7 sinais de um ambiente de trabalho tóxico

· outubro 8, 2018

Um ambiente profissional saudável produz satisfação, bem-estar e boas relações entre os colegas de trabalho. No entanto, nem sempre essas circunstâncias estão presentes. Às vezes, pode ser que nos sintamos frustrados, cansados e desmotivados. Inclusive, pode ser que tenhamos vontade de pedir demissão, seja por causa de um colega, um chefe ou, até mesmo, pela atmosfera do lugar. Um ambiente de trabalho tóxico pode ter consequências muito negativas sobre nós.

Se levarmos em consideração que qualquer empresa ou organização é um antro de emoções, não seria estranho pensar que os conflitos e as diferenças existem. O problema não é que elas existam, mas como são administradas e até onde podem chegar. Dessa forma, um ambiente de trabalho tóxico é identificado por relações degradantes, atitudes agressivas e muito competitivas, e, inclusive, por comportamentos mal-humorados e manipuladores.

Aprender a identificar se existe toxicidade no seu ambiente de trabalho será de grande ajuda para protegê-lo e impedir que você mergulhe nela. A seguir, vamos explicar algumas das características mais comuns desse tipo de ambiente.

Características de um ambiente de trabalho tóxico

1. Absenteísmo

É normal que as pessoas fiquem doentes, tenham consultas médicas ou precisem comparecer a alguma atividade ocasional que as obrigue a se ausentar do trabalho. No entanto, quando esse comportamento se torna repetitivo, pode ser um sinal de alerta.

Ambiente de trabalho saudável

Faltar, pelo menos três vezes por mês ou mais, ou pedir constantemente permissão para se ausentar – seja para comparecer a atividades pessoais, consultas médicas ou devido a doenças – é uma forma típica de absenteísmo. Caso não haja motivos justificados, pode ser um bom indicativo de que existe um ambiente de trabalho tóxico.

Outra forma de absentismo é a ausência mental. Ou seja, quando você está no ambiente de trabalho, na maior parte do tempo, você faz atividades que não estão relacionadas com suas tarefas profissionais.

Esse tipo de comportamento pode ser corrigido se o líder se encarregar de aumentar a motivação dos funcionários. Conseguir fazer isso é fundamental para evitar que o desânimo se espalhe entre todos.

2. Maus-tratos por parte dos superiores

Outro sinal de um ambiente de trabalho tóxico é quando não existe respeito na forma como os superiores se dirigem ao resto dos funcionários. Também pode ocorrer quando eles se utilizam indiscriminadamente de cinismo e sarcasmo para se dirigir aos empregados.

Isso também se vê refletido na presença de comentários depreciativos, de críticas não construtivas e de comparações entre os pares. Em vez de incentivar o trabalho em equipe, esses comportamentos incitam a competição excessiva e o mal-estar.

3. Falta de comunicação

Os problemas de comunicação no trabalho costumam ocorrer quando a comunicação não é direta, quando é incompleta ou, ainda, quando seu conteúdo não é verdadeiro. Isso gera situações de incerteza, duplo sentido e confusão que criam armadilhas mentais nas pessoas envolvidas e, definitivamente, erros ou falhas na atividade profissional.

Em muitos casos, os chefes não são claros nem específicos em relação a como desejam que certas tarefas sejam realizadas, esperando que seus subordinados “leiam suas mentes” ou adivinhem os detalhes. Assim, se essa situação se mantiver por algum tempo, a frustração, a insegurança e a desmotivação certamente vão aparecer. 

4. Pouca proteção ao empregado

Essa situação ocorre quando, na empresa, a preocupação maior é com os interesses próprios (clientes, redução de custos, etc.). do que com os interesses dos trabalhadores. Normalmente, não há possibilidade de ascensão profissional. Também não são oferecidas formações relevantes para o cargo, nem planos de carreira.

Nesse contexto, as pessoas podem ficar dez anos realizando as mesmas tarefas, sem possibilidade de serem promovidas ou nem sequer consideradas. As políticas internas são desconhecidas para os funcionários e mudam sem aviso prévio. Em geral, todos esses comportamentos geram grande incômodo entre os empregados e criam um ambiente de trabalho tóxico.

Ambiente de trabalho tóxico

5. Liderança ditatorial

Nesse caso, o líder toma todas as decisões sem considerar o que sua equipe pensa. Ele não escuta, nem quer saber a opinião dos outros, gerando entre os funcionários um medo de expressar seu desacordo com a situação.

Os líderes ditatoriais costumam ser pessoas desconfiadas, já que consideram que apenas eles podem fazer o trabalho corretamente e que ninguém sabe tanto quanto eles. Muitas vezes, essa desconfiança se deve a inseguranças, especialmente quando um dos funcionários se destaca e, de algum modo, na visão do líder, pode começar a ser considerado uma ameaça.

Esse tipo de ambiente de trabalho tóxico apresenta o agravante de que os funcionários não podem contar com a figura do líder como alguém que pode ajudá-los a solucionar um problema.

6. Problemas de funções

A função que uma pessoa desempenha em seu cargo, embora possa ser extremamente complexa, deve ser muito bem definida. Caso contrário, a pessoa pode não saber muito bem qual é o seu papel na empresa. 

Quando isso acontece, a pessoa pode realizar tarefas que não a competem ou talvez tenha que lidar com demandas e exigências excessivas, inconsistentes entre si ou incompatíveis para realizar o trabalho.

7. Assédio moral

O assédio moral costuma ser uma das situações mais comuns em um ambiente de trabalho tóxico. Ocorre quando um ou vários colegas dificultam o trabalho do outro, colocando obstáculos profissionais e pessoais. Além disso, um relacionamento ruim entre os colegas de trabalho pode ser um grande motivo de geração de estresse.

Como podemos ver, todos esses problemas podem afetar os funcionários tanto física quanto psicologicamente, repercutindo na sensação de bem-estar geral. Por isso, é necessário combatê-los a fim de administrar ou evitar um ambiente de trabalho tóxico.