Para você que me olha, e me carregou a alma

Para você que me olha, e me carregou a alma

agosto 5, 2015 em Emoções 0 Compartilhados
você que me olha

Um garoto qualquer:
Uma vez se sentou mais perto de mim, poucos metros nos separavam, na verdade milhões. A minha covardia me fazia olhá-la quando eu não estava ao alcance da sua vista, e quando ela levantava a cabeça daquele livro, eu não podia fazer outra coisa que abaixar a minha no meu livro.

Sempre esperava que saísse primeiro e observava com cuidado como ia embora lentamente sem fazer barulho. Amavelmente se despedia da encarregada da biblioteca e, sem olhar para trás, desaparecia por aquela triste porta.

Em casa, sempre contava as horas para voltar a vê-la. Sonhava acordado e dormindo, com sua forma delicada de passar as páginas e a careta tão especial que fazia quando se concentrava em alguma parte do que lia. Contava os segundos e ali se sentava no dia seguinte no mesmo lugar para voltar a vê-la…

Uma garota qualquer:
Ali estava ele, no mesmo lugar, extasiado em seus livros, com essas camisas horríveis que certamente a sua mãe lhe comprava, ali como sempre. Mais uma vez o seu coração disparou, não conseguia se concentrar nos seus livros, e precisou olhar, levantando dissimuladamente o seu rosto na direção em que ele estava, com a intenção de explorá-lo uma vez mais.

Esse óculos eram horríveis, mas ele era tão atraente e tão interessante que rogava para que em algum momento ele se levantasse e a convidasse para um café. Se perguntava sobre o seu assunto de estudo e se teria namorada. Mesmo que não tivesse tanto para estudar, vê-lo ali sentado, dia após dia, semana após semana, fazia melhorar as suas notas.

Quando ela ia embora, sempre se aproximava da responsável pela biblioteca e, com cumplicidade, lhe perguntava se ele a tinha olhado saindo, e a encarregada com óculos de fundo de garrafa não sabia bem o que lhe dizer já que a vista não lhe dava para tanto.

E em casa, escrevia em seu diário as coisas que haviam lhe chamado a atenção sobre ele, dia após dia, e escrevendo no final um parágrafo imaginário que o seu coração dizia sobre algo que não tinha acontecido, pedindo para que acontecesse. Simplesmente que ele se dirigisse a ela e se apresentasse.

Carpe Diem

Na vida, nos preocupamos muito com o passado, com o futuro e poucas vezes vivemos o presente. Deixamos que este se vá das nossas mãos e não percebemos que, quando vai embora, não volta nunca mais.

Na infância queremos ser adultos, na juventude vivemos como se a vida fosse eterna, e na fase adulta cremos que já resta pouco tempo. Até chegarmos a uma etapa da vida em que fazemos um balanço da trajetória. Nos perguntamos se a nossa vida valeu a pena, se fizemos bem e se aproveitamos as oportunidades que a mesma nos deu.

Muitas vezes sim o fizemos, outras vezes não… E nas vezes que não, talvez nos perguntemos: E se…?

Carpe diem é uma expressão latina que significa “viva o momento”. Ainda que o seu significado vá muito além disso, é uma filosofia existencial de vida. É uma forma diferente de apreciar a vida, é um apelo à liberdade, é tocar com os dedos os momentos que a vida nos dá.

Aproveite a vida, respire o momento, pegue o ar, sinta o vento, viva o presente e viva a sua existência, não a deixe passar porque os momentos se perdem e não vão voltar a acontecer, vão embora… e não voltam. Aproveite a vida, beba-a sem se embriagar e deleite-se com o seu frescor.

você que me olha

Viva para jamais ter que se perguntar: E se…?

É bom planejar o futuro e é bom lembrar o passado, de onde viemos e para onde vamos, mas tudo deixa de ter sentido se não aproveitamos o que temos diante de nós, seja olhar a brincadeira de um bebê, curtir um beijo ardente, um bom vinho ou um bom livro, ou um passeio pela beira da praia, ou sentir os raios do sol nas costas.

Viver a vida é muito mais que vivê-la, é senti-la, respirá-la, amá-la, aproveitar os momentos que ela nos dá e se deitar esperando com vontade um novo dia por descobrir. Porque até com as coisas ruins aprendemos algo bom, e sem o ruim não seria possível apreciar o bom.

Viver o momento leva a uma aprendizagem, é se deixar levar, perceber o entorno sem criar julgamento, sentir sem pensar. Viver de acordo aos valores e viver sem controlar, deixando que os momentos fluam e deixando que esses momentos nos convidem e enriqueçam nossa alma.

Em resumo, Carpe Diem nos diz que não deixemos passar as oportunidades de ser feliz. Um amor, um trabalho ou uma oportunidade de melhorar só pode acontecer em um momento mágico e único da nossa vida.

Pegue-o, agarre-o com força e leve-o para si.

Você que me olha…

Um dia, depois de muitos dias, um deles se encontrou com um envelope fechado pelas mãos da bibliotecária. Ao abri-lo, havia um bilhete que dizia: “Para você que me olha, e me carregou a alma”.

Imagem cortesia de Zurijeta

Recomendados para você