O triângulo do amor, segundo Sternberg – A mente é maravilhosa

O triângulo do amor, segundo Sternberg

19, janeiro 2016 em Curiosidades 47 Compartilhados
O triângulo do amor

Robert Sternberg é um psicólogo norte-americano que desenvolveu uma teoria original sobre amor e relacionamento. Essa teoria ficou conhecida como a “Teoria triangular do amor”.

Os três componentes do amor, de acordo com Sternberg, são: paixão, intimidade e decisão ou compromisso. Cada um desses conceitos é definido como segue:

– Paixão: um forte desejo sexual ou romântico, acompanhado de uma tendência a buscar a união física e emocional com o outro.

– Intimidade: Conhecer o outro e confiar no que ele sente, no que faz e em como ele é. Proximidade e preocupação com o seu bem estar. A intimidade engloba os sentimentos de apego, proximidade e vínculo.

– Decisão ou compromisso: vontade de manter um vínculo e senso de responsabilidade. Permanecer com a outra pessoa e compartilhar sonhos e conquistas.

Baseado nesse triângulo, Sternberg propõe a ideia de que existem sete formas de amar, dependendo de como cada um desses três aspectos se manifesta.

1- Relacionamento carinhoso

Esse tipo de relacionamento ocorre quando existe intimidade entre duas pessoas, mas nenhuma paixão ou compromisso. Esta forma de amor é característica das relações de amizade. Geralmente são relacionamentos duradouros, mesmo que não haja um compromisso formal envolvido.

2- Paixão

Aqui podemos citar o chamado “amor à primeira vista”. Existe a paixão, mas sem intimidade ou compromisso. Como o nome indica, o sentimento pode ser intenso e persistente, mas sem profundidade.

3- Amor vazio

É típico dos relacionamentos onde não existe mais paixão ou intimidade, mas permanecem juntos devido ao compromisso de ambas as partes. É uma forma de ligação que pode acontecer com casais que estão juntos há muito tempo.

4- Amor romântico

No amor romântico existe paixão e intimidade, mas sem compromisso. Caracteriza-se por uma intensa atração física e emocional entre o casal, mas que não consegue sobreviver aos conflitos e situações estressantes do dia a dia. Normalmente é um amor de curta duração.

amor

5- Amor social ou de companhia

Nesse tipo de amor existe intimidade e comprometimento, mas sem paixão. Ambos gostam da companhia um do outro e decidem manter o relacionamento, embora não haja desejo sexual ou romântico. É uma forma de amor típica dos grandes amigos e casais mais maduros.

6- Amor fugaz

Nesse relacionamento existe muita paixão e compromisso, mas nenhuma intimidade. Geralmente a decisão de permanecer juntos nasce do desejo sexual ou romântico, e não pela confiança e compatibilidade. Este relacionamento é típico de pessoas inseguras e dependentes.

7- Amor consumado

Ele representa o modelo ideal de amor, onde estão presentes todos os componentes: paixão, intimidade e compromisso.

Sternberg diz que esse tipo de amor é raro, mas não é difícil de encontrar, e sim de manter. Para conseguir mantê-lo, é preciso lembrar que a afeição e o amor devem ser constantemente expressados.

Componentes e preferências

Em um estudo realizado pela Universidade de Santiago de Compostela, concluiu-se que os homens e as mulheres valorizam principalmente a intimidade em qualquer tipo de relacionamento.

A respeito da paixão, muitos casais investigados disseram que é difícil encontrar a plena sintonia entre o casal. Às vezes eles precisam de mais e elas menos, ou vice-versa. A maioria concordou que ao longo do tempo a paixão acaba.

Algo semelhante aconteceu com o compromisso nesse estudo. Não é fácil encontrar simetria entre os dois parceiros com relação a este ponto. Parece que, com o passar do tempo, as mulheres esperam um maior nível de compromisso, enquanto que os homens não.

Recomendados para você