu refúgio porque você está agoniado com a ideia de ficar sem dinheiro. Ou, talvez, seja uma maneira de escapar das discussões em sua casa. Seja como for, existe uma solução para isso.

Todo vício é um problema e, mesmo que você o evite, é necessário resolver o que o leva a cair nele.

  • del Líbano Miralles, M., Soria, M. S., Schaufeli, W. B., & Gumbau, S. L. (2006). Adicción al trabajo: concepto y evaluación (I). Gestión práctica de riesgos laborales: Integración y desarrollo de la gestión de la prevención, (27), 24-30.
  • Quiceno, J., & Vinaccia Alpi, S. (2007). LA ADICCION AL TRABAJO “WORKAHOLISM”. Revista Argentina de Clínica Psicológica, XVI (2), 135-142.
  • Schaufeli, W. B., Soria, M. S., Gumbau, S. L., & del Líbano Miralles, M. (2006). Adicción al trabajo: acciones preventivas (II). Gestión práctica de riesgos laborales: Integración y desarrollo de la gestión de la prevención, (28), 18-24.