A bolha do casal de acordo com Stan Tatkin

maio 3, 2019
Stan Tatkin cunhou o termo "bolha do casal", baseado em uma série de princípios e chaves que permitem construir relacionamentos saudáveis ​​e seguros para as pessoas que os compõem.

Stan Tatkin é um psicólogo clínico que desenvolveu a abordagem psicobiológica da terapia de casais (PACT). Assim, por muitos anos, ele se concentrou no estudo das pessoas que desejam estar em um relacionamento e na maneira como o constroem. Isso lhe permitiu utilizar um conceito: a bolha do casal.

O que é a bolha do casal para Stan TatkinIsso é o que descobriremos ao longo deste artigo, embora possamos fornecer alguma informação prévia. Em termos gerais, esses acordos significariam que os membros de um relacionamento “concordam” de alguma maneira, seja de forma explícita ou implícita, sobre diferentes aspectos, como a infidelidade, por exemplo.

Os princípios da bolha do casal

Para lidar com o conceito da bolha do casal, assim como Stan Tatkin quis transmitir, nos guiaremos pelo livro que ele mesmo escreveu, Conectados no Amor. Nele, ele trata este termo de uma maneira profunda, descrevendo e expondo os princípios que considera que deveriam estar presentes na bolha do casal.

Algo que Stan Tatkin deixa claro desde o princípio é que a bolha do casal é algo no qual todos os membros de uma relação devem trabalhar. Surgem sérios problemas no relacionamento quando os membros do casal se encontram em níveis diferentes. Ou seja, não se pode sempre dar e nunca receber. Neste tipo de circunstância, que tende a ser mais comum do que pensamos, o rompimento da bolha está garantido.

Os princípios da bolha do casal

1. O “você primeiro” não funciona

Um dos primeiros princípios da bolha do casal de Stan Tatkin é: deixar que o parceiro dê o primeiro passo para então agir de acordo não é algo viável. A construção dessa bolha começa ao dar o melhor de si garantindo, assim, a segurança, o bem-estar e a felicidade da pessoa com a qual nos relacionamos.

Além disso, neste dar incondicional, alinhado sempre com nossos valores, teremos a oportunidade de ver como a outra pessoa está agindo. Está rompendo a bolha? Está contribuindo para construí-la?

2. A segurança no casal

Este é outro princípio que Stan Tatkin discute em seu livro, e trata de que deve haver uma comunicação fluida para saber como dar à outra pessoa a segurança tão necessária no relacionamento. Neste ponto também entrariam medos e tudo aquilo vivido anteriormente que afeta futuros relacionamentos.

Por exemplo, se um dos membros do relacionamento sofreu muitas infidelidades, pode ser que precise de determinados sinais de que isso não acontecerá no relacionamento atual. O que será feito para alcançar essa segurança é algo que deve ser acordado com o parceiro.

3. Não romper a bolha

O terceiro princípio seria evitar romper a bolha que se está tentando construir no relacionamento amoroso. Como se consegue isso? Levando a outra pessoa em conta, fazendo-a se sentir importante, proporcionando momentos de qualidade e dando-lhe a tão necessária segurança para construir uma base de confiança.

Quando surgem nos relacionamentos certas recriminações, como “você não me leva em conta”, “você está sempre com seus amigos” ou “você não é a mesma pessoa que eu conheci”, isso deve nos colocar em alerta, pois a bolha do casal está prestes a se romper. Assim, torna-se necessário tomar uma decisão a respeito disso; analisar o que está dando errado no relacionamento ou deixar que acabe se rompendo.

Casal preocupado

4. Proteger a bolha do casal

Este é o último dos princípios para manter a bolha do casal. No entanto, como Stan Tatkin destaca em seu livro, isso não significa que os casais devam se tornar codependentes. O contrário disso. Um relacionamento saudável que constrói uma bolha saudável preza pela proximidade e pela independência ao mesmo tempo.

A bolha do casal é um espaço no qual os membros de um relacionamento se sentem protegidos e seguros. Eles sabem que podem contar com a outra pessoa, porque dão e recebem o mesmo. São sua prioridade. Além disso, nos momentos mais difíceis, trabalha-se para que haja uma escuta ativa e uma boa comunicação.

Quando há este tipo de bolha nos relacionamentos, não significa que os casais ficam fechados em si mesmos, esquecendo suas relações com os outros. Pelo contrário. Eles constroem um espaço para se proteger e crescer. Um espaço onde a independência está presente, mas também a proximidade. Assim, quando essa bolha é destruída, o relacionamento deixa de ser saudável. Você está construindo uma bolha na sua relação amorosa?

“Quando você e o seu parceiro estão em um relacionamento forte e seguro, as brigas não ameaçam a sua relação”.
-Stan Tatkin-