"Apapachar", a cumplicidade de acariciar a alma

"Apapachar", a cumplicidade de acariciar a alma

Última atualização: 23 janeiro, 2022

Dizem que “apapachar” é uma das palavras mais bonitas que existem e que a ação que simboliza é ainda mais, “acariciar com a alma”. Esta bela palavra vem do nahuatl “apapachoa” e já deu a volta ao mundo.

É preciso dizer que o termo nahualt não tem esse sentido emocional, mas sim que foi tomado no processo de castilianização da palavra. Assim, o apapacho vem, na verdade, de papachoa, verbo usado para designar as ações de amassar, massagear ou acariciar com afeto.

Assim, pelas derivações foi tomando aquela conotação de que falamos, a de “acariciar com a alma” e dar origem à nudez emocional

Um apapacho é algo mais do que um abraço acompanhado de um belo momento, antes designa uma cumplicidade, um encontro afetivo, algo que vai além de um mero contato afetuoso. Ora, talvez para alguns de nós acariciar a alma tenha esse significado, mas outros podem dar mais ou menos intensidade à sua definição.

Mulher com pássaros e flores

Acariciar a alma, nos encher de emoções

Nós podemos seduzir através de palavras e carícias além do contato pele-a-pele, os sentidos tradicionais, do renascimento sentimental e da reação de nossas emoções. Há muita coisa escrita sobre sentimentos, mas ao final do caminho, todos têm que pensar, sentir e validar seus próprios sentimentos.

Somos seres emocionais que pensam através da linguagem das emoções e, por isso, sabemos que abraçar e fazer os outros sentirem o nosso carinho é um dos melhores presentes que podemos dar.

Porque sentir-se acariciado com a alma é sentir a união das nossas emoções. Os problemas desaparecem, a angústia se deixa envolver pelo amor e às vezes vinculamos nossas constelações às do outro.

Apapachar proporciona uma paz deslumbrante, pois não há nada que nos faça sentir melhor do que saber que somos amados, valorizados e apoiados.

A dança química de nossas emoções

O que chamamos metaforicamente de “união de duas almas” torna-se uma dança química no nível do cérebro. Nossas emoções são sutilmente combinadas na forma de dopamina, serotonina, oxitocina e norepinefrina.

Com os abraços com que nos ligamos, acendemos uma infinidade de constelações afetivas que aumentam o nosso bem-estar e nos ajudam a recuperar o controle, colocando à nossa disposição um leme e uma âncora que sem dúvida nos sustentam na vida.

Porque no final das contas esse carinho depende grande parte do nosso desenvolvimento socioemocional. É conveniente, portanto, nos ancorarmos nessas experiências, melhorar nossa consciência e dar amor.

rosto feminino representando a verdade

O encontro mais íntimo entre duas pessoas não é o sexual, é a nudez emocional

O encontro mais íntimo entre duas pessoas não é sexual, é nudez emocional. Essa troca só pode ocorrer quando o medo é superado e conseguimos nos dar a conhecer ao outro como somos, sem anestesia nem encobrimento.

Podemos seduzir e ser seduzidos por meio de nossas emoções. No entanto, tendemos a negligenciar essa faceta e prejudicar nossa capacidade de nos conectar ou sentir por meio do autoconhecimento e do heteroconhecimento. Porque o carinho começa com você mesmo, com nossa capacidade de nos abraçar, de usar nossas emoções para continuar crescendo, aprendendo e evoluindo junto com nossas experiências.

Em suma, abraçar é expor nossos medos, nossas inseguranças e nossa verdade emocional. É quebrar nossos medos e entregar calor e lar por meio de abraços. Tudo isso sem dúvida merecia uma palavra tão bonita.

This might interest you...
Como consolar com palavras de acordo com a ciência: 4 segredos básicos
A mente é maravilhosa
Leia em A mente é maravilhosa
Como consolar com palavras de acordo com a ciência: 4 segredos básicos

A ciência nos ensina a consolar com palavras. Existem estratégias muito básicas que todos nós podemos aprender.