Para chegar longe, é preciso se apaixonar

· dezembro 6, 2015

Nós seres humanos nos acostumamos a viver em um mundo de exigências absolutistas e obrigações absurdas. Impomos a nós mesmos uma pressão enorme e terminamos nosso dia a dia cheios de tensão e ansiedade.

A sociedade na qual vivemos nos diz que devemos fazer certas coisas, ter um certo trabalho ou ser de uma determinada forma para que possamos ser alguém de valor.

se-apaixonar

Se nós decidimos comprar este dogma tão antinatural, absurdo e irreal, nos sentiremos constantemente pressionados pois pensaremos: Preciso ser bonito! Preciso ser um profissional de renome! Preciso educar meus filhos com perfeição! Preciso pintar o quadro perfeito! etc…

Curiosamente, quando nos deixamos levar pela força da obrigação, produzimos em nós mesmos o que se denomina na psicologia como bloqueios mentais. Isto é, de tanto se pressionar e dar importância a esse fato que você tem que empreender, como se fosse tudo na vida, você termina fracassando e as coisas não acontecem do jeito que gostaria, ou talvez você se sinta incapaz de levar algo adiante por medo de fracassar.

Quando os projetos ou planos são feitos com ansiedade e tensão, no final o resultado costuma ser medíocre. O que por sua vez retroalimenta os pensamentos negativos sobre si mesmo, e novamente aumenta a exigência porque “eu deveria ter feito isso direito!”.

A chave para sair desse círculo vicioso é começar a perceber que as obrigações são auto-impostas por você, e somente você. É verdade que a nossa cultura, infelizmente, nos manda certas mensagens superficiais de como devemos ser ou como devemos agir, mas no fim é você quem decide se apegar a essas ideias ou não.

Para chegar longe, é preciso se apaixonar
Está demonstrado que aquele que empreende um projeto pessoal ou profissional sem se exigir, só se divertindo e colocando a sua paixão, chega muito mais longe que aquele que se pressiona constantemente.

O apaixonado trabalha e se esforça, com certeza, mas o faz com amor porque quer desfrutar do que faz, essa é a sua meta. Se as coisas derem certo, ótimo, mas se não saírem perfeitas ou se fracassarem, ele sabe que não é o fim do mundo.

Fracassar supõe um aprendizado e um passaporte para o sucesso. E se ainda assim, depois de muitos fracassos, você não alcançar nenhuma meta interessante, também não será o fim do mundo, pois a vida oferece milhões de alternativas interessantes para você se desenvolver, mas sempre aproveitando!

É tão importante compreender que dentro de nós há uma criança que deseja estar de bem com a vida e com o resto do mundo…

Para chegar longe, é preciso se apaixonar

No fim, o objetivo mais importante do ser humano é ser feliz, e para ser feliz é preciso se desfazer do lastro e das pedras da mochila, tirar de cima esses “eu deveria”, “eu teria que”, porque ninguém tem, nem deve nada.

Quando nos libertamos dessas cadeias mentais às quais nós mesmos decidimos nos amarrar, descobrimos que viver e ser feliz é a coisa mais fácil do mundo. Você sai pra fazer o que quer fazer, sem medo de nada. Sem medo da opinião ou aprovação da sociedade, sem medo do fracasso… simplesmente passa bons momentos e faz o que tiver que fazer porque gosta de fazê-lo, e pronto.

De repente, você percebe que a sua criança interior ri de tudo e com tudo porque em qualquer situação há algo para rir e com que brincar. A vida é isso, uma brincadeira, e brincar implica diversão, satisfação, amar a vida tal como ela se apresentar, sem exigir, sem impor.

Olhe… você tem braços, pernas, uma cabeça saudável para pensar, comida e bebida, mais coisas ainda?

Se você tem tudo isso e mais, é um afortunado. Você tem tudo para se deixar levar pela força do gozo e para fazer o que tiver vontade com calma.

Para chegar longe, é preciso se apaixonar
Faça as coisas porque você tem vontade, porque deseja assim, porque elas o apaixonam e não para obter nada em troca, e sim apenas pelo seu bem estar.

Deixe o seu trabalho de escritório se o que você adora é ser escultor! Ou pelo menos tente abrir um caminho naquilo que você gosta! Deixe esse companheiro que você sabe que está lhe fazendo mal!

Ninguém o obriga a permanecer onde você não quer estar.

Seja consciente de que se o seu dia a dia, com o básico, já está solucionado, não há nada a temer e o que você obterá será o mais gratificante que você poderá obter em toda a sua vida: a sua própria felicidade.

Portanto, a lição que você deve levar é:

“A partir de agora, me deixarei levar pela força da paixão e deixarei de lado a força da obrigação, porque para chegar longe, é preciso se apaixonar.”