Wolfgang Köhler, a inteligência e os chimpanzés

janeiro 30, 2019

Wolfgang Köhler foi um dos representantes de maior destaque da famosa psicologia da Gestalt. Ele teve o cuidado de explicar um dos tópicos mais complexos da escola: a aprendizagem. O curioso é que boa parte de seus postulados foram fruto de uma observação longa, paciente e frutífera dos chimpanzés.

Este grande pesquisador viveu em uma época em que a determinação era grande para dar cada vez mais bases científicas para a psicologia. Na América do Norte, a escola behaviorista estava sendo imposta pouco a pouco. Essa corrente pretendia validar apenas os comportamentos observáveis. Enquanto isso, na Europa, a psicologia da Gestalt estava tomando forma. Ela também trabalhava no laboratório, mas buscava uma interpretação fenomenológica dos resultados.

Wolfgang Köhler foi um dos pilares da Gestalt, junto com Max Wertheimer e Kurt Koffka. Embora não tenha sido o mais notável desse triunvirato, ele forneceu elementos valiosos para o avanço da nova escola. Esta foi, em termos gerais, sua vida e sua obra.

“Seria interessante nos perguntarmos quantos avanços essenciais foram feitos na ciência devido ao fato de que os limites das disciplinas especiais não foram respeitados… ultrapassar os limites é uma das técnicas mais bem sucedidas da ciência”.
-Wolfgang Köhler-

A origem de Wolfgang Köhler

Wolfgang Köhler nasceu na cidade de Reval (Estônia) em 21 de janeiro de 1887. Ele tinha um irmão e várias irmãs. Seu pai era professor e sempre incutiu em seus filhos um amor pelo conhecimento e pela arte.

Quando Wolfgang tinha apenas 6 anos, sua família se mudou para a Alemanha, onde o futuro pesquisador permaneceria durante boa parte de sua vida.

Universidade na Alemanha

A formação universitária de Wolfgang Köhler foi excepcional. Ele passou pelas universidades de Tübingen, depois de Bonn e, mais tarde, de Berlim. Durante sua transição pelo ensino superior, ele esteve em contato com várias disciplinas. Ele ficou particularmente impressionado com a biologia, a física e a psicologia. Wolfgang recebeu seu doutorado nesta última área em 1909, na Universidade de Berlim.

Recém-graduado, ele começou a trabalhar no Instituto Psicológico de Frankfurt. Primeiro, ele ocupou o cargo de assistente e, mais tarde, foi promovido a professor. Foi aí que ele conheceu Max Wertheimer e Kurt Koffka.

O trabalho dos três se transformaria na escola da Gestalt. Em 1912, ele se casou com a artista Thekla Achenbach. Um ano depois, foi nomeado diretor do Centro de Pesquisa de Monos Antropomorfos na Academia de Ciências Aplicadas de Tenerife em Preussen. A partir daí, sua vida mudou completamente.

Chimpanzé pensativo

A observação de chimpanzés em Tenerife

Wolfgang Köhler foi o primeiro a utilizar os chimpanzés como base para um estudo de psicologia. Antes, só havia experimentos com cães e gatos em termos de condicionamento. Partindo do princípio de que os macacos tinham um grau de parentesco com a raça humana, um dos principais objetivos de Köhler era ver até que ponto eles eram semelhantes e até que ponto eram diferentes dos humanos em relação à aprendizagem.

A partir de suas pesquisas, Wolfgang Köhler estabelece o conceito de aprendizagem por insight, ou seja, por discernimento repentino baseado em uma série de estímulos prévios. Ele apresenta este conceito em sua obra A Mentalidade dos Macacos, publicada em 1925. Nela, ele descreve vários dos experimentos realizados em Tenerife.

O que Köhler fez com os chimpanzés foi, basicamente, atrapalhar seu objetivo de conseguir a comida que tinham à vista. Ao mesmo tempo, ele colocava ferramentas em volta deles que lhes permitiam superar o obstáculo. O pesquisador descobriu que os macacos conseguiam resolver o problema, mas não o faziam de forma linear. Isso quer dizer que houve uma espécie de salto abrupto em seu raciocínio e desempenho.

Os últimos anos de Köhler

Durante o tempo que esteve em Tenerife, ocorreu a Primeira Guerra Mundial. Os britânicos tiveram muitas especulações que ligavam Köhler à espionagem.É por isso que em 1920 ele saiu do seu emprego na ilha e retornou a Berlim. Naquela época, sua fama cresceu e era cada vez mais requerido pelos centros acadêmicos de todo o mundo.

Wolfgang Köhler falou publicamente contra o nacional-socialismo. Portanto, quando a Segunda Guerra Mundial começou, ele teve que emigrar para os Estados Unidos, já que temia por sua vida. Lá, ele foi contratado como professor em universidades de prestígio como Princeton e Dartmouth. Em 1959 foi nomeado presidente da APA (Associação Americana de Psicologia).

Köhler faleceu em 1967, em New Hampshire. Seu conceito de insight ainda é válido na psicologia. Seus trabalhos mais conhecidos são Testes de Inteligência em Antropoides (1917), Dinâmica em Psicologia (1940), A Psicologia da Forma (1947) e Conexões Dinâmicas em Psicologia (1959).

  • Köhler, W., & Crespo, J. C. G. (1989). Experimentos sobre la Inteligencia de los Chimpancés: con un apéndice sobre la Psicología del Chimpancé. Debate.