Você me conhece muito bem, mas não direi quem sou até o final

· agosto 25, 2017

Você me conhece muito bem. Estou aqui por você, só tenho uma oportunidade para recuperá-lo e só no final revelarei a minha verdadeira identidade. Me responda de forma sincera: quanto tempo faz que você não olha para as estrelas? O que tem a luz do seu celular que não tenham os buracos por onde a luz do céu se infiltra?

Só pretendo chegar a você de alguma forma, a você que já tem certa experiência de vida, que sabe se virar um tanto pelos meandros desta sociedade cheia de espantalhos com smartphones. A você que está perdendo a capacidade de se surpreender, escrevo a você porque, no fundo, você me conhece.

Quero que você preste atenção em mim

Agora que você se acha dono da única verdade, a sua, e que uma falsa estabilidade tapa seus olhos com um anúncio de óculos polarizados, agora você pode me ouvir. Mas… por que você iria querer me escutar? Você que já viajou meio mundo e que se defende com esse inglês; esse que jamais será tão bom quanto você gostaria.

Criança caminhando com ursinho

Você ficou sem ar tantas vezes… Seus pés caminharam velozes pela areia ardente de infinitas praias, a você que guarda seus tênis rasgados de dançar nos melhores festivais do seu pais. A você que guarda já umas quantas cicatrizes que mostra com orgulho diante dos seus amigos, essas que demonstram os seus defeitos confessáveis ou serviram em um julgamento como prova da sua ousadia.

Inclusive, assim me atrevo a lhe escrever, me atrevo a lhe dizer as coisas na cara porque você me conhece muito bem, porque eu sou você. Sim, onde dói em você, também dói em mim, essas cicatrizes também são minhas. Nesse sentido, eu sou a pessoa que você foi, o menino ou menina que arde no seu interior e que está preso numa massa de ossos e carne, também de medos e espelhismos. Estagnado pelas normas inventadas por um antepassado embriagado de poder.

Quero que você volte a sonhar

Quero, proponho, que você olhe o céu estrelado. Gostaria que as coisas só fossem coisas e que as pessoas adquirissem a importância que merecem. Preciso que você volte a se surpreender com os pequenos detalhes, que pule nas poças e que seja capaz de correr atrás das pombas como aquele garoto do parque. Que você não fuja da chuva e seja capaz de se molhar sem medo.

Jovem feliz tomando chuva

Viva hoje porque amanhã talvez seja tarde, dedique tempo a si mesmo. Compartilhe-o com as pessoas que o merecem, essas que o acolhem, essas que não contaminam. Porque a vida é isso, a vida é compartilhar. Faça isso sozinho ou acompanhado, mas seja fiel a seus sentimentos, não decepcione a si mesmo. Seja consistente.

Me despeço dizendo que amo você. Quem o ama mais do que eu? Ninguém. Pense em todos os momentos em que estive com você. Por isso o encorajo, desde o carinho que nos une, proponho que você comece por algo simples. Pode ser uma guerra de bexigas d’água, um desafio à gravidade patinando ou um tempo se ocupando sozinho e exclusivamente de chutar uma bola… e de dar a essa criança outra oportunidade.

Pense que o mundo está cheio de pessoas que falharam com você, mas há outras que jamais falharão… e as primeiras nunca serão um bom exemplo das segundas.