Tratamento transversal baseado na educação e no gerenciamento das emoções (EDTP)

outubro 24, 2019
Apresentamos um dos tratamentos transversais mais inovadores para tratar os problemas emocionais de crianças e adolescentes: o tratamento transversal baseado na educação e no gerenciamento das emoções (EDTP).

Cada vez mais crianças são diagnosticadas com diferentes distúrbios emocionais, sobretudo os de ansiedade, nos quais os números de prevalência chegam a 15%. O tratamento transversal baseado na educação e no gerenciamento das emoções (EDTP) pretende ensinar às crianças e aos adolescentes a lidar com as emoções e as circunstâncias do dia a dia.

O ritmo de vida frenético, as exigências acadêmicas, o estresse dos pais e a vulnerabilidade genética para sofrer de desordens de tipo emocional são alguns fatores que podem levar as crianças a apresentar qualquer distúrbio psicológico.

A partir dessa perspectiva, existem vários tratamentos direcionados a encontrar uma solução para estes distúrbios.

Era comum contar com algum tipo de tratamento cognitivo-comportamental destinado a uma patologia particular. Por exemplo, para a depressão infantil, havia o Programa PEAC de Méndez ou o ACTION de Stark, entre os mais relevantes.

Atualmente, tem crescido o interesse por abordar vários distúrbios psicológicos de maneira transversal.  O ponto de partida é o entendimento de que muitos desses distúrbios possuem um núcleo comum.

Nesse sentido e para a população adulta, podemos mencionar o tratamento cognitivo comportamental transdiagnóstico de Norton ou o Protocolo Unificado de Barlow.

Em ambos os programas, buscam-se os fatores comuns a diversas patologias emocionais (ansiedade, depressão, transtornos somatomorfes…), de maneira que elas sejam abordadas de forma conjunta com as técnicas e estratégias mais eficazes e eficientes.

Essa prática atualmente tem se estendido ao âmbito da psicologia infantil, com programas como o tratamento transversal baseado na educação e no gerenciamento das emoções (EDTP).

Menino com dificuldades emocionais

Características do tratamento transversal baseado na educação e no gerenciamento das emoções (EDTP)

Jill Ehrenreich, psicóloga da Universidade de Miami e diretora do Child and Adolescent Mood and Anxiety Treatment Program, desenvolveu um programa transversal inovador para tratar os problemas emocionais em crianças: O tratamento transversal baseado na educação e no gerenciamento das emoções (EDTP).

Parte da base de que a linha que separa os diferentes transtornos que as crianças podem apresentar é muito tênue. De fato, assim como acontece com os adultos, é muito comum que a ansiedade e a depressão sejam transtornos comórbidos.

Segundo um estudo publicado na revista Cognitive and Behavioral Practice, a gravidade da ansiedade e da depressão se reduziu significativamente entre crianças que receberam tratamento com EDTP.

O objetivo principal da intervenção é identificar os pontos fracos de cada paciente, bem como traçar um plano para que estas não representem um obstáculo intransponível quando se trata de resolver problemas.

O programa inovador de tratamento se baseia, sobretudo, em técnicas cognitivas, embora também inclua estratégias comportamentais eficazes. Seus pilares são:

  • Educação sobre as emoções. Aprender a identificá-las e reconhecer o papel que desempenham.
  • Como lidar com as emoções. Ensinar sobre a relação entre os pensamentos, as emoções e os comportamentos. Explicar que a intervenção em um dos três planos tem efeitos nos outros.
  • Habilidades para resolver problemas. Ensina a técnica de solução de problemas de D’Zurilla e Godfried, mas aplicada a crianças.
  • Estratégias para avaliar situações. Saber identificar quando uma situação é aversiva, neutra ou positiva.
  • Treinamento de pais.  Às vezes, os problemas das crianças se mantêm por causa das atitudes dos pais, principalmente devido ao reforço negativo. Portanto, o papel protagonista outorgado aos pais é essencial para controlar essa variável.
  • Ativação do comportamento. É uma estratégia clássica empregada no tratamento da depressão. O objetivo é aumentar os reforços positivos da pessoa em seu ambiente.
Menina triste e chateada

Desenvolvimento do estudo

Os pesquisadores recrutaram 22 crianças que tinham entre 7 e 12 anos para participar do estudo. Cada criança tinha um diagnóstico principal de transtorno de ansiedade e um problema secundário de depressão.

Uma vez por semana, os participantes do estudo compareceram a sessões de terapia em grupo de EDTP durante um total de 15 semanas. Os resultados mostraram que, das 18 crianças que completaram o programa, 14 não preenchiam mais os critérios para o transtorno de ansiedade.

Além disso, apenas 1 das 5 crianças que foi diagnosticada com um tratamento depressivo antes do tratamento continuou apresentando esses critérios depois do programa.

Uma das descobertas mais surpreendentes foi a melhora da depressão comórbida com a ansiedade. É comum que a depressão, vinculada a qualquer outro transtorno psicológico, atrase o tratamento ou o dificulte.

É um problema de fundo, já que a maioria das terapias atuais não são projetadas para tratar vários problemas emocionais de forma conjunta.

A hipótese dos pesquisadores, baseada nos resultados de Peter Norton, expunha que se o transtorno principal fosse abordado a partir de uma perspectiva mais ampla, incluindo estratégias próprias para a depressão, esta também melhoraria.

O ponto-chave, como mostra Norton, seria encontrar o núcleo subjacente a todas as problemáticas e se distanciar das “distinções artificiais”.

  • Rattue, G. (2012). Novel Intervention Helps Kids Suffering From Depression And Anxiety. Medical News Today