Um professor trabalha para a eternidade

janeiro 28, 2020
A docência é, em muitas ocasiões, uma tarefa menosprezada e pouco reconhecida, embora seu desenvolvimento tenha um valor incalculável. Como exemplo, todos nós temos algum professor de quem nos lembramos com um carinho especial: pelo que nos ensinou e pelo que aprendemos.

Ser professor é uma profissão de grande responsabilidade, já que seu desempenho tem um valor incalculável. Por isso, esses profissionais precisam ter uma boa formação inicial e estar constantemente atualizados.

Não basta transmitir conhecimento. Eles precisam ser a ponte entre o conhecimento e o aluno, promover valores e, ao mesmo tempo, ser especialistas em inúmeras coisas: novas tecnologias, gestão de recursos, avaliações, inteligência emocional, etc.

Um bom docente se preocupa com cada um de seus alunos e com uma educação inclusiva, tem empatia e foca na aprendizagem mais do que no ensino. Falamos de uma educação integral do aluno, em que ele seja ensinado a se desenvolver para a vida que o espera.

Professora tirando dúvida de aluna

O papel do professor e a importância da colaboração

Com os novos desafios educacionais, o papel do docente muda, já que não é um mero transmissor de conhecimentos. Na verdade, ele se torna o guia do processo de ensino/aprendizagem.

A coordenação entre docentes recebe aqui um papel importante: proporciona possibilidades de aprendizagem entre profissionais, discute possíveis conflitos e busca reduzir o estresse e o excesso de trabalho.

Trabalhando em equipe, aprende-se com as experiências dos outros e com os diferentes pontos de vista, além de ser possível partilhar diferentes formas de fazer. Ajudando e colaborando, aumenta-se a motivação e a vontade de realizar atividades e projetos com outros docentes, formando uma equipe.

Tudo isso melhora a gestão do conhecimento, permite melhorar a atenção dos estudantes e saber o que fazer em outras matérias para conectá-las com a sua.

“Educar a mente sem educar o coração não é educação de forma alguma”.
-Aristóteles-

Muito mais do que dar aulas

Todo professor trabalha com o saber e com os indivíduos. Ele não é apenas o especialista na matéria ou alguém que sabe escutar os seus alunos ou, ainda, uma mistura de tudo isso. É também alguém que gosta de fazer o que faz, alguém que tem seus próprios objetivos a alcançar.

Como dizia Aristóteles, não basta transmitir conhecimento. Você pode gostar dos seus alunos e ensiná-los ao mesmo tempo, sem ter que negligenciar nenhuma das duas partes.

Para ensinar uma disciplina, não basta dominar o seu conteúdo, pois, além disso, é preciso encontrar o sentido desse conteúdo que é ensinado.

Ao mesmo tempo, existem outros aspectos importantes, como definir funções, delimitar responsabilidades, discutir e negociar os sistemas de trabalho e de avaliação. É necessário transmitir valores, promover a criatividade, o pensamento crítico e estimular a cooperação, porque o importante não é ensinar quanto é dois mais dois ou qual é o nome dos rios de cada país.

“É possível que muitas pessoas achem que ser professor não é algo socialmente relevante, pois nossa sociedade só valoriza o poder e o dinheiro. Mas, para mim, me resta o desafio do saber e a paixão por transmiti-lo. Eu me sinto herdeiro de trinta séculos de cultura, e responsável por ajudar meus alunos a assimilar nossas melhores conquistas e extrair as consequências dos nossos piores fracassos”.
-J. M. Esteve-

Professor dando aula

Ensinar com paixão

Um docente que faz seu trabalho com paixão cria uma relação com o aluno que vai além da sala de aula. É criada uma relação mútua de ajuda e admiração. É um trabalho para que o aluno aprenda e se supere, não apenas para que ele termine o curso com uma determinada nota.

O trabalho de ensinar tem a ver com deixar uma marca na vida de alguém para sempre, e a força de um professor é muito transformadora quando se acredita no que se está fazendo. Os docentes têm o poder de transformar a sociedade.

Docentes que utilizam novas metodologias, com as quais os estudantes aprendem de uma forma ativa, promovem a aprendizagem colaborativa, trabalhando a criatividade e a descoberta. Assim, a aposta é ter um desenvolvimento efetivo das competências necessárias para que os estudantes possam se desenvolver na sociedade em que vivemos.

Pessoas que são apaixonadas por ensinar, pessoas motivadas e que se mantêm atualizadas para realizar seu trabalho da melhor forma possível. Pessoas que são gratas por serem docentes, pessoas que gostam de trabalhar com pessoas.

  • Meirieu, P. (2006). Carta a un joven profesor (pp. 21-29) Barcelona: Graó.
  • Esteve, José M. (2003). La aventura de ser maestro. Ponencia presentada en las XXXI Jornadas de Centros Educativos. Universidad de Navarra.