5 consequências do excesso de trabalho - A Mente é Maravilhosa

5 consequências do excesso de trabalho

Abril 22, 2018 em Emoções 0 Compartilhados
Consequências do excesso de trabalho

O excesso de trabalho se tornou a marca registrada de muitas pessoas. Assumimos que trabalhar é algo louvável, o que é verdade, mas não quando se permite que o ambiente de trabalho invada toda a vida. Se isso acontece, a existência vai se empobrecendo gradualmente.

As pessoas caem no excesso de trabalho por diferentes razões. Talvez a renda de um único emprego possa não ser suficiente e seja necessário buscar outros trabalhos. Outras vezes o que há é uma paixão desmedida pelo trabalho, ou pelo sucesso que se pode alcançar.

“Estamos cheios de truques para evitar o trabalho, mas dispomos de pouco ócio autêntico.”
-Laurence J. Peter-

Também existem os casos em que o excesso de trabalho se torna um mecanismo para fugir de outros aspectos da vida, quando eles são problemáticos. Seja qual for o caso, só indica que existem problemas e que estes devem ser resolvidos antes que seja tarde demais. As conseqüências podem ser muito sérias. Estas são cinco deles.

Consequências do excesso de trabalho

1. Deterioração das relações afetivas e sociais

A primeira consequência do excesso de trabalho é uma deterioração progressiva de outras áreas da vida. Em primeiro lugar, como muitas horas são dedicadas ao trabalho, sobra pouca energia emocional disponível para outros aspectos. De fato, é comum que trabalhar excessivamente seja uma forma de evitar dificuldades em outras esferas.

Fósforo queimado

O excesso de trabalho muitas vezes é percebido como abandono ou rejeição pelo parceiro. Surge o fantasma da ausência. O outro sente que está em segundo lugar. O mesmo acontece com a família ou com os amigos, que percebem claramente a falta de disponibilidade.

Do mesmo jeito, quando uma pessoa tem poucas relações afetivas, trabalhar em excesso não ajuda a resolver o problema. O que se faz é encobri-lo e, muitas vezes, aumentá-lo. Portanto, em todos os casos as relações vão desaparecendo nessas circunstâncias.

2. Fadiga 

Quando há excesso de trabalho, também há fadiga. Isso ocorre inicialmente através de um cansaço físico e mental. Do cansaço logo se passa à exaustão, mas ao mesmo tempo a pessoa sente que não pode ou não deve parar.

O esgotamento tem efeitos diretos sobre o humor. Muitas vezes, dá espaço para que surja uma forte apatia diante de tudo e uma relutância constante. O entusiasmo vai desaparecendo. Você perde o interesse por quase tudo. Surge a tristeza e, para passar dela para a depressão, é apenas um passo. Há também a ansiedade e às vezes angústia, em diferentes intensidades.

3. Queda na produtividade

O paradoxal é que o excesso de trabalho leva à improdutividade. O cansaço, a apatia e estado de espírito instável afetam a capacidade de realizar tarefas com excelência. Acaba-se cumprindo as tarefas apenas por cumprir.

Algumas pessoas com características obsessivas insistem em fazer tudo da melhor maneira. Assim, a sobrecarga de trabalho limita suas habilidades criativas. Fica mais difícil inovar e ser mais eficiente. Isso só é possível quando você tem uma mente tranquila e as emoções estão controladas.

Homem com sono devido ao excesso de trabalho

4. Problemas de saúde

Existem muitas doenças físicas que ocorrem pelo excesso de trabalho. Geralmente tudo começa com problemas gastrointestinais. Má digestão, gastrite, constipação e outros problemas como estes. Também é comum que surjam problemas de pele, alergias súbitas ou resfriados periódicos.

Com o tempo, os problemas de saúde tornam-se mais complexos. Não é incomum que quem trabalha excessivamente comece a ter dificuldades para dormir, o que às vezes pode se transformar em insônia crônica. Tampouco são rasos os casos em que hipertensão ou problemas circulatórios começam a aparecer.

Neste ponto, é importante notar que a morte por excesso de trabalho não é um mito. Sabe-se que quando esse comportamento é mantido por muito tempo, ataques cardíacos ou derrames podem ocorrer. As conseqüências de trabalhar muito são imprevisíveis.

5. Automatismo e perda de significado

Quando você trabalha em excesso, a vida vai perdendo o sentido de novidade. Por mais que o trabalho exija empenho e criatividade, em um dado momento se torna uma grande rotina. Para tolerar a carga de trabalho, sem perceber a pessoa desenvolve diferentes automatismos. São formas estereotipadas de agir, que evitam o gasto de tempo para pensar.

Boneco representando estresse no trabalho

Isso, por sua vez, gera uma sensação de falta de significado diante de tudo. De tempos em tempos, começam a aparecer pensamentos e perguntas sobre o verdadeiro significado da vida. Se também houver traços depressivos, as conseqüências podem ser muito sérias.

O excesso de trabalho, como qualquer excesso, deve ser evitado a todo custo. Não traz nada além de problemas. A vida é uma só e tem muitas dimensões. Reduzi-la a uma única dimensão gera sérios efeitos para nossa saúde física e mental. É melhor repensar, reconstruir e abrir-se para modos de vida mais completos.

Recomendados para você