Transformar o Natal (Conto de Natal)

· dezembro 7, 2018

Hoje quero convidá-los a refletir sobre o verdadeiro valor do Natal com a história “Transformar o Natal”, na qual uma criança nos lembrará de que é importante valorizar e agradecer pelo que temos. Ainda que pareça que temos pouco, e é importante fazê-lo todos os dias, não apenas uma vez por ano.

Nestas datas, somos bombardeados por propagandas de panetones, brinquedos, perfumes…. Tudo isso nos indica que chegou o Natal, uma época maravilhosa e também temida do ano. As ruas se iluminam e uma espécie de loucura coletiva nos invade e convida a consumir compulsivamente, a encher as despensas de maneira excessiva e a comprar presentes para todos. Mas este é realmente o valor do Natal? Transformar o Natal é possível quando podemos olhar além dos pacotes de presente.

“O Natal não é um momento nem uma estação, mas um estado de espírito. Valorizar a paz e a generosidade e ter misericórdia é compreender o verdadeiro significado do Natal”.
-Calvin Coolidge-

Papai Noel voando em seu trenó

Transformar o Natal

O pequeno Oliver havia acabado de completar cinco anos e sentia uma grande curiosidade em relação ao mundo ao seu redor. Ele começou a observar que tudo mudou, as ruas estavam cheias de cores luminosas, músicas repetitivas eram ouvidas por toda parte, árvores decoradas com figuras de todos os tipos, a televisão anunciava doces, brinquedos, champanhe, perfumes… Tudo isso gerou em Oliver uma pergunta, que ele finalmente ousou dizer em voz alta para sua mãe:

O que é o Natal?

O Natal é algo que só os afortunados podem ter. Espero que um dia eu possa lhe dar um Natal, filho – Respondeu sua mãe com tristeza.

Oliver ficou triste com essa resposta e ao ver a expressão de sua mãe, mas não perdeu a esperança de um dia ter sorte e viver seu próprio Natal. Os dias se passaram e Oliver continuou pesquisando sobre o assunto. Chegou a manhã de Natal.

Oliver acordou muito cedo e foi correndo acordar sua mãe. Ela abriu os olhos com alguma dificuldade e viu que o menino lhe entregava um cartão feito à mão, com uma folha reutilizada. Mas esse cartão era igualmente belo, cheio de cores, desenhos e acima de tudo com uma mensagem esperançosa: “Você me dá o Natal todos os dias, porque me sinto feliz por estar com você”. A mãe do Oliver começou a chorar. E o pequeno perguntou:

– Por que você está chorando, mamãe?

– Porque eu não sabia o quão feliz eu era, até este momento em que você me mostrou – disse a mãe de Oliver enquanto abraçava seu filho com força.

– Claro que sim, mamãe, nós temos Natal todos os dias.

“O Natal não é sobre abrir presentes, trata-se de abrir os nossos corações”.
-Janice Marditera-

Mãe e filho brincando

O amor é o melhor presente

Transformar o Natal é possível, assim como o pequeno Oliver fez, com sua inocência e valorizando o que era realmente importante para ele. O amor de sua mãe era, sem dúvida, o melhor presente que ele poderia receber. O pequeno, como sua mãe, nos lembra de que às vezes perdemos de vista o que é realmente importante e nos preocupamos com o que não podemos oferecer aos outros, por não podermos pagar ou porque consideramos que não haverá reciprocidade.

Podemos perder de vista tudo que já temos e recebemos de outras pessoas. Não existe uma pessoa mais rica do que aquele que é rico em pessoas que o amam e apreciam. E todos, absolutamente todos, temos pelo menos uma pessoa que nos ama e que nós amamos. Também, e sobretudo, no Natal.

“Se você não sabe o que dar a seus entes queridos no Natal, dê o seu amor”.
-Anônimo-