Uma mala cheia de sonhos

Emigrar é um processo muito difícil que pode nos afetar física e emocionalmente. A Síndrome de Ulisses é um construto que inclui os sinais e sintomas presentes nos migrantes.
Uma mala cheia de sonhos

Última atualização: 18 fevereiro, 2022

O fato de emigrar é algo que acompanha o homem desde seus primórdios. Em todos os tempos e lugares houve grandes correntes migratórias que embarcaram em direção ao desconhecido, motivadas pela busca de uma vida melhor. Agora, a partir de estudos atuais sabe-se que entre a população migrante, há uma maior incidência de doença mental. Você conhece a Síndrome de Ulisses?

Embora os processos migratórios tenham mudado muito, os motivos pelos quais se emigra permanecem válidos. Isso continua a levar milhões de pessoas a deixar suas casas até hoje. Este fato geralmente deixa uma marca profunda na pessoa.

O que é a Síndrome de Ulisses?

Homem com síndrome de Ulisses

Atualmente, diversos estudos têm mostrado que as pessoas que emigram apresentam um alto nível de estresse devido às exigências atuais e às exigências legais para residir em um país estrangeiro. Aqueles que migram ilegalmente sofrem os maiores níveis de estresse, por razões óbvias.

Tudo isso levou Joseba Achótegui, psiquiatra e professor da Universidade de Barcelona, a nomear esse efeito como “Síndrome de Ulisses” (ou “Síndrome do imigrante com estresse crônico”, em termos científicos ). Este autor fala sobre os aspectos negativos da migração, que incluem o processo chamado de “luto migratório”, pois nesses casos parece que algo realmente “morre” na alma do viajante.

O que causa essa tensão?

Existem quatro aspectos que aumentam o estresse migratório e pioram a saúde mental das pessoas que se instalam em outro país:

  • Estar sozinho
  • Sentir que fracassou
  • A luta diária para se adaptar a uma sociedade desconhecida (língua, costumes, leis, trabalho…)
  • O medo do desconhecido

Todos esses fatores atingem com força muitas pessoas. Da mesma forma, estão diretamente relacionados ao fato de deixar familiares e entes queridos para trás, nostalgia, falta de possibilidades, mudanças de hábitos e cultura e desconhecimento sobre o novo modo de vida.

Principais sintomas da Síndrome de Ulisses

As pessoas com esta síndrome geralmente apresentam alguns dos seguintes sintomas:

  • Angústia
  • Culpa (geralmente por pensar que os entes queridos podem estar sofrendo no país de origem)
  • Nervosismo
  • Insônia
  • Preocupações excessivas (o que dificulta a tomada de decisões corretas)
  • Inibição comportamental
  • Isolamento
  • Forte sentimento de solidão e desamparo
  • Cansaço físico e mental
  • Ganho ou perda de peso
  • Falta de concentração

Uma mudança de perspectiva

Mulher mudando sua perspectiva enquanto olha para o computador

Para reduzir os efeitos desta síndrome perniciosa, uma pessoa que deseja emigrar deve:

  • Se informar com antecedência das condições da viagem (horas, distância, meios…)
  • Conhecer a cultura à qual devem se integrar (língua, costumes, leis, costumes sociais, vestimenta, etc.)
  • Conhecer as principais instituições do país
  • Saber onde deve dirigir-se para realizar os procedimentos administrativos adequados (homologação de títulos, visto, registro, etc.)
  • Se possível, visite o país com antecedência
  • Contatar compatriotas residentes nesse país
  • Saiba onde você vai morar e quais documentos são necessários para alugar, registrar e pagar eletricidade, água, internet, etc.

Em resumo, se você pretende emigrar para outro país em busca de oportunidades e de melhor qualidade de vida, é fundamental que tenha uma forte convicção e força, e que esteja disposto a olhar sempre para frente. Tenha em mente que aqueles que o amam ficarão orgulhosos por você ter tomado uma decisão tão importante e que, se as coisas não saírem como planejado, certamente seus entes queridos continuarão a apoiá-lo incondicionalmente.