6 segredos para viver com menos arrependimento

Viver uma vida sem arrependimentos e ser justo e gentil com nós mesmos é possível se seguirmos estes conselhos.
6 segredos para viver com menos arrependimento

Última atualização: 04 Novembro, 2021

Muitos gostariam de saber como viver com menos arrependimento, aquele que geralmente aparece em resposta à discrepância entre as nossas decisões e as consequências que esperávamos obter delas. Ou seja, podemos nos arrepender quando algo não sai conforme o planejado, quando erramos e, principalmente, quando perdemos oportunidades.

O arrependimento pode surgir quando lembramos que as nossas decisões podem ter sido baseadas em critérios morais mais rígidos ou que nossas ações podem ter sido orientadas para cumprir alguma forma particular de dever social. Ele também pode ser experimentado quando não fomos corajosos o suficiente para tomar decisões que envolviam riscos.

Parece que é inevitável vivenciar esse sentimento em algum momento das nossas vidas. No entanto, se considerarmos algumas das chaves que desenvolveremos ao longo deste artigo, é possível viver com menos arrependimento e culpa.

Dicas para viver com menos arrependimento

1. Pratique o amor próprio e a autoaceitação

Em primeiro lugar, permitir que o arrependimento cresça em nós pode ser um reflexo de nos julgarmos com muita severidade e rigidez. Todos cometemos erros e isso não nos desqualifica como seres humanos. Tente ser tão gentil consigo mesmo quanto é com os outros, e não fique pensando repetidamente no que você não pode mudar.

Lembre-se de que suas decisões foram baseadas nas informações que você tinha naquele momento. É possível que hoje você tenha mais experiência e pense com mais clareza, e isso faz você acreditar que deveria ter agido de forma diferente.

No entanto, tenha em mente que a pessoa que você é hoje foi formada graças a essas decisões das quais você se arrepende. Aceitar a si mesmo também implica aceitar versões do seu “eu” passado.

Mão oferecendo um coração

2. Mantenha-se no presente

A culpa derivada do arrependimento, como limitação e sustentada ao longo do tempo, costuma estar associada a uma conexão prejudicial com o passado e com o futuro que poderia advir de outras decisões tomadas. Assim, o presente é excluído da nossa mente quando experimentamos sentimentos de auto-recriminação.

Reencontrar-se com o prazer de viver o presente e aproveitar os momentos simples do dia a dia pode ser útil para romper essa relação prejudicial com o passado. Na verdade, é possível que, se não o fizermos, nos arrependamos no futuro por ter perdido momentos especiais do nosso dia a dia.

3. Expresse as suas emoções

Aprender a expressar nossas emoções nos permitirá compartilhar com outras pessoas como os sentimentos de arrependimento nos afetam. Isso pode nos permitir receber o apoio necessário para superar as percepções negativas associadas a esse sentimento de fracasso e culpa.

Por outro lado, ser capaz de expressar nossas emoções e desejos a tempo pode nos salvar de futuros sentimentos de arrependimento. Dizer aos nossos amigos, família ou parceiro o quanto os amamos e como eles são importantes para nós nos ajudará a manter relacionamentos mais saudáveis e duradouros. Além disso, expressar nossa gratidão nos tornará mais conscientes do que nos rodeia e nos permitirá estar em paz com nós mesmos e com o nosso ambiente.

Também é importante que possamos expressar nossa raiva, sempre de forma assertiva e respeitosa. Muitas vezes nossos arrependimentos vêm de situações em que agimos com base no que os outros esperavam, e não no exercício da nossa autonomia. Aprender a dizer “não” é uma parte essencial do processo.

4. Aprenda a correr riscos

Como já mencionamos, um motivo recorrente para a culpa que o arrependimento gera é ter perdido oportunidades por medo de correr riscos. O medo do fracasso muitas vezes nos instala em um estado de inércia que só nos leva à conformidade, à passividade e à apatia.

É normal que tenhamos uma tendência a evitar riscos e sempre tomemos os caminhos mais seguros. No entanto, há momentos em que vale a pena mergulhar fundo em uma situação e correr o risco de agir.

Nesse caso, também pode ser importante receber apoio e conselhos de nossos entes queridos para ter diferentes perspectivas e tomar a decisão que melhor corresponda aos nossos desejos. Somado a isso, apostar em novidades (atividades, refeições, filmes, etc.) vai encher nossas vidas de experiências enriquecedoras.

5. Valorize as suas conquistas

Valorize suas conquistas diárias e extraordinárias. Tente se concentrar no que você fez bem.

Provavelmente, se compararmos o que lamentamos com aquilo de que nos orgulhamos, perceberemos que tomamos decisões muito sábias em diferentes momentos de nossas vidas. Cometemos erros, como todo mundo, mas esses erros nos permitiram ser quem somos hoje.

Mulher feliz sorrindo

6. Não se esqueça do seu senso de humor

Por fim, lembre-se de que muitas das coisas que dão errado acabam se transformando em histórias ou pontos capazes de mostrar o valor da nossa evolução. Ser capaz de rir dos nossos erros em muitos casos nos tornará mais conscientes deles e nos ajudará a superá-los.

O uso positivo do humor está relacionado à sociabilidade, ao afeto e à abertura para a novidade, e pode ser fundamental para viver com menos arrependimento.

Pode interessar a você...
8 conselhos para gerenciar o rancor
A mente é maravilhosa
Leia em A mente é maravilhosa
8 conselhos para gerenciar o rancor

Podemos usar algumas dicas para gerenciar o rancor diante de uma situação que nos deixa com raiva, para que possamos identificar a causa do problem...



  • Aidan Feeney, Eoin Travers, Eimear O’Connor, Sarah R. Beck & Teresa McCormack (2018) Knowing when to hold ‘em: regret and the relation between missed opportunities and risk taking in children, adolescents and adults, Cognition and Emotion, 32:3, 608-615, DOI: 10.1080/02699931.2017.1326373
  • Katherine Gasdaglis (2021) Moral regret and moral feeling(s), Inquiry, 64:4, 424-452, DOI: 10.1080/0020174X.2019.1592701