Testes psicotécnicos: para que servem?

· fevereiro 23, 2019
Embora os testes psicotécnicos sejam comuns em qualquer processo de seleção, sempre é adequado treinar esse tipo de exercício para melhorar nossas capacidades cognitivas.

Os testes psicotécnicos são utilizados – entre outros contextos e fins – nos processos de seleção das empresas, assim como em provas seletivas. Há quem tenha medo e há quem adore resolver esses problemas de raciocínio lógico ou espacial. Seja como for, sua função sempre tem um mesmo objetivo: detectar aptidões na pessoa, assim como suas competências e seu perfil psicológico.

Este tipo de teste tão elaborado não está isento de críticas. Todos sabemos que na hora de medir qualquer tipo de dimensão ou característica psicológica, sempre é adequado utilizar várias técnicas e diversos recursos para obter um alcance mais amplo de informações.

Estes testes não oferecem mais do que uma pontuação e uma primeira aproximação para analisar se as competências mostradas pela pessoa se adequam ou não às exigências básicas de um cargo. No entanto, posteriormente, esses dados serão contrastados com outras tabelas e critérios para poder realizar uma análise mais ampla e acertada.

Assim, provas seletivas, como as matrizes de Raven, os testes de aptidão verbal ou mecânica, funcionam como filtros rápidos que qualquer departamento de recursos humanos utiliza para essa primeira fase na hora de recrutar os candidatos mais aptos. Em seguida, é comum fazer uma entrevista pessoal.

Ao mesmo tempo, se há algo que um grande número de concorrentes estão fazendo agora mesmo é treinar esse tipo de teste psicotécnico com o objetivo de obter uma alta pontuação nessas primeiras etapas dos processos de seleção. São, de certa forma, um desafio prévio que deve ser superado para poder passar à seguinte fase da seleção.

Lápis marcando gabarito

Testes psicotécnicos: finalidade e campos de aplicação

Os testes psicotécnicos consistem em questionários de múltipla escolha. A finalidade é escolher uma opção entre várias respostas possíveis de maneira rápida e acertada.

Com esses testes, as empresas ou qualquer instituição social pode obter informações sobre a personalidade da pessoa, assim como de qualquer área cognitiva que deseje medir: atenção, memória, resolução de problemas, aptidões verbais ou espaciais…

Ao mesmo tempo, é importante considerar três aspectos na hora de analisar os testes psicotécnicos: a rapidez, os acertos e o número de erros. Por outro lado, estudos como o realizado na Universidade de Toulouse, na França, fazem referência a um fato importante que não podemos ignorar: este tipo de teste deve ser avaliado por pessoas qualificadas.

Vamos ver a seguir em quais áreas eles costumam ser utilizados no dia a dia.

Os testes psicotécnicos são uma parte da avaliação psicológica e, portanto, devem ser aplicados e analisados por psicólogos especializados nessa área.

Âmbitos de aplicação

  • Processos seletivos no âmbito profissional.
  • Âmbito educacional: com o objetivo de avaliar as capacidades intelectuais dos estudantes, sua evolução, assim como suas preferências vocacionais.
  • Âmbito clínico. Os testes psicotécnicos fazem parte do trabalho habitual do psicólogo clínico, que não analisa apenas estilos de personalidade ou aptidões. Estes recursos também são necessários para realizar diagnósticos, avaliar a presença ou não de alterações psicológicas, demências, etc.
  • Carteira de habilitação e permissão de porte de armas. Nestes âmbitos, os testes psicotécnicos são imprescindíveis. Com eles, analisamos as habilidades de atenção, capacidade de reação ou aptidão visuoespacial nos motoristas ou se a pessoa que deseja ter o porte de armas está apta ou não para usá-las.

Tipos de testes psicotécnicos

Todos nós já passamos alguma vez por um processo seletivo no qual esses testes nos fizeram viver um momento de tensão ou desafio. Vale dizer, no entanto, que há muitas pessoas que treinam diariamente esse tipo de exercício tão saudável quanto recomendável por mero prazer.

