O apoio dos avós: a verdadeira chave para conciliar trabalho e família

· maio 22, 2018

O apoio dos avós é uma peça fundamental para o funcionamento da nossa sociedade. Eles são uma figura comum na porta das escolas e nos parques de todas as cidades. Cuidam de seus netos durante muitas horas do dia, enquanto seus pais trabalham. Dessa forma, quase sem querer e muitas vezes sem nem ser conscientes disso, eles se tornam os principais educadores do lar da criança.

Uma a cada seis pessoas entre os 50 e os 70 anos cuida de seus netos com certa assiduidade. Desses, metade o fazem diariamente e por mais de 12 horas por dia. A impossibilidade de conciliar a vida familiar e o horário de trabalho, conjugado à falta de recursos econômicos e de assistência social para as crianças, levam as famílias a contar com os avós como uma rede de apoio, a mais importante do lar na hora de cuidar dos netos.

A incorporação efetiva da mulher ao mercado de trabalho para sua autorrealização e, é claro, para melhorar a vida financeira da família, gerou uma série de necessidades no contexto familiar, tanto afetivo quanto de responsabilidade em relação às crianças da casa. Com essa nova estrutura familiar, os avós passaram do papel de cuidadores para um papel principal no desenvolvimento pessoal e emocional de seus netos. Eles chegam ao mesmo nível dos próprios pais, ou até mesmo a um nível superior dependendo da quantidade de horas trabalhadas e longe de casa.

Neta abraçada com a avó

O apoio dos avós no século XXI

Os avós do século XXI representam um papel diferente em diversos pontos importantes em relação ao que representavam os avós de nossos antepassados. A figura do avô ou avó como cuidador e educador sempre esteve presente ao longo da história, mas as exigências da sociedade atual e as necessidades familiares demandam que repensemos esse papel que os avós exercem para algo ainda mais importante.

  • O aumento da expectativa de vida e os programas de envelhecimento ativo fazem com que nossos idosos tenham uma qualidade de vida cada vez melhor e possam dedicar tempo e forças ao cuidado dos netos. Viver mais e melhor é a ideia que a medicina moderna está vendendo para os idosos. Não se trata de alcançar idades centenárias, o que é cada vez mais frequente, mas sim de fazê-lo sem perder a qualidade de vida ou atrasando essa perda o máximo possível.
  • As dificuldades econômicas pelas quais muitas famílias passam também têm sido uma questão bastante presente na hora de pedir aos avós que assumam o papel de cuidadores principais das crianças da família.

Essa possibilidade de cuidado oferece uma alternativa muito vantajosa, já que muitos pais não podem se dar ao luxo de pagar uma escola infantil ou uma babá que cuide dos seus filhos. Também é comum recorrer aos avós por causa do tempo, ou pela falta dele. Como os idosos geralmente estão aposentados, não possuem uma hora de chegara nem de saída, sendo uma fonte de tranquilidade para os pais.

  • A incorporação da mulher ao mercado de trabalho.

Ao longo das últimas décadas, nossa sociedade mudou significativamente. A divisão das tarefas do lar também. Tanto os pais quanto as mães trabalham fora, aumentando a dificuldade de conciliar a vida profissional e a vida familiar. Por isso, quando é possível, os avós são muito importantes como uma alternativa para cuidar dos netos.

“Os avós são mágicos, criam memórias maravilhosas na vida de seus netos”.
-Anônimo-

Avós lendo livro com o neto

O apoio dos avós: uma valiosa cooperação

Os avós dão apoio emocional e estável aos netos. Vínculos emocionais e afetivos muito importantes são estabelecidos entre avós e netos, fruto de uma atividade compartilhada e de sentimentos de satisfação relacional.

O avô se alegra por contar com alguém que o anime e incentive a permanecer ativo e útil, ser ouvido e ter companhia. Do mesmo modo, o carinho e a esperança com as quais o neto se dirige aos avós reforça sua confiança e sua autoestima.

É estabelecida uma relação de proximidade, em que ambos adotam o papel de confidentes. A criança percebe o carinho e a proximidade dos avós, gerando laços de confiança. Assim, buscará neles apoio e conselhos em momentos de ansiedade. Nesse sentido, a experiência e a fonte inestimável de conhecimentos que os avós têm supõem uma escola de vida para as crianças que inclui respeito, valores, jogos intergeracionais e o amor pelos nossos idosos.

Dica de convivência para não “abusar” do apoio dos avós

  • Estabelecer limites na educação das crianças. Os avós podem educar e participar da formação dos netos, mas não devem ultrapassar o papel e a função dos pais.
  • A decisão de cuidar dos netos ou não é dos avós, ainda que normalmente eles fiquem muito felizes por ter essa possibilidade.
  • Respeitar o tempo de ócio e lazer de cada membro da família. Os idosos também devem ter seu espaço e dedicar-se a atividades diversas que não se limitem apenas ao cuidado dos netos.
  • Agradecer a ajuda prestada pelos idosos, tanto os pais devem agradecer quanto os netos, já que sem seu apoio a organização do ambiente familiar seria muito difícil.
Neta com seu avô

Parece que esse papel de protagonista dos avós na educação de seus netos, longe de estar diminuindo, está cada vez maior. Sua ajuda para os pais tem um valor incalculável. Não só cuidam dos netos, como também lhes ensinam e os amam com todo seu coração. Todos nós, enquanto sociedade, devemos muito a eles.

“Seguramente duas das experiências mais satisfatórias da vida são ser neto e ser avô”.
-Donald A. Norberg-