Teste de psicologia do casal (ou das duas pessoas)

dezembro 4, 2019
O teste do casal ou das duas pessoas é um interessante instrumento projetivo que pode nos informar sobre várias coisas. A mais importante é descobrir qual tipo de vínculo as duas figuras mantêm e a sua qualidade.

O teste de psicologia do casal (ou das duas pessoas) é um teste projetivo. Sua finalidade é detectar a identidade e o tipo de vínculo estabelecido entre duas pessoas.

Paralelamente, por meio desse teste, é possível perceber fatores, como as ansiedades, os desejos subjacentes ou fantasias e, inclusive, possíveis conflitos latentes em uma relação, seja de casal, familiar, amizade, etc.

É um dos instrumentos projetivos mais interessantes e, ao mesmo tempo, complexos quando se trata de sua avaliação. Não estamos diante do clássico teste do desenho, como o teste da árvore ou o teste da família.

Nesse caso, estamos diante de um exercício no qual a pessoa avaliada deve realizar dois tipos de tarefas. De um lado, um desenho e, de outro, a criação de uma história.

Os dados que podemos obter desse tipo de instrumento podem ser muito reveladores, desde que a pessoa colabore, é claro. Por vezes, a idade do paciente ou até mesmo a presença de um transtorno mental pode dificultar a realização ideal desse teste.

No entanto, sua aplicação costuma se limitar, na grande maioria dos casos, ao âmbito dos relacionamentos. Geralmente, a informação obtida é, no mínimo, interessante. Vamos analisar mais informações sobre esse assunto a seguir.

Desenho de um casal abraçado

Teste de psicologia do casal (ou das duas pessoas): finalidade, aplicação e interpretação

O teste de psicologia do casal (ou das duas pessoas) foi um teste criado por Douglas Bernstein em 1964. Para sua elaboração, foi tomado como base o teste da figura humana de Manchover.

Este último instrumento tinha a finalidade de avaliar conceitos como a autoestima, a visão de si mesmo, fatores de personalidade, medos, desejos, traumas, etc.

No entanto, se Bernstein publicou seu teste do casal ou das duas pessoas, foi por um motivo muito específico. Ele desejava possuir um instrumento projetivo com o qual pudesse avaliar o fator relacional.

Desse modo, poderia avaliar como um indivíduo vê e vive seu vínculo com outras pessoas significativas em sua vida.

São avaliados, portanto, aspectos conscientes e inconscientes, porque, além do desenho, esse teste exige a criação de uma história sobre essas duas figuras que materializamos em uma folha.

Assim, traçamos algo que define, em muitos casos, uma boa parte de nossas vidas: as narrativas. Cada pessoa cria sua realidade com base em uma narrativa à qual ela mesma dá sentido, para o bem ou para o mal.

Às vezes pode ser real e, em outras, pode se apoiar em ideias distorcidas, falsas, ou até mesmo inventadas como resultado de algum mecanismo de defesa.

Vamos conhecer mais aspectos do teste de psicologia do casal.

O que o teste de psicologia do casal avalia?

Esse teste avalia as relações diádicas. Quando o teste é aplicado, o objetivo é fazer a pessoa representar a si mesma e seu relacionamento com alguém importante em sua vida.

  • Tenta-se conhecer aspectos de personalidade e, em especial, a qualidade dessa relação.
  • Assim como já afirmamos, podem ser observados aspectos conscientes e inconscientes. Podem aparecer fatos reais (como problemas de comunicação, de afeto, etc.) mas também desejos encobertos (necessidade de reconhecimento, falta de atenção…).
  • Pode ser aplicado em crianças a partir dos 7 anos de idade. No entanto, seu uso é comum para conhecer a qualidade da relação entre um casal.

Como é aplicado?

Vamos explicar por passos:

  • Primeiro, deve-se oferecer uma folha e um lápis à pessoa que vai fazer o teste.
  • Em seguida, pedir que ela desenhe duas pessoas (sem especificar quais).
  • Uma vez terminado o desenho, pede-se que a pessoa informe o nome e a idade das figuras.
  • Em seguida, pede-se para que escreva uma breve história sobre essas duas pessoas, expressando o que pensam e o que sentem.
  • Por fim, deve-se dar um título a essa história.

Interpretação do teste do casal

A interpretação desse teste projetivo se baseia em três aspectos:

Descrição

  • Sexo, idade e vínculo com a pessoa avaliada.
  • Imagem realista ou dotada de uma certa fantasia.
  • O que o casal está fazendo? Conversando? Está de mãos dadas? Há distância entre as figuras?

Aspectos subjacentes

  • Qual figura representa a pessoa avaliada? Ela desempenha algum tipo de papel (figura passiva, paternal, maternal, de submissão, de evitação…)
  • O que projeta na outra pessoa? Necessidade de afeto, medo, distância, desejo?
  • Há rejeição entre as figuras? Há algum tipo de contato ou comunicação?

Aspectos gráficos

  • São avaliados: o tamanho, a localização das figuras e as características do traço (se é nervoso, se foi realizado com pulso firme e calma…).
  • As pessoas têm um aspecto humanizado ou são caricaturas? Há algum aspecto simbólico ou chamativo (figura disforme, aspecto maligno, etc.)?
Desenho de casal em um banco

Aspectos verbais

  • Deve-se avaliar qual tipo de história foi narrada. O que podemos deduzir dela? É uma pessoa feliz? Apresenta alguma carência, necessidade, medo, etc.?
  • Diferenciar entre fatores que fazem referência a aspectos reais daqueles que simbolizam desejos ou aspirações.
  • Coerência na história.
  • Contexto em que se situa a história.
  • Avaliação do título escolhido (Ele representa a história? Qual tipo de mensagem transmite? Por que esse título específico foi escolhido?)

Para concluir, se nos perguntarmos agora sobre a validade desse teste, vale destacar que estamos diante de um teste projetivo. São instrumentos auxiliares. Não diagnosticam nada por si próprios.

São utilizados como material complementar a outros testes e entrevistas com as quais tenta-se coletar o máximo de informação possível. No entanto, não deixa de ser, sem dúvida, um teste interessante que uma pessoa especializada pode aplicar.