É um modo de manter nossos processos cognitivos em dia, de exercitar a atenção, a memória, a flexibilidade espacial, as aptidões verbais, etc. Por exemplo, ao nosso alcance, temos jogos adequados em vários aplicativos de celular e, inclusive, testes de livre acesso na Internet.

Vamos analisar a seguir quais são os tipos de testes psicotécnicos que costumam ser utilizados com mais frequência:

Testes psicotécnicos

Teste de aptidão verbal

  • Mede a capacidade de compreender e expressar conceitos através de palavras.
  • Há exercícios de ortografia, sinônimos e antônimos, compreensão verbal, frases incompletas, regras ortográficas, etc.

Teste de aptidão numérica

  • Este tipo de teste psicotécnico mede a capacidade de compreender e trabalhar com operações numéricas.
  • Podemos encontrar os clássicos problemas matemáticos, assim como somas, subtrações, multiplicações e divisões, frações, potências, raízes, porcentagens, equações, etc.

Teste de aptidão espacial

  • Os testes de aptidão espacial estão, sem dúvida, entre os mais interessantes. Nos desafiam a diferenciar formas, volumes, distâncias, posições no espaço, etc.
  • É comum que apareçam figuras incompletas, quebra-cabeças, figuras que devemos girar mentalmente para compreender a situação proposta, etc.

Teste de raciocínio abstrato

  • Neste tipo de teste, é analisada a capacidade da pessoa de observar e organizar a informação de maneira lógica.
  • Devemos, portanto, permitir que venham à tona nossas habilidades dedutivas, observando séries de letras, figuras, cartas ou moedas para dar respostas corretas.

Teste de atenção e retenção

  • Este tipo de teste é muito comum em processos seletivos para trabalhos nos quais a atenção é muito importante. Podem ser fábricas ou qualquer tipo de indústria na qual se necessita que os operários estejam atentos em suas tarefas.
  • Estes testes medem, portanto, a capacidade de estar atentos enquanto se realiza uma tarefa repetitiva e monótona. Para isso, costumam aparecer exercícios de memória visual, memória de leitura, ler números ou palavras e, depois, reproduzi-los.
Gabarito de testes psicotécnicos

Como posso passar com sucesso em um teste psicotécnico?

Assim como afirmamos anteriormente, são muitas as pessoas que costumam treinar esse tipo de proficiência, seja por interesse pessoal ou porque terão que enfrentar um processo seletivo pela frente. O ideal, portanto, é separar uma ampla bateria de testes e ir praticando em casa, aprendendo com os erros e, ao mesmo tempo, tentando chegar à solução no menor tempo possível.

Ao mesmo tempo, nunca é demais seguir estes simples conselhos:

  • Assim como treinamos para realizar de maneira eficaz esse tipo de teste, devemos aprender a controlar e lidar com nossa ansiedade no dia da prova de seleção. 
  • Ler com calma as instruções, seguir as orientações do examinador e ter certeza de não pular nenhuma folha de exercício são aspectos importantes.
  • Analise os exemplos oferecidos em cada exercício. Não se precipite achando que não vai saber fazer.
  • O tempo é importante. Assim, se ficarmos empacados em uma pergunta, devemos passar para a seguinte, deixando as mais complexas para o final.
  • Uma vez terminada a prova, faça uma revisão.
  • Lembre-se de que este tipo de teste psicotécnico se guia pela lógica. Faça uso do bom senso.

Para concluir, como esse tipo de teste tem se tornado cada vez mais comum, nunca é demais se familiarizar com ele. Independentemente de termos pela frente um processo seletivo, sempre é saudável e benéfico treinar esse tipo de competência.

  • Vautier, S. (2015). La psychotechnique des aptitudes. Pratiques Psychologiques21(1), 1–18. https://doi.org/10.1016/j.prps.2015.01.005
  • Arenal, FA, Fernández Peira, P., y Martin Val, A. (1977). Uso de pruebas psicotécnicas. Salud y Trabajo, No. 7, páginas 38-44, 26 Referencias; 1977.