Paulo Freire, a biografia de um educador

01 Março, 2021
Paulo Freire foi um educador que se preocupava muito com as pessoas mais pobres, que não tinham acesso à educação. Ele desenvolveu um sistema de alfabetização muito eficaz e uma pedagogia de alcance mundial.

Quase todos os educadores estão familiarizados com a biografia e a obra de Paulo Freire, o pedagogo da esperança. Suas ideias ultrapassaram em muito o campo da educação e tornaram-se a bandeira de inúmeros movimentos democráticos no mundo. Para Freire, a educação era uma questão de vida, não de academia.

Seu nome de batismo era Paulo Reglus Neves Freire. Ele nasceu em Recife, no estado de Pernambuco, uma das áreas mais pobres do Brasil. Isso ocorreu em 19 de setembro de 1921. Seu pai era policial militar e sua mãe uma dona de casa devota, que criou os filhos seguindo princípios estritamente católicos.

“Ninguém educa ninguém — ninguém educa a si mesmo —, os homens se educam entre si com a mediação do mundo.”
– Paulo Freire –

Embora sua família fosse de classe média, também passou por momentos economicamente difíceis. Durante sua fase escolar, Paulo Freire nunca se destacou como estudante. Após a escola, começou a estudar Direito, mas precisou interromper os estudos diversas vezes por falta de dinheiro, até que conseguiu se formar em 1944.

Paulo Freire

A biografia de Paulo Freire: uma carreira ascendente

Em 1944, Paulo Freire se casou com Elza Maria Oliveira, uma professora da educação infantil que exerceu uma grande influência em sua vida. Além disso, atuou por um ano como professor de português em várias escolas da educação secundária. Lá, ele começou a encorajar alunos, pais e a comunidade a avaliar criticamente o modelo de educação.

Posteriormente, estudou Letras e fez um doutorado em Filosofia e História da Educação em 1959. Logo passou a ser uma figura de destaque no mundo educacional. Em 1963, ele participou da Campanha Nacional de Alfabetização e conseguiu iniciar o ensino de 300 trabalhadores rurais em apenas um mês e meio. Muitos começaram a vê-lo como um agitador político.

Em 1964 houve um golpe militar no Brasil. Paulo Freire era visto como um educador francamente subversivo. Por esse motivo, foi detido duas vezes, o que o levou a solicitar asilo político na Embaixada da Bolívia. Em seguida, se refugiou no Chile, onde colaborou com o governo de Eduardo Frei em questões educacionais.

Paulo Freire em Harvard

Em 1968 Paulo Freire publicou seu primeiro livro, A Educação como Prática da Liberdade. Sua fama cresceu e, então, ele foi convidado a lecionar pela Universidade de Harvard. Nos Estados Unidos, conseguiu desenvolver notavelmente suas teses pedagógicas. Sua obra Pedagogia do Oprimido foi responsável pela sua fama mundial.

Em suas obras, Paulo Freire preconizava uma educação que não servisse apenas para adquirir conhecimentos. Em sua opinião, a formação completa incluía o desenvolvimento de critérios e ferramentas para que as pessoas trabalhassem por sua própria libertação das condições de exploração em que muitos viviam.

Os dois grandes meios para isso eram a crítica e o diálogo. Ele também defendeu uma educação verdadeiramente democrática, na qual se entendia que nem a ciência, nem a educação eram realmente neutras. Da mesma forma, desenvolveu um sistema de alfabetização altamente eficaz.

O legado de Paulo Freire

A biografia de Paulo Freire continua quando ele voltou para o Brasil em 1980 e se tornou um dos fundadores do Partido dos Trabalhadores (PT). Começou a trabalhar na Universidade Católica de São Paulo e na Universidade do Estado de São Paulo. A partir daí, continuou impulsionando suas ideias sobre uma pedagogia crítica.

Freire estava convencido de que o aprendizado não era transmitido, e sim construído. Por isso, no processo pedagógico o mais importante é a participação do aluno. A seu ver, o mundo não precisa de pessoas que repetem ideias, e sim de criadores, construtores de novas possibilidades.

Para ele, o mais importante na educação é promover a criatividade e abrir caminho para a liberdade individual e coletiva. O conhecimento não nasce no vazio, mas no meio de condições específicas e, por isso, nunca é neutro.

Inovação

Um pedagogo que deixou a sua marca

Em 1986 a esposa de Paulo Freire, Elza Maria Oliveira, morreu repentinamente. Com ela, Freire teve cinco filhos e viveu grandes aventuras pelo mundo. Algum tempo depois, Freire se casou com Ana Maria, uma jovem que havia sido sua aluna.

Em 1989 foi nomeado Secretário da Educação do estado de São Paulo. Nessa posição, ele conseguiu transformar várias de suas ideias em políticas de estado e melhorou significativamente a situação dos professores.

A obra de Paulo Freire foi traduzida para 18 idiomas. Cerca de 20 universidades em todo o mundo concederam a ele o título de Doutor Honoris Causa. Faleceu em São Paulo, aos 75 anos, em 2 de maio de 1997. Sua vida e obra inspiraram milhares de educadores em todo o mundo.

  • Monclús, A., & Freire, P. (1988). Pedagogía de la contradicción: Paulo Freire: nuevos planteamientos en educación de adultos: estudio actualizado y entrevista con Paulo Freire (Vol. 30). Anthropos Editorial.