A terapia breve estratégica de Giorgio Nardone

A terapia breve estratégica surge como uma alternativa às terapias longas que não alcançam resultados. Nessas linhas, vamos explicar do que se trata.
A terapia breve estratégica de Giorgio Nardone

Última atualização: 20 Julho, 2021

A terapia breve estratégica de Giorgio Nardone surge como uma alternativa às longas terapias que não alcançam um resultado efetivo no curto prazo. Ela tem foco no presente, no aqui e agora. É um modelo inovador de psicoterapia que busca novas soluções que até então não haviam sido aplicadas, por isso se concentra mais nas soluções do que no problema.

A terapia breve estratégica nasceu no Mental Research Institute de Palo Alto (MRI), um instituto que se dedica ao estudo da psicoterapia. Giorgio Nardone, psicólogo e terapeuta italiano, membro do MRI, desenvolveu a psicoterapia breve estratégica e foi reconhecido internacionalmente como o maior expoente dos pesquisadores que promoveram a evolução da Escola de Palo Alto nos últimos anos.

Nardone é autor de inúmeras obras que se tornaram referências teóricas e práticas, razão pela qual a terapia breve estratégica de Giorgio Nardone é considerada uma referência para o trabalho da psicoterapia. Por esse motivo, muitos profissionais realizam suas intervenções psicoterapêuticas a partir dessa modalidade de psicoterapia.

Homem fazendo terapia

Primeiros anos

Giorgio Nardone formou-se na Universidade de Siena, onde liderou um projeto de pesquisa em psicologia clínica e modelos de psicoterapia. Foi nesse momento que se interessou pelos trabalhos produzidos pelo grupo do Mental Research Institute (MRI) de Palo Alto. Tanto que ele conseguiu uma bolsa de formação para observar diretamente o trabalho clínico que o local desenvolvia, sob a supervisão de Paul Watzlawick e John Weakland.

Em 1985, iniciou seu projeto de pesquisa sobre a intervenção nos transtornos obsessivos e fóbicos. Passou a desenvolver técnicas inovadoras para o tratamento de fobias e obsessões, áreas da patologia pouco exploradas pelo modelo tradicional do MRI.

Este foi o primeiro de vários trabalhos que desenvolveu com Paul Waltzlawick. Com base em sua pesquisa, Nardone começou a desenvolver uma terapia breve estratégica baseada no trabalho que até então havia sido feito por membros do grupo do MRI.

Ao longo de sua carreira, Nardone publicou vários artigos em revistas especializadas e vários livros dedicados ao público em geral sobre terapia breve estratégica, que foram traduzidos para mais de cinco idiomas. Seu sucesso e envolvimento foram tão grandes que, em 1987, fundou o Centro de Terapia Breve Estratégica de Arezzo junto com Watzlawick, uma referência no estudo da psicoterapia na Europa.

A terapia breve estratégica

Se concentra no aqui e agora

Nesse tipo de terapia, o passado é utilizado apenas para descobrir o que não deu certo e tomá-lo como referência para o presente, que é o objetivo da intervenção. Nesse sentido, o terapeuta se concentra no aqui e agora e no que está acontecendo neste exato momento.

A causalidade circular em uma determinada situação

Toda pessoa está dentro de um sistema junto com outras pessoas, e elas estão em um processo contínuo de influências. Uma vez desencadeado esse processo circular, não há começo nem fim, mas um sistema de influências recíprocas.

Da mesma forma, cada comportamento de cada pessoa afeta outras pessoas e vice-versa, por isso é considerado “circular”, pois é um círculo de influências contínuas.

Terapia focada na resolução de problemas

O terapeuta faz uma análise das soluções experimentadas pelo paciente, as que ele já aplicou e as que não deram certo. Essas tentativas de soluções disfuncionais são analisadas a partir da base teórica de Watzlawick, que afirma que as soluções que não resolvem o problema o mantêm.

Portanto, o objetivo da terapia breve estratégica é localizar soluções que não sirvam como forma de encontrar alternativas e novas soluções que ajudem a eliminar o problema.

“Se você está procurando resultados diferentes, não faça mais do mesmo.”
-Einstein-

Terapia em um curto período de tempo

Parte-se da ideia de que, embora o problema já tenha surgido há muito tempo, o tratamento não precisa ser longo, mas será breve e focado em soluções.

Em suma, as psicopatologias podem ser persistentes ou causar desconforto por muitos anos, mas esse fato não significa que a terapia deva ser complicada e demorada. O número de sessões varia entre 1 e 40 e a média fica entre 6 e 20 sessões, por isso é considerada “breve”.

Mulher fazendo terapia

O paciente assume um papel ativo

O paciente é aquele que descobre seus próprios recursos e estratégias e o terapeuta é quem o ajuda a descobri-los. Portanto, a ideia de paciente passivo e terapeuta ativo liderando a sessão é abandonada.

O terapeuta usa a comunicação estratégica passivamente para chegar ao ponto que é necessário na terapia para que o paciente encontre alternativas para mudar por conta própria.

“A abordagem estratégica em psicoterapia pode ser definida como a arte de resolver problemas humanos complexos por meio de soluções aparentemente simples”.
-Giorgio Nardone-

Aplicações da terapia breve estratégica de Giorgio Nardone

A terapia breve estratégica é ​​aplicada principalmente em transtornos alimentares (TAs), transtornos da sexualidade (disfunção erétil, ejaculação precoce, transtornos do desejo), transtornos do humor, ansiedade e problemas de relacionamento de famílias e casais.

Até o momento, existem evidências científicas que demonstram a alta eficácia da terapia breve estratégica, uma vez que é validada empírica e cientificamente (Nardone, 2015; Pietrabissa, Gibson, 2015; Nardone, Salvini, 2014; Castelnuovo et. Al. 2011; Watzlawick, 2007).

Pode interessar a você...
Terapia breve estratégica para os ataques de pânico
A mente é maravilhosaLeia em A mente é maravilhosa
Terapia breve estratégica para os ataques de pânico

A terapia breve estratégica para os ataques de pânico é altamente eficiente. Este modelo de intervenção psicológica ajuda a encontrar soluções prát...



  • Nardone G., Watzlawick, P., (2005). Terapia Breve Estratégica. Rowman & Littlefield Publishers Inc, MD, EE.UU.
  • Nardone G. Conocer a través del cambio: la evolución de la terapia breve estratégica. Herder: Barcelona, 2006.
  • Nardone G. Problem Solving Estratégico: el arte de encontrar soluciones a problemas irresolubles. Herder: Barcelona, 2010.