Embora ainda não saiba, você conhece alguns psicopatas

· dezembro 1, 2016

Alguns cometem matanças, outros planejam assassinatos em série. Outros são o nosso vizinho, amigo, parceiro ou prefeito, e talvez nunca cometam atos aparentemente tão repulsivos, mesmo que no fundo o sejam. Com suas artimanhas, desprezo, omissão de socorro, evasão de responsabilidade e minimizando as realizações dos outros, eles tentam se impor da mesma forma.

São psicopatas e, embora custe acreditar, são muitos. Alguns podem ser encontrados em bairros marginais maltratando cachorros e outros são os que aprovam o seu empréstimo no banco. Alguns são interpretados de forma magistral, como Anthony Hopkins no seu papel de Hannibal Lecter em “O Silêncio dos Inocentes” e outros agem de igual maestria longe das câmeras.

Os psicopatas passam totalmente despercebidos em uma sociedade como a nossa, na qual a agressividade, o individualismo, o egocentrismo, o encanto fingido, a indiferença ou a frieza em relação aos sofrimentos dos outros são recursos aprovados socialmente para alcançar o sucesso. Assim, se quisermos nos defender deles, a primeira coisa que temos que fazer é identificá-los.

O que é um psicopata

Alguns autores como Hervey Ceckley, Cooke e Michie, Robert Hare ou Blackburn tentaram resumir as principais características dos psicopatas, as quais iremos aprofundar mais adiante.

Em suma, o que todas essas pesquisas e os estudos mais recentes sugerem é que existe uma predisposição para ser psicopata. Uma tendência motivada por um sistema nervoso no qual o lobo pré-frontal e a amígdala estão menos preparados para interpretar as chaves emocionais e para tomar decisões que considerem o seu bem-estar pessoal e o dos outros a médio e a longo prazo.

O ambiente pode incentivar as crenças e os hábitos antissociais, favorecendo estes recursos inatos. Isso nos dá uma dica: pode ser que uma pessoa tenha essa predisposição orgânica, mas se ela é educada em uma sociedade com valores e onde o triunfo não é baseado na aparência, violência, manipulação e falsa moral, ela terá uma probabilidade muito baixa de desenvolver essa tendência. Inclusive a irá reverter.

Também existem psicopatas que são feitos, que não contavam com predisposição genética alguma, mas que ao viver em um ambiente extremamente perturbador, acabaram por desenvolver essa tendência. Existem teorias muito mais céticas e pessimistas que afirmam que a psicopatia é desenvolvida a partir dos 3-5 anos e que o ambiente em que a pessoa estaria inserida não teria tanta influência.

Lugar e características do psicopata

Estima-se que um ou dois por cento da população seja de psicopatas puros. Existe uma proporção de 5 homens para 1 mulher. Primeiro no mundo do crime, e depois na sociedade integrada em profissões que são baseadas na aparência e no fingimento, como a política, os negócios ou na liderança de grandes movimentos espirituais que têm apenas interesse econômico.

Essas pessoas costumam ter um charme externo e inteligência notável em certas ocasiões. Existem diferentes classificações dos psicopatas segundo vários autores:

Critérios diagnósticos da psicopatia segundo Cleckley

Cleckley destaca os seguintes critérios diagnósticos da psicopatia:

  • Charme superficial e inteligência notável
  • Ausência de alucinações e outros sinais de pensamento irracional
  • Ausência de manifestações psiconeuróticas
  • Pessoa que não inspira confiança
  • Falsidade ou insinceridade
  • Incapacidade para experimentar remorso ou vergonha
  • Comportamento antissocial sem justificação aparente
  • Falta de juízo e dificuldades para aprender com a experiência
  • Egocentrismo patológico e incapacidade de amar
  • Escassez habitual de reações afetivas básicas
  • Perda específica de intuição
  • Insensibilidade nas relações interpessoais ordinárias
  • Comportamento exagerado e desagradável sob o consumo de álcool e, às vezes, sem ele
  • Ameaça de suicídio raramente consumado
  • Vida sexual impessoal, frívola e pouco estável
  • Incapacidade para seguir qualquer plano de vida

psicopatas-manipulacao

Características do psicopata segundo Robert Hare

Por outro lado, o psicólogo e pesquisador Robert Hare menciona como características psicopáticas:

  • Grande capacidade verbal e um charme superficial
  • Autoestima exagerada
  • Constante necessidade de obter estímulos e tendência ao tédio
  • Tendência a mentir de forma patológica
  • Comportamento malicioso e manipulador
  • Carência de culpa ou de qualquer tipo de remorso
  • Afetividade frívola, com uma resposta emocional superficial
  • Carência de empatia. Crueldade e insensibilidade
  • Estilo de vida parasitário
  • Falta de controle sobre o comportamento
  • Vida sexual promíscua
  • Histórico de problemas de comportamento desde a infância
  • Falta de metas realistas a longo prazo
  • Atitude impulsiva
  • Comportamento irresponsável
  • Incapacidade patológica para aceitar se responsabilizar pelos seus próprios atos
  • Histórico de muitos casamentos de curta duração
  • Tendência para a delinquência juvenil
  • Revocação da liberdade condicional
  • Versatilidade para a ação criminal

Características do psicopata segundo Blackburn

Blackburn considera quatro subtipos de psicopatas:

  • Os “psicopatas primários” (P: impulsivos, agressivos, hostis, extrovertidos, confiantes em si mesmos,  com baixo grau de ansiedade). Neste grupo se encontram predominantemente os narcisistas, os histriônicos e os antissociais.
  • Os “psicopatas secundários” (S: hostis, impulsivos, agressivos, socialmente ansiosos, isolados socialmente, mal-humorados, com baixa autoestima). Aqui se encontram os antissociais, os esquivos, os esquizoides, os dependentes e os paranoicos.
  • Os “psicopatas controlados” (C: defensivos, controlados, sociáveis, não ansiosos). Este grupo mostra números mais baixos de transtornos de personalidade.
  • Os “psicopatas inibidos” (I: tímidos, isolados, controlados, moderadamente ansiosos, com baixa autoestima). Aqui há os esquizoides, esquizotípicos e passivo-agressivos, mas mostram números baixos de antissocialidade.

homem-olhando-sua-sombra-de-diabo

O psicopata segundo Cooke e Michie

Cooke e Michie assinalam:

  • Arrogância, manipulação interpessoal
  • Experiência afetiva indiferente
  • Impulsividade, comportamento irresponsável

Como detectar e se proteger dos psicopatas?

Se um ou mais psicopatas nos repreenderem física ou sexualmente de forma individual ou em grupo, pouco poderemos fazer para nos defender. Infelizmente não são um, nem dois, nem três os casos que sabemos que houve um estupro coletivo, no qual a vítima não pode fazer nada para se defender.

Nestes casos falaríamos de uma mentalidade psicopata coletiva, em muitos casos aumentada pelo consumo de alguma droga, como o álcool: não se comete apenas um ato de violência brutal, como também posteriormente se age com frieza total, inclusive fazendo piada sobre o que ocorreu.

Nossa sociedade teria um desafio importante: retratar o psicopata como um fracassado emocional, não incentivar que suas características estejam associadas com o sucesso.

No entanto, existem situações nas quais podemos detectar um psicopata e podemos nos afastar deles: quer seja no nosso local de trabalho, no início de uma relação sentimental ou sem dar o nosso voto em uma urna.

A chave é detectar sua manipulação com uma estratégia muito simples: comprovar que nada do que ele diz corresponde com o que faz, a grande indiferença perante o sofrimento alheio, relações emocionais muito deterioradas apesar daquilo que quer deixar transparecer, sua frieza afetiva, além do seu elevado egocentrismo.