Todos os dias há algo para esquecer, aprender e agradecer

Muitas vezes esquecemos as atitudes mais poderosas para viver uma vida plena e feliz. Saber esquecer, aprender e agradecer é importante para isso. Refletimos sobre o tema a seguir.
Todos os dias há algo para esquecer, aprender e agradecer

Última atualização: 02 Outubro, 2021

O esquecimento é, às vezes, a arte sutil que nos permite aprender, agradecer e valorizar as coisas que realmente importam, onde a gratidão cobre cada ato vivido, cada emoção sentida com intensidade. Porque a beleza da nossa existência se encontra precisamente nos atos mais simples e puros.

Saber agradecer, saber aprender e deixar-se esquecer certas coisas não é apenas a base de muitas filosofias e religiões. É a chave para o bem-estar mental. Técnicas como a “liberdade emocional”, por exemplo, enfatizam a necessidade de se sentir livre, de não se apegar a emoções negativas para poder valorizar quem somos e continuar aprendendo, vivenciando…

Ignorante é aquele que não vê além das suas obsessões, que não sabe perdoar para se livrar do sofrimento e que se recusa a aprender coisas simples para enriquecer a sua alma.

Estamos constantemente sujeitos àquele ruído mental que nos impede de priorizar o que é importante. A ansiedade, o estresse e o hábito de adiar a felicidade para “quando tiver, quando for, quando conseguir” nos impedem de ver essas dimensões que deveriam ser a partitura da nossa melodia diária.

Convidamos você a refletir sobre a gratidão, o esquecimento e a capacidade de aprender.

Mulher diante de janela

Perdoar é bom para o cérebro

Perdoar é um ato de coragem que nem sempre podemos realizar. Tendemos a interpretar o perdão como um ato de entrega, quando na realidade é uma forma de liberação emocional onde deixamos de ser reféns daquilo que nos machuca. É uma forma de romper o vínculo da dor, de encerrar as suas etapas.

  • Robert Ader é um dos pioneiros da chamada “psiconeuroimunologia” e explica que existe uma relação muito íntima entre emoções e saúde, a ponto de o ato de guardar ressentimento, raiva ou frustração afetar diretamente nosso sistema imunológico: ficamos mais vulneráveis às doenças.
  • As emoções negativas afetam especialmente o nosso sistema nervoso autônomo, que governa as funções não voluntárias do corpo.
  • O rancor, assim como o estresse, aumenta a adrenalina, a norepinefrina e o cortisol no sangue, bloqueando a função das células que defendem o corpo.

Perdoar é o maior ato que podemos fazer pela nossa saúde e nosso equilíbrio emocional, é cortar a amargura para abrir as portas para novas oportunidades.

A capacidade de aprender a se adaptar melhor

Aprender não é acumular dados, datas ou memorizar. Aprender é o ato de avançar como pessoa, reinventando-se a cada dia para se adaptar melhor ao ambiente. Aquele que é rígido em seus padrões de pensamento nunca será capaz de ver além da armação dos seus próprios óculos.

  • Aprender é descobrir a cada dia algo novo para melhorar como pessoa, para reconhecer erros e superá-los, para admitir abordagens de outras pessoas que podem ser tão válidas quanto as nossas.
  • Também não podemos ignorar a necessidade de armazenar “reserva cognitiva”. De acordo com dois estudos realizados na Universidade de La Rioja, quanto mais a atividade cerebral se desenvolve ao longo de nossas vidas, melhor enfrentamos a velhice e qualquer possível demência.

É necessário compreender que a nossa própria existência é uma aprendizagem contínua que devemos assumir com entusiasmo e abertura mental e emocional.

Aprenda. algo novo a cada dia. Só assim você poderá amadurecer, “florescer” e melhorar para se aproximar daquele ideal de pessoa que está dentro de você esperando para emergir.

Mão com flor amarela

Depois de aprender, a virtude de agradecer

Em 2003, Emmons e McCullough conduziram um estudo interessante no qual um grupo de pessoas foi solicitado a escrever em um caderno por alguns meses aquilo pelo que deveriam ser gratos ao longo do dia. Outro grupo foi solicitado a refletir sobre todas as coisas negativas que experimentaram ao longo de seus dias.

  • Os resultados foram muito significativos: pessoas capazes de valorizar tudo o que os rodeia têm uma vida mais plena e satisfatória.
  • Não se trata apenas de sermos capazes de valorizar os atos que os outros praticam por nós. A arte de ser grato também é a virtude de ver aspectos positivos em nós mesmos.
  • A gratidão também tem seus benefícios em nosso cérebro: a sensação de estresse e ansiedade é reduzida, favorece a qualidade do sono e ainda reduz o risco de depressão.

Agradecer é valorizar o que temos e o que somos, é iniciar um círculo virtuoso onde colocamos as emoções negativas de lado e nos permitimos ser mais receptivos à simplicidade do nosso ambiente e das relações pessoais.

Quase sempre pensamos no que nos falta, no que não temos, no que perdemos, quando na realidade devemos ser gratos pelo que temos e seguir em frente sem ressentimentos, permitindo-nos aprender todos os dias com entusiasmo.

Pode interessar a você...
Namastê, o valor da gratidão e o reconhecimento
A mente é maravilhosa
Leia em A mente é maravilhosa
Namastê, o valor da gratidão e o reconhecimento

Namastê é muito mais do que uma palavra originária desse antigo e bonito idioma que é o sânscrito. Saiba mais sobre ela neste artigo.