5 traços que identificam um agressor psicológico

5 traços que identificam um agressor psicológico

Última atualização: 25 janeiro, 2022

O agressor psicológico nem sempre é fácil de identificar. Há uma crença de que as pessos só podem nos prejudicar quando nos atacam fisicamente. O problema é que existem especialistas em machucar sem dar um golpe, um empurrão ou usar um objeto. Mas eles causam tanto ou mais danos quanto aqueles que atacam fisicamente.

Machismo, bullying, discriminação… São inúmeras as situações em que alguém se sinte no direito de maltratar a quem se considera mais fraco. É uma das expressões mais fortes da desigualdade e, claro, tem a ver com o ideal de sucesso e a concorrência permanente em que vivemos.

A violência psicológica torna você, em sua mente, inútil.”

-Ana Isabel Gutierrez Salegui-

Em qualquer espaço podemos encontrar esse tipo de agressores. Na vida familiar, relacionamentos, amigos, escola, universidade, trabalho. Não há escapatória. Eles estão lá e sua presença não pode ser evitada. Mas podemos identificá-los por seus traços característicos. Por isso, é importante estar alerta e saber interpretar quais podem ser as verdadeiras intenções de uma pessoa.

Embora não haja unidade de critérios entre psicólogos e estudiosos do assunto, o agressor psicológico está longe de ser mentalmente doente. Na maioria dos casos, ele simplesmente causa danos ao provar o poder que tem sobre o outro. É por isso que existem características marcantes que o definem. Veja aqui cinco deles.

Homem com espinhos nas costas porque é um abusador psicológico

1. A intolerância do agressor psicológico

O agressor não aceita diferenças. O seu é o único mundo possível e ele não valoriza o dos outros. Em seus relacionamentos, ele sempre considera o outro inferior.

Ele trata os outros de acordo com as características que a sociedade lhes atribui. Se ele as compartilha, então ele se aproximará apenas daqueles que se identificam com ele. Caso contrário, ele se distanciará e adotará atitudes de rejeição. Ele se deixa levar por preconceitos sociais. É por isso que é comum vê-lo discriminar e ser desrespeitoso com aqueles que são diferentes.

2. Rigidez

O agressor pensa e age como se fosse o dono da verdade. As razões dos outros não lhe interessam. Ele tende a impor suas ideias independentemente do contexto em que se encontra. Quando se trata de estabelecer acordos, ele não cede um centímetro porque acredita que seus pontos de vista devem ser aceitos.

Um agressor psicológico acredita que domina todas as situações e está sempre certo. Os outros vivem errados e suas ideias divergentes são erradas pelo fato de serem discrepantes. Ele é um líder negativo que sempre pretende se destacar, manipular e ser o centro das atenções.

3. Pensamento dicotômico

Mulher triste submetida a um abusador psicológico

Para uma pessoa com essa configuração psicológica, existe apenas preto e branco. Não admite nuances de nenhum tipo. O que precede os impede de perdoar, de levar em conta as circunstâncias de alguém que poderia ter errado ou, simplesmente, de ser incapaz de reconhecer seus próprios erros.

Este agressor gosta da frase “do amor ao ódio, há apenas um passo”. É assim que ele concebe a vida: como dois extremos que, se se tocam, produzem choques terríveis.

Para ele as coisas são boas ou más; existe a verdade ou a mentira; você ganha ou você perde. Ele reage de acordo com os princípios com os quais entende a vida.

4. Hipersensibilidade

Eles são o tipo de pessoa que acha difícil gerenciar suas emoções. Quando eles falham, eles têm dificuldade em recomeçar. Se, por outro lado, eles conseguem alguma coisa, então eles acreditam que alcançaram o céu com as mãos. Todo extremo é vicioso, diz a sabedoria popular. Mas o agressor psicológico vê o extremismo com bons olhos e o aplica até a si mesmo.

Neles não há autocrítica real e ao mesmo tempo se julgam severamente, mas superficialmente. Eles são propensos a ficar deprimidos facilmente. E muitas vezes caem em abismos profundos dos quais quase ninguém é capaz de resgatá-los.

Isso é o produto de sua baixa autoestima. Isso faz com que eles permaneçam em um estado permanente de ansiedade e tenham uma tendência a se vitimizar.

5. Encanto

abusador psicológico com duas caras

Ao ganhar a confiança de sua vítima, eles se comportam como as melhores pessoas do mundo aos olhos dos outros. É difícil para as pessoas ao seu redor descobrir suas verdadeiras intenções. O agressor psicológico é um ator digno de ganhar todos os prêmios.

Mesmo quando a máscara é removida e seu verdadeiro rosto é exposto, outras pessoas (especialmente a vítima) se recusam a acreditar que estão lidando com um agressor. E tal é a desilusão que é provável que alguns nunca venham a aceitar esta verdade terrível e desconcertante.

Apesar de todos esses traços, o agressor psicológico costuma levar uma vida cheia de sofrimento. Seu pior castigo é não poder realmente amar ninguém. É por isso que há solidão e vazio em seu dia a dia. Ele também é uma vítima de si mesmo.

This might interest you...
O que é a teoria da frustração-agressão?
A mente é maravilhosa
Leia em A mente é maravilhosa
O que é a teoria da frustração-agressão?

A teoria da frustração-agressão foi formulada por John Dollard e Neal Miller, psicólogos que queriam teorizar sobre as causas da agressão.

Imagens cortesia de Chris Missety, Tree Sisters



  • Beasley R, Stoltenberg CD. Personality characteristics of male spouse abusers. Professional Psychology: Research & Practice 1992; 23: 310-17.
  • Ferrer V, Bosch E, García E, Manassero MA, Gili M. Estudio Meta-Analítico de Características Diferenciales entre Maltratadores y no Maltratadores: El Caso de la Psicopatología y el Consumo de Alcohol o Drogas. PSYKHE. 2004; 13: 141-56.
  • Holtzworth-Munroe A, Stuart GL. Typologies of male batterers: Three subtypes and the differences among them. Psychol Bull 1994 Nov; 116: 476-97.