O que é a supervisão psicoterapêutica?

20 Junho, 2020
A supervisão psicoterapêutica não envolve apenas revisar o caso de intervenção, mas também abrange o mundo interno do terapeuta que está sendo analisado.

A supervisão psicoterapêutica é essencial para os estudantes de psicologia que estão estagiando, bem como para os primeiros passos de muitos outros profissionais. O objetivo dessa supervisão é de que os erros que o profissional pode cometer pela sua falta de experiência possam ser corrigidos antes que tenham consequências. Além disso, oferece uma abordagem mais gradual e um apoio muito valioso em situações nas quais a responsabilidade é muito grande.

Trata-se de uma parte do processo que é indispensável na formação psicoterapêutica. Como dissemos antes, é muito recomendada para iniciantes, o que não significa que os especialistas também não possam se beneficiar dela. Embora a experiência nos ajude a sermos profissionais melhores, ela não nos livra da necessidade da supervisão psicoterapêutica em alguns casos.

Falaremos sobre a supervisão psicoterapêutica ao longo deste texto. Passo a passo, descobriremos o que ela significa e qual é a sua importância para estudantes e profissionais. Além disso, falaremos sobre os benefícios de ter uma supervisão psicológica em diferentes contextos. Vamos começar!

Como funciona a supervisão psicoterapêutica?

A supervisão psicoterapêutica consiste na presença de um profissional especialista que tem capacidade para avaliar o andamento da terapia e o comportamento da pessoa supervisionada em sua atividade profissional.

Dessa forma, o supervisor faz uma análise constante das intervenções que o terapeuta realiza ou deixa de realizar. Para isso, inclui a exploração de aspectos do mundo interior da pessoa que ele supervisiona. Assim, explora sua cognição, seu comportamento e sua parte afetiva.

Sessão de terapia

Do ponto de vista psicanalítico (ramo da psicologia em que a supervisão tem um peso importante), durante a intervenção realizada pelo supervisionado, o supervisor:

  • Analisa o conteúdo da sessão.
  • Avalia a transferência e a contratransferência.
  • Explora as estratégias usadas pelo terapeuta.
  • Orienta o terapeuta quanto ao conteúdo prático e teórico.
  • Atua como suporte e estrutura.
  • Ouve e observa de forma ativa.
  • Incentiva o supervisionado.
  • Faz comentários.
  • Explora as hipóteses do supervisionado e as desafia.
  • Favorece o aprendizado.

Esse processo pode ocorrer tanto com estudantes quanto com profissionais. Vamos ver:

Em estudantes

A supervisão é trabalhada como parte da formação para que a pessoa aprenda como a psicoterapia é realizada. Para fazer isso, o supervisor decide quando é apropriado que o aluno comece a realizá-la. Além disso, intervém se for necessário. Para evitar as consequências de possíveis erros, os alunos recebem casos de menor risco, tanto para o paciente quanto para o estudante. Assim, o supervisor poderá dar uma margem maior ao supervisionado sem intervir.

A supervisão pode ocorrer de diferentes maneiras:

  • Online. Com as novas tecnologias, existem grandes mudanças que podem se traduzir em benefícios. Nesse caso, a supervisão terapêutica pode ser realizada por meio de ferramentas como o Skype.
  • Presencial, em câmara de Gesell. Este é um recurso usado na psicologia para que outras pessoas possam observar uma intervenção sem que a sua presença a condicione. Na sala ou câmara de Gesell, há um espelho opaco de um lado e transparente do outro, para que o supervisor possa ver o que o terapeuta está fazendo sem participar pessoalmente da intervenção.
  • Presencial após ter realizado uma intervenção. O supervisionado relata o que aconteceu e o supervisor faz o seu trabalho.

Em profissionais

Os profissionais podem usar a supervisão para crescer em seu trabalho. Por exemplo, para entender o que acontece na terapia, quando não estão confortáveis, quando não sabem o que fazer, etc. Isso permite que eles vejam sua intervenção a partir de uma perspectiva diferente e saibam quais passos seguir.

Além disso, algumas especialidades exigem a supervisão, como é o caso da psicanálise. Essa área sugere que o futuro psicanalista tenha sido psicanalisado e, na sua análise, ele pode falar sobre o produto residual que permanece no analista derivado das intervenções que ele realiza.

Benefícios da supervisão psicoterapêutica

A supervisão terapêutica traz grandes benefícios. Vejamos alguns deles:

  • Incentiva a análise.
  • Facilita o processo que o paciente vive.
  • Integra conhecimentos.
  • Contribui para o trabalho do profissional.
  • Proporciona um ponto de referência.
  • Enriquece a prática psicoterapêutica.
  • Exibe pontos de vista diferentes.
  • Favorece o autoconhecimento.
  • Incentiva o autocuidado.
  • Ajuda a aliviar a tensão.
  • Aumenta a empatia.
  • Protege o paciente e o terapeuta.
  • Permite rever conceitos.
  • Favorece a aprendizagem experiencial.
Supervisão psicoterapêutica

Apesar de tudo isso, precisamos destacar que há uma certa controvérsia em torno da supervisão. Assim sugere o doutor Héctor Fernández Álvarez em seu artigo. O autor comenta que “os resultados apresentados pelas pesquisas ainda não são suficientes para provar empiricamente que a supervisão, da forma como tem sido usada até agora, ajude a aumentar os benefícios da psicoterapia”. No entanto, muitas das áreas dedicadas à psicoterapia não participaram dessas pesquisas, e isso não anula a sensação subjetiva com a qual as pessoas que se submetem à supervisão podem contar.

Por outro lado, é preciso destacar que a supervisão é um processo ativo no qual o conhecimento é construído. Esse processo favorece o supervisionado, pelo seu aprendizado, e o supervisor, porque está em constante treinamento para poder fornecer uma revisão adequada.

Agora, como encontrar uma boa supervisão? Se você for um estudante, possivelmente na sua universidade há alguém responsável por desempenhar esse papel. Se você é um profissional, pode entrar em contato com colegas que tenham mais experiência. Você pode até procurar opções de supervisão online; existem vários profissionais que a oferecem.