Técnicas de intenção paradoxal, um caminho para a mudança

novembro 12, 2019

As técnicas de intenção paradoxal foram propostas por Viktor Frankl, o pai da logoterapia. O compromisso básico dessa perspectiva é diminuir o sofrimento causado por certos comportamentos através do humor e do paradoxo.

Um paradoxo é configurado quando existem dois elementos mutuamente excludentes que, no entanto, coexistem. Embora possa não parecer à primeira vista, os seres humanos se movem constantemente dentro da estrutura do paradoxal.

Nós amamos e odiamos a mesma pessoa. Nós avançamos e retrocedemos simultaneamente.

“O homem é filho do passado, mas não seu escravo, e é pai do futuro”.
– ViktorFrankl –

Além disso, na terapia, as técnicas de intenção paradoxal levam as pessoas a assumirem os seus problemas através de uma lógica aparentemente contraditória. Segundo vários estudos, essas técnicas são muito eficazes, embora exijam grande habilidade e experiência do terapeuta.

Vejamos do que se trata com mais detalhes a seguir.

O medo e a intenção paradoxal

Viktor Frankl dizia que o objetivo principal das técnicas de intenção paradoxal era “atenuar os medos individuais dos pacientes”. De acordo com a sua perspectiva, um medo patológico deve ser substituído por uma intenção ou desejo paradoxal.

Isso basicamente se aplica àqueles que sofrem de ansiedade severa. Nesse caso, a pessoa não tem um medo específico, mas teme o próprio medo.

Esse medo patológico leva ao bloqueio. A pessoa teme o fracasso naquilo que deseja alcançar, pensa obsessivamente nesse medo e isso a leva ao fracasso. Assim, é criado um círculo vicioso que pode ser quebrado com as técnicas de intenção paradoxal.

O que se busca com a intenção paradoxal é que a pessoa deseje o que teme. Por exemplo, um gago pode ser solicitado a gaguejar o máximo possível. Deixe-o fazer isso na frente dos outros e não pare até que ele faça todo mundo rir. Paradoxalmente, isso o levará a parar de gaguejar em muitas ocasiões.

Menina sentindo medo intenso

As técnicas de intenção paradoxal

A primeira coisa que se pede para alguém que trabalha com a intenção paradoxal para superar um problema é interromper o seu desejo de controlar ou alterar os seus sintomas.

Dessa forma, ele é encorajado a deixá-los aparecer deliberadamente e, se possível, exagerá-los. É muito importante que a pessoa desista de controlar o que acontece com ela e que esteja disposta a aumentar os seus sintomas.

O próximo passo é aplicar técnicas de intenção paradoxal, que são basicamente as seguintes:

  • Prescrição do sintoma: é o procedimento mais comum. A pessoa é solicitada a provocar voluntariamente os seus sintomas. Isso se aplica a pessoas que afirmam não ter controle sobre nenhum aspecto de si mesmas.
  • Restrição paradoxal e contenção de mudança: consiste na proibição de todos os comportamentos que levam à mudança ou melhora, oferecendo uma visão pessimista sobre os seus problemas. É indicado para pessoas que estão bloqueadas.
  • Mudança de postura: tem a ver com assumir uma leitura absolutamente catastrófica do paciente, exagerando os seus problemas e defeitos. Essa técnica é indicada para quem reclama muito ou é desafiador.
  • Programação de recaídas: a pessoa é induzida a recorrer voluntariamente ao comportamento que deseja erradicar. Procura eliminar a ideia que o paciente tem sobre a sua capacidade de controlar as circunstâncias.
  • Confusão e interferência: tem a ver com se expressar de maneira desordenada quando a pessoa fala sobre os seus problemas de forma parcial e confusa. Isso o encoraja a ser mais preciso ao descrever o que acontece com ele.
  • Antecipação de resultados e utilização do paciente: consiste em determinar a sequência do comportamento problemático por meio de autorregistros, e em exagerar a dificuldade que o paciente terá para alterar essa sequência.
Sessão de terapia envolvendo técnicas de intenção paradoxal

A eficácia das técnicas

As técnicas de intenção paradoxal são basicamente indicadas para quem tem uma alta expectativa de fracasso diante do que propõe, ou uma baixa capacidade de reconhecer os seus recursos para enfrentar dificuldades.

São úteis principalmente para aqueles com grandes cargas obsessivas ou fobias difíceis de resolver que, em ambos os casos, geram muita angústia.

Na prática, ficou comprovado que essas técnicas são bastante eficazes. No entanto, as razões exatas pelas quais isso ocorre ainda são desconhecidas. Os mecanismos que dão efetividade a esse tipo de terapia ainda não são bem conhecidos.

Moinhos de borboletas

As técnicas de intenção paradoxal são usadas em diferentes tipos de terapias. No entanto, a principal dificuldade é que elas exigem uma grande habilidade do terapeuta. Se não for assim, o paciente acaba vendo essas técnicas como uma manipulação comum, da qual ele não quer fazer parte.