5 frases sensacionais de Kenzaburo Oé

· agosto 4, 2018

Muitas das frases de Kenzaburo Oé são um reflexo das suas tragédias pessoais e dos terríveis eventos sociais que ele testemunhou. Ele é um dos escritores mais importantes e profundos do século XX. Também um dos mais lidos em todo o mundo.

Kenzaburo Oé nasceu em uma pequena aldeia no Japão. Ele vinha de uma família muito humilde e o seu desejo de progredir o levou a morar em Tóquio, onde se formou em Filosofia e Literatura. Ele sofreu um choque cultural, porque a sua aldeia natal era muito diferente da grande cidade que encontrou. Isso o levou a elaborar os seus primeiros textos.

“Desde criança eu tenho interesse em saber como o nosso corpo limitado se ajusta ao sofrimento”.
-Kenzaburo Oé-

A maioria das frases de Kenzaburo Oé é curta e direta. Elas têm uma essência humanista, com nuances existencialistas. O seu estilo é ágil e vigoroso, com grande riqueza de imagens poéticas e reflexões profundas. Estas são algumas das suas afirmações mais conhecidas.

1. Uma das frases de Kenzaburo Oé sobre o medo

O medo aparece várias vezes nas frases de Kenzaburo Oé, explícita ou implicitamente. No entanto, o seu objetivo não é sucumbir ao medo, mas sim refletir sobre ele. Este maravilhoso escritor, Prêmio Nobel de Literatura em 1994, também acredita na capacidade do ser humano de se libertar de si mesmo.

Pássaros atacando ser humano

Uma das frases de Kenzaburo Oé que refletem esse espírito diz: “Para controlar o medo, você tem que isolá-lo. E para isso, tem que definir o seu objeto com precisão”. Ótimo conselho. Especificar qual é o objeto do medo é uma maneira de começar a superá-lo.

2. As duas faces do mundo

Uma das frases de Kenzaburo Oé diz: “Quando eu quero olhar para o nosso mundo com os dois olhos, o que eu percebo são dois mundos sobrepostos: um brilhante e luminoso, surpreendentemente nítido; o outro, impreciso e sutilmente sombrio”.

Neste texto se reflete a ambiguidade da existência, que também é a ambiguidade do ser humano. A dualidade que nos habita: o bom e o mau, o brilhante e o escuro, o grandioso e o miserável… Enfrentamos esse paradoxo constantemente ao longo da vida.

3. O bom escritor

Kenzaburo Oé também refletiu em muitas ocasiões sobre a própria profissão de escritor. Além de uma vocação, a escrita também é uma posição diante da vida. Ao mesmo tempo, constitui um testemunho, uma terapia e um exercício cultural.

A esse respeito, ele diz: “Um bom escritor não deve se estabilizar nunca”. Refere-se ao fato de que um dos motores que leva à escrita é justamente a instabilidade. Se não fosse assim, basicamente não haveria razão para imaginar outros mundos possíveis através da literatura.

Pessoa usando o computador

4. O fantasma da bomba atômica

Um dos eventos que mais atingiu Kenzaburo Oé foi o lançamento da bomba atômica em Hiroshima e Nagasaki. Não só por causa da devastação que causou, mas também por causa da impressionante quantidade de sequelas físicas e psicológicas que ela deixou nos japoneses.

Há muitas frases de Kenzaburo Oé dedicadas a este assunto. Uma delas diz: “A lição mais importante do drama de Hiroshima é a dignidade”. Refere-se à vontade inabalável do seu povo de reconstruir a nação depois desse terrível acontecimento. Os japoneses conseguiram se dimensionar diante do momento histórico: primeiro com a rendição e depois com a reconstrução.

5. O ato de mentir

O objetivo de Kenzaburo Oé não é moralizar através da sua literatura. Ele não tenta dar lições de moral, nem pretende propor modelos de comportamento. No entanto, o questionamento ético está na base de todos os seus romances e ensaios. Isso acontece mais como uma reflexão do que como uma abordagem explícita ou dogma.

Uma das suas frases diz: “Se você mentir para sair de um problema, deve fazê-lo de forma que não precise mentir novamente quando a verdade for descoberta”. Como vemos, ele não tenta condenar a mentira, mas indicar a sua inconveniência. Assume-se que a verdade vem à luz e que, portanto, esse fato deve ser levado em consideração ao emitir uma falsidade.

Máscara com nariz de mentiroso

Além da bomba atômica, o que mais angustiou Kenzaburo Oé é o fato de ter um filho com deficiência intelectual. Isso mudou totalmente a sua vida e também a sua literatura. Talvez seja por isso que, quando você o lê, tem a impressão de estar diante de alguém que, com certeza, sonhou em decifrar o significado do impossível.