6 técnicas de motivação no trabalho

· setembro 29, 2018

A motivação no trabalho é um aspecto importante no desenvolvimento da nossa vida profissional. Embora inicialmente este seja um elemento que deveria estar presente, a realidade é que em muitos casos não está.

Felizmente, a boa notícia nesses casos é que falamos de uma situação psicológica que pode ser melhorada se fizermos algumas mudanças.

Vamos pensar que nossas emoções estão intimamente ligadas ao desenvolvimento das funções no local de trabalho; emoções que, por sua vez, também estão muito ligadas à motivação. Além disso, e infelizmente, há um alto percentual de trabalhadores que não se sentem satisfeitos com o trabalho que fazem, e este é, sem dúvida, um dos fatores que mais penaliza sua motivação no trabalho.

Técnicas de motivação no trabalho

O uso de técnicas permanentes de motivação no trabalho nos permitirá descobrir que tipo de posição mais gostamos, como podemos adequar nosso trabalho atual aos nossos gostos, e como fazer com que aqueles que trabalham conosco se sintam motivados com suas tarefas.

Colegas de trabalho conversando

1. Inserir corretamente o trabalhador no cargo

Uma inserção correta do trabalhador em seu local de trabalho implica a localização ideal de acordo com seus conhecimentos e capacidades. Os valores mais apreciados são a confiança e a autonomia na hora de trabalhar. Essa autonomia propicia um maior envolvimento, comprometimento, autoavaliação, e estimula habilidades para encontrar soluções para os problemas cotidianos.

Além disso, aplicando este princípio, estamos dando um lugar ao trabalhador e gerando um ambiente emocional que favorece o seu desenvolvimento.

2. Estabelecer um bom plano de riscos de trabalho

O plano de riscos de trabalho e a promoção da saúde devem fazer parte da empresa, não como ações externas, mas como parte de uma abordagem baseada no conforto e na redução dos níveis de estresse, sem negligenciar a higiene e outros fatores mais diretamente envolvidos na proteção contra os riscos.

Com esse princípio, cuidamos da saúde e segurança do trabalhador, gerando um ambiente físico seguro e confortável para o desenvolvimento de suas funções.

3. Aplicar reconhecimentos e incentivos

Um dos fatores que a psicologia atribui à boa autoestima, a uma maior capacidade de oferecer o melhor de nós mesmos e de amar o que fazemos é o reconhecimento: como seres sociais, precisamos que os outros nos validem, nos reconheçam e reconheçam o produto do nosso esforço. Assim, é importante reconhecer o trabalho bem feito, tanto individualmente quanto em grupo.

Por outro lado, os incentivos bem utilizados – quando mal utilizados podem ter o efeito oposto – podem acelerar o desempenho do trabalhador em certas responsabilidades de seu trabalho. Esses incentivos podem não estar diretamente relacionados com a parte financeira: existem muitas ideias e soluções nesse sentido, como bônus, passes para eventos, possibilidade de receber treinamentos altamente especializados e diferenciados, etc.

4. Benefícios sociais do posto

Os benefícios sociais consistem em que parte do salário do trabalhador seja traduzido em serviços e benefícios gratuitos que lhes permitam enfrentar as dificuldades diárias: plano de saúde e odontológico, seguro de vida, plano de previdência, creche, ticket de alimentação, auxílio escolar, etc.

Muitas empresas, nos anos de crise em que os salários permaneceram congelados, implementaram um sistema de benefícios sociais para compensar a perda do status quo. Este tipo de ajuda é altamente valorizado pelos trabalhadores, especialmente em tempos de dificuldade econômica, nos quais o acesso aos recursos é mais limitado.

5. Aproximar-se dos funcionários e colegas

Um bom líder deve ter a proximidade necessária para orientar os trabalhadores, e essa função envolve a preocupação com o bem-estar pessoal de seus funcionários. Esse interesse tem que ser sincero, fruto de relacionamentos cultivados a partir da confiança e da proximidade.

Reunião de trabalho descontraída

6. Melhorar o desempenho profissional

Infelizmente, muitos trabalhadores desenvolvem sua ocupação sem ter objetivos claros, sem as ferramentas necessárias ou com pouco planejamento e apoio da organização.

Portanto, preocupar-nos com o que é preciso para obter resultados, ou simplesmente nos perguntarmos de tempos em tempos o que podemos fazer para melhorar o espaço de trabalho ou a eficácia da empresa, são ações simples que melhoram o desempenho de outras pessoas.

Em suma, este princípio nos lembra de que as pessoas precisam sentir que recebem o apoio necessário para desenvolver as tarefas que lhes foram confiadas. Além disso, com o apoio certo, também proporcionamos um feedback que lhes permitirá melhorar e aumentar a sua autoeficácia